Meu AdoroCinema
No Olho do Tornado
Críticas AdoroCinema
3,0
Legal
No Olho do Tornado

A bonança depois da tempestade

por Renato Hermsdorff
Se, em 1996, Twister já havia surpreendido muita gente no quesito efeitos especiais, imagine o quanto a tecnologia avançou nesses quase 20 anos que se passaram desde então. Pois, com um enredo genérico, é no visual tecnológico realista de última geração que se apoia este No Olho do Tornado.

No Olho do Tornado - Foto

No thriller de ação dirigido por Steven Quale (Premonição 5), não um, mas vários tornados atingem a cidade de Silverton, nos Estados Unidos. É para lá que se dirige um grupo de cientistas caçadores de tempestade; é lá que mora um pai, Gary (Richard Armitage, de O Hobbit, o mais canastrão), vice-diretor de uma escola, durão com seus filhos; é a cidade que abriga também dois aventureiros abestalhados no estilo Jackass (o alívio cômico, que não tem graça).

No Olho do Tornado - FotoCom um elenco relativamente desconhecido (e fraco), estão lá, no filme, alguns dos clichês comuns ao gênero, como os que envolvem a obsessão profissional, o conflito de gerações, o pai-herói, os encontros e desencontros e até a mensagem edificante no final, com direito à bandeira norte-americana tremulando ao vento (brando).

Feitas as observações, no entanto, até que No Olho do Tornado é um filme... contido na medida em que a construção da relação dos personagens é menos apelativa do que se poderia imaginar em um primeiro momento.

Por outro lado, há, também, uma certa preocupação em contextualizar o fenômeno natural (em uma fala, é verdade, mas com uma citação que enumera os furacões Katrina, Sandy e Joplin como fenômenos recentes e cada vez mais agressivos. Plausível para explicar o surgimento do maior tornado de que se tem registro).

No Olho do Tornado - FotoAinda: numa era como a nossa obcecada pelo registro e vigília em vídeo, o filme também acerta ao combinar formas diferentes de captação das imagens, seja com o equipamento profissional (feita pelos cientistas); a câmera amadora (alunos formandos); GoPro (jackasses em busca da fama no Youtube); ou mesmo na câmera fixa de monitoramento (escola).

Tudo isso contribui para que haja tensão, o que é imprescindível para este tipo de filme – destaque para uma cena de resgate subaquático. Apesar das ressalvas, se você entrar na sala de cinema disposto a embarcar nesta história, pode ser que alcance uma leve bonança. Depois da tempestade, é claro.
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema

Comentários

  • Rodrigo F.
    Esse filme to achando que vai ser ótimo estou indo ai assistir dia 31/08/2014
  • Pedro H.
    MUITO TENSO CARA, ENGRAÇADO FOI OUVIR A REAÇÃO DO PESSOAL NO CINEMA, HAHA
  • Pedro P.
    O longa é legal porem, o diretor tenta botar duas historias paralelas e junta-las,porem a junca-o e fraca como os diálogos que levam a nada, o ponto forte do filme são as constantes destruições provocadas pelos tornados .Outro ponto fraco são as construções de personagens que como são duas historias(ou ate três, em certa parte do filme) ha cortes em hora errada então em questão dos personagens, o longa deixa a desejar.Porem as cenas de destruição são incríveis tanto pelos efeitos especiais quanto pela montagem dos tornados(como o tornado de fogo) e as destruições são tao legais que em certo ponto eu estava torcendo para o tornado destruir a cidade toda.E como ultimo defeito são as piadas fora de hora que são de certa forma apelativas para acabar com certo tom de suspense( oque não da certo).Então a é conclusão e :Vale a pena ver o filme não pelo roteiro mas sim pela destruição e devastação dos tornados.
  • Vanessa J.
    Também achei ótimo. Já a crítica... bem... daria um 2.
  • famtalouuca m.
    Filme muito bom,sério!!Gostei muito dos efeitos e da drama,e o clima do filme mas voce pensar que a qualquer hora um personagem principal vai morrer,muito bom!!E ainda tem um easter egg na parte do boeiro.
  • Ivan Sousa...(O Sincero!)
    Passei o filme todinho,tentando não lembrar de "Twister",mais não teve como.No Olho do Tornado,lembra muito aquela produção de 1996.Mais de uma forma inferior.Pra quem esperava ver um filme cem por cento catástrofe,se engana ligeiramente.Esse é um típico filme onde os próprios personagens nos enoja.Temos aqui,amigos bebuns,relação desgastada,entre pais e filhos,mãe que a todo momento recebe ligação de sua filha,que está sozinha em casa,e um romance que se inicia no meio das tempestades.Tudo isso,e mais um pouco de clichês,podemos presenciar do começo ao fim aqui na trama.O que vale a pena,são os efeitos visuais que são bem bonitos...
  • Ivan Sousa...(O Sincero!)
    Só parece mesmo!
  • Ivan Sousa...(O Sincero!)
    Provavelmente não...o pior!
  • Ivan Sousa...(O Sincero!)
    Pensei da mesma forma!
Mostrar comentários
Back to Top