Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Kingsman - Serviço Secreto
    Média
    4,5
    2357 notas e 177 críticas
    distribuição de 177 críticas por nota
    75 críticas
    69 críticas
    19 críticas
    7 críticas
    2 críticas
    5 críticas
    Você assistiu Kingsman - Serviço Secreto ?

    177 críticas do leitor

    Enilson S.
    Enilson S.

    Segui-los 23 seguidores Ler as 135 críticas deles

    5,0
    Enviada em 19 de março de 2015
    Vale um cinco, devido ser um filme bem consistente, ter historia, ter efeitos especiais sem exagero. É um típico filme de agente secreto, tenta lembrar bastante a classe representada pelo agente mais famoso do mundo "James Bond", e nisso eles deixam claro as comparações, mas acho que tem sua própria alma, lembrando que o filme foi tirado de um HQ por as escolhas feitas se tornam mais preocupantes, nesse sentido vejo que até na escolha dos personagens eles se saíram bem, com a escolha de Colin Firth e Samuel L. Jackson. Apesar de ser bem louco o filme é muito bom e vale muito a pena.
    Bruno C.
    Bruno C.

    Segui-los 7 seguidores Ler as 8 críticas deles

    5,0
    Enviada em 22 de março de 2015
    Eu não vou entrar em detalhes nessa crítica até porque não é um filme profundo, o que de forma alguma o torna ruim, muito pelo contrário sua simplicidade é um dos fatores que mais o torna divertido. Kingsman executou a sua proposta com excelência, enquanto o assistia lembrei muito de Guardiões da Galáxia, sua forma despreocupada me agradou e empolgou muito.
    Marcos R.
    Marcos R.

    Segui-los 11 seguidores Ler a crítica deles

    4,5
    Enviada em 11 de março de 2015
    Ótimo filme, os efeitos das lutas são sensacionais, foi o diferencial de outros filmes de ação, junto com muito sangue, comédia e adrenalina. Recomendo!
    Gui Souza
    Gui Souza

    Segui-los 6 seguidores Ler as 28 críticas deles

    4,5
    Enviada em 9 de março de 2015
    Matthew Vaughn é um nome conhecido – e amado – entre os fãs de quadrinhos. Seu estilo diferenciado de contar histórias de formas caricatas, mas sem errar na medida, deu origem aos ótimos X-men: Primeira Classe e Kick-Ass. Veio então sua nova incursão ao mundo dos quadrinhos, Kingsman, baseado numa HQ de Mark Millar, que nos apresenta um jovem, Eggsy, que se junta a uma organização mundial de espionagem acima de qualquer governo e dedicada a sempre salvar o mundo, mas sem nunca se revelar. E Matthew Vaughn acertou novamente. O filme é uma mistura muito bem dosada de paródia e homenagem ao gênero dos filmes de espionagem, pegando referências que vão desde os anos 70 até os dias atuais, passando por James Bond, Jack Bauer, Jason Bourne e muitos outros, sempre ressaltando o que cada época possui de melhor a oferecer. Com essa proposta, o filme se atira em uma piscina cheia de clichés, sem o menor medo de usá-los. Temos piadas envolvendo telefones em sapatos, vilões revelando seus planos maléficos para o mocinho diante da morte e, quando este vence o mal, ainda temos aquela frase de efeito para finalizar a cena, tudo muito bem montado no roteiro de Vaughn e Jane Goldman. Por outro lado, seja por querer ou não, carrega as falhas do estilo, como personagens vazios, motivações fracas, terminando o filme com apenas o personagem Eggsy plenamente desenvolvido. Kingsman é uma produção de contrastes e metalinguagem. O filme inteiro faz referências aos filmes de espionagem em seus diálogos e cria dois lados muito distintos para a disputa entre o bem e o mal. Até no figurino podemos ver isso, com os kingsmen usando ternos sempre alinhados, como devidos cavalheiros, enquanto o vilão parece um punk inglês que passou da idade, usando suas roupas coloridas e chapéu de aba reta. Na produção do filme, o cuidado com que Matthew cuida de tudo é muito claro. As cenas de ação estão deslumbrantes, com diversas lutas incríveis, principalmente por conta da montagem que também remete a diversos filmes, usando câmeras lentas e coreografias irreais para mostrar a invencibilidade do nosso protagonista. A construção dos atos, gerando um acontecimento na metade do filme que quebra a ideia do cliché e deixa o espectador em alerta a partir dali, também funciona muito bem, não cansando em nenhum momento do longa-metragem. Com tudo isso, é fácil conquistar o coração do fã do antigo gênero, mas Kingsman vai ainda mais longe e sabe se atualizar para conquistar também o jovem atual. Nós vemos isso através de diversos discursos dos personagens, desde a inserção da política como algo já acabado, em que governantes não fazem mais o que deviam, até a preocupação sempre presente das condições climáticas e teorias da conspiração envolvendo os governantes de todo o mundo. Mas é interessante notar como até nesses momentos o filme não perde sua pegada retrô, como uma cena onde um personagem apresenta um conceito extremamente inovador de uma rede de internet mundial, multi-plataforma e de graça, mas o faz usando um powerpoint digno daquelas velhas correntes de email. Kingsman – O Serviço Secreto é uma sátira, uma homenagem e um filme que se conhece. Ele não está ali para ser comparado aos outros filmes do gênero ou para ser superior a eles, há uma fala no filme, naquela velha metalinguagem, na qual Vaughn deixa claro que o filme só tem a intenção de ser superior a si mesmo, nada mais. É um filme que pegou um gênero e fez sua própria versão dele, toda esquisita, explosiva e definitivamente ótima.
    Sílvia M.
    Sílvia M.

    Segui-los 2 seguidores Ler as 18 críticas deles

    5,0
    Enviada em 26 de maio de 2015
    Excelente filme. Roteiro perfeito,ação, trama, atores , principalmente o que interpreta o Harry e o menino que faz o Kingsmann. o filme retrata com perfeição o que o governo pretende no futuro.
    Rafael D.
    Rafael D.

    Segui-los Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 17 de março de 2015
    Excelente filme de ação com cenas de lutas empolgantes, uma clara homenagem aos clássicos filmes de espionagem com a mão da dupla Mark Millar e Matthew Vaughn repetindo o sucesso obtido em Kick-Ass.
    anônimo
    Um visitante
    3,5
    Enviada em 1 de junho de 2015
    Kingsman foi uma boa surpresa, pois,se trata daqueles filmes em que você não dá nada.Mas,fica acima da média em relação a isso. Contém bastante cena de ação bem idealizada,e um humor cativante, que sempre dá certo nessas histórias. Por outro lado temos a presença de um elenco ideal.Colin Firth e Samuel L.Jackson fazem a linha dos experientes, dando um sustento a mas. Uma boa pedida para uma ação,com um roteiro mas ágil.
    Matheus D
    Matheus D

    Segui-los 23 seguidores Ler as 31 críticas deles

    5,0
    Enviada em 24 de julho de 2015
    Se isso é uma homenagem ou uma paródia aos filmes de espionagem, daí eu não sei dizer, mais o diretor desse longa chamado Matthew Vaughn, que eu sou grande fã desde que ele fez “Kick-Ass" acaba de lançar seu novo filme, que é sem dúvida o mais empolgante deste início de 2015. Ficou claro agora, que os filmes não devem ser levados a sério, e sim apenas sentar e aproveitar todo espetáculo que ele proporciona, e aqui não é diferente. A trama é de uma organização dos agentes secretos, mais sofisticados e habilidosos do mundo chamados de Kingsman, e o personagem Harry Hart (Colin Firth) que é um Kingsman, apresenta essa corporação ao Eggsy (Taron Egerton) com a intenção de torná-lo um Kingsman. A trama se divide no treinamento do Eggsy, e no embate entre os Kingsman ao vilão do filme Valentine (Samuel L. Jackson) que está com planos de destruição em massa. O ritmo é ágil, o filme não perde tempo e mostra todo necessário pra seguir com narrativa de um jeito que não deixe ele cansativo, até porque o filme só tem a intenção de divertir e nada mais. Espere por muitas homenagens ao cinema de espionagem que não são nem um pouco sutis, aqui citam James Bond, Jason Bourne, os itens que usam são semelhantes, falam dos que esses filmes eram melhores antes de ficarem sérios demais, e até uma vilã que possuí lâminas pernas, clássico tipo de capanga desse tipo de filme. Outra coisa também, é que todo o elenco parece estar se divertindo com seus papéis, você vê isso muito bem. O Colin Firth por exemplo, nunca fez filme de ação antes e pra uma primeira vez ele tá incrível, tem cenas com eles que te deixam de queixo caído. O Taron Egerton pra mim é a surpresa do filme, ele tá muito bem e é também muito carismático, o Mark Strong e o Michael Caine estão como sempre muito bem, e o Samuel L. Jackson, pelo amor de deus, como ele tá engraçado aqui. Um ponto meio polêmico é a extrema violência que ele tem, quase lembrando até o Quentin Tarantino, os trailers não deixaram essa impressão e isso pode pegar algumas pessoas de surpresa, eu particularmente já esperava isso do Matthew Vaughn e não me incomodo pois ele capricha em tudo, é tudo rápido e frenético, porém você acompanha tudo muito bem e os efeitos visuais capricham ainda mais as sequências de ação. É cada cena empolgante, cada cena bonita, e o melhor é que cada hora vai ficando melhor, cada parte de ação fica melhor que a anterior, tem até um ar de ironia em certas partes. Porém o destaque mesmo é a sequência que se passa numa igreja que é brutalmente violenta, mais belíssima com direito até trilha sonora icônica. É impossível não você sair do cinema depois de ver Kingsman : Serviço Secreto e não ficar feliz com o que viu, porque é essa a missão do filme e pode se dizer que essa missão foi cumprida. Não é só cheio de estilo, como também super divertido e pode se dizer que ele conseguiu por sua marca no gênero, pois definitivamente esse não é um filme qualquer.
    Júnior S.
    Júnior S.

    Segui-los 209 seguidores Ler as 269 críticas deles

    2,5
    Enviada em 6 de dezembro de 2015
    Cara, na boa, até curto o estilo do Matthew Vaughn, Kick-Ass pra mim é um dos filmes de ação mais divertidos e bem feitos dos últimos anos, lançou tendência e merecia uma sequência melhor do que aquela bosta...Mas eu particularmente não achei nada que se possa aproveitar nesse aqui. Tentando ser uma espécie de 'homenagem' aos filmes de espionagem da década de 60 e começo dos 70, este Kingsman, ao meu ver, tenta desesperadamente se provar como um passa-tempo amigável sem maiores pretensões, se contradiz ao mesmo tempo que tenta(sem sucesso) inserir o público numa trama aparentemente complexa e cheia de pequenas 'reviravoltas', o humor meio pastelão e os diálogos forçados(que não fazem jus ao bom elenco) também não ajudam muito no trato do gênero. Sem se decidir entre ser um filme de espião, aventura, comédia ou road, Kingsman é um entretenimento rasteiro e dispensável, se salvando pelo bom elenco e uma ou outra boa cena de ação(como a da igreja). Só leva três estrelas porque Vaughn continua mostrando talento como diretor, apesar deste deslize.
    Vini W.
    Vini W.

    Segui-los 11 seguidores Ler as 3 críticas deles

    4,5
    Enviada em 23 de agosto de 2015
    Filme muito bom, mas tenho minhas ressalvas. "Kingsman" só não ganha 5 estrelas por algumas e pequenas falhas no desenvolvimento dos personagens, podemos ver ao decorrer do filme que Gary Unwin (interpretado por Taron Egerton) evolui como homem mas não nos prendemos nele tanto assim, como creio que deveria ser, no começo percebi que precisávamos nos prender ao Galahad (agente interpretado por Colin Firth) para spoiler: quando viesse a sua morte, previsível mas importante ainda para a história , nós tivéssemos um sentimento maior por Gary, fazendo assim com que a evolução do mesmo se tornasse algo que nós também sentíssemos, o que foi algo meio forçado mas não uma total falha, interpretação muito boa de Gary e Galahad, mas Galahad parecia um robô em grande parte do filme (creio que foi proposital mas não fui muito com a cara de tal interpretação) o que não nos envolveu fazendo com que faltasse spoiler: o tal sentimento de "pai e filho" que o filme tentou retratar. Talvez um pouco mais do conflito entre spoiler: Gary, sua mãe e seu padrasto colocasse um envolvimento maior no público que facilitaria um pouco mais na percepção da motivação de Gary, o que ficou um pouco confusa, é o pai dele? Ou é a mãe dele? A interpretação do Samuel L. Jackson pecou um pouco na parte de desenvolvimento físico de seu personagem, percebemos que Richmond Valentine ("Gênio, bilionário, playboy e filantropo" interpretado pelo recém citado Samuel L. Jackson) é um spoiler: "nerd" , no pior sentido da palavra, mas que pela sociedade mudou completamente seu estilo de ser (Ex.: spoiler: Nerd desajeitado que ficou rico e resolver ser igual aqueles que o humilhavam ), mas seria muito mais interessante isso se apresar/além da spoiler: língua presa o mesmo tivesse algo bem estereotipado como: spoiler: um andar peculiar, asma, algum tique. Apesar de que ele tem fobia em relação a sangue mas isso não ajuda o personagem, além do que a motivação dele não esta muito bem desenvolvida também. Vi o filme uma vez e dublado.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top