Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Para Roma Com Amor
    Média
    3,8
    355 notas e 22 críticas
    distribuição de 22 críticas por nota
    1 crítica
    6 críticas
    6 críticas
    4 críticas
    3 críticas
    2 críticas
    Você assistiu Para Roma Com Amor ?

    22 críticas do leitor

    Ibere S.
    Ibere S.

    Segui-los 11 seguidores Ler a crítica deles

    0,5
    Enviada em 22 de janeiro de 2013
    Horrível. Os filmes do Woody Allen não são muito interessantes, ele se acha um intelectual (na vida real) com histórias não lineares que seriam feitas para um público específico. Bobagem! Este filme reúne atores como Alec Baldwin, Ellen Page, Penelope Cruz e com certeza aceitaram fazer esse papel por ser de um diretor conceituado. Conceitos errados. Atores excelentes. História ridiculamente estranha, medíocre. Não aconselho ninguém a perder tempo assistindo a este filme
    anônimo
    Um visitante
    4,0
    Enviada em 30 de outubro de 2013
    Quando se começa o filme,você já percebe que é obra de Woody o simples motivo de escolher bem lugares e personagens marcantes.O filme trata logo de agradar a quem assiste,chegando logo a uma história bem tratada,sem enrolação.O elenco é de primeira,a começar pelo o próprio Allen,que ainda se pode ver suas atuações bem agradáveis,mas não com muita frequência.E logo após,temos o sumido Roberto Benigni,com um bom sendo de humor.E ainda,Alec Baldwin,que é muito bom ver ele na ativa,ainda mas em filme bem desenvolvido...no mas,ótimo filme.
    Phelipe V.
    Phelipe V.

    Segui-los 149 seguidores Ler as 204 críticas deles

    3,5
    Enviada em 21 de julho de 2013
    É Woody Allen fazendo uma critica mordaz a tudo, e o filme é bem divertido no que se propõe. Tem piadas sensacionais e o núcleo de Roberto Benigni é tão irônico e sarcástico com pitadas de surrealismo que nem parece o tipo de humor que o Allen costuma fazer! Na história que o diretor atua, toda a situação é desenhada justamente pra mostrar o quão chato é aquele personagem/alter ego, e a absurda proposta torna-se um recurso muito legal. Até aqui, o filme é perfeito, mas o problema tá nas outras histórias. É um filme de tramas isoladas, e nesses filmes uma trama acaba se sobrepondo à outra. A trama de Jesse Eisenberg é interessante principalmente pela personagem de Ellen Page, mas é a mais comum (e o "personagem" de Alec Baldwin é desnecessário e sem graça). O universo que Penélope Cruz orbita também não é lá muito envolvente, e a história da esposa perdida, apesar de ter o meu final favorito no filme, também demora muito pra dizer a que veio. Para Roma, Com Amor vale por ser um filme de Woody Allen, apesar de passar longe, bem longe dos melhores filmes do cara, ainda cumpre bem a sua função de entreter, até quando quer parecer monótono e chato, propositalmente.
    Neto S.
    Neto S.

    Segui-los 3707 seguidores Ler as 773 críticas deles

    2,5
    Enviada em 2 de março de 2016
    O longa é dividido em quatro segmentos. Em um deles, um casal americano (Woody Allen e Judy Davis) viajam para Roma para conhecer a família do noivo de sua filha. Outra história envolve Leopoldo (Roberto Benigni), um homem comum que é confundido com uma estrela de cinema. Um terceiro episódio retrata um arquiteto da Califórnia (Alec Baldwin) que visita a Itália com um grupo de amigos. Por último, temos dois jovens recém-casados que se perdem pelas confusas ruas de Roma.Mediano, muito inferior a outros trabalhos de Woody Allen, mais nao deixa de ser um bom passatempo, otimo elenco, boas atuaçoes, bela fotografia. Nota 6,8
    ymara R.
    ymara R.

    Segui-los 122 seguidores Ler as 262 críticas deles

    5,0
    Enviada em 18 de junho de 2013
    Como nao amar Wood Allen??? Dentro do seu senso de humor fantastico ele nao decepcionou..E sua atuaçao como personagem dele mesmo.. maravilha.. um prazer sempre assistir Wood Allen
    danicarreis
    danicarreis

    Segui-los 19 seguidores Ler as 70 críticas deles

    4,5
    Enviada em 10 de fevereiro de 2013
    Lindas imagens de Roma, as 4 tramas contidas no filme têm momentos engraçadíssimos e são impagáveis as cenas do próprio Woody Allen que, graças a Deus, voltou a atuar neste!!!! Adorei!!!!!
    Ronaldo B.
    Ronaldo B.

    Segui-los 60 seguidores Ler as 232 críticas deles

    2,5
    Enviada em 20 de agosto de 2012
    Eu tava sem nada pra fazer, e dai fui no cinema ver “Para Roma com Amor”... E Gostei... Eu sabia que não seria la uma grande comédia, mas ficou bem legal... Me lembrou muito o filme “Idas e vindas do Amor” que é um dos melhores filmes que já vi na vida... Me lembrou o filme porque tem varias histórias que se cruzam, e se esse filme tivesse um bom elenco seria sem dúvida muito melhor... Só faltou isso...
    Marcio S.
    Marcio S.

    Segui-los 21 seguidores Ler as 126 críticas deles

    4,0
    Enviada em 6 de abril de 2013
    Como já falei sou fã de Woody Allen e talvez mesmo inconscientemente posso ver somente o lado bom de suas produções. Nesse filme mais uma vez ele me agrada. O filme é leve, divertido, trata de coisas do cotidiano e tem diálogos bons. Logo no início somos apresentados aos personagens por um guarda de trânsito de Roma. Um casal americano (Woody Allen e Judy Davis) viaja para Roma para conhecer a família do noivo de sua filha, Leopoldo (Roberto Benigni) um homem comum que vira celebridade da noite para o dia, um arquiteto (Alec Baldwin) que viaja com amigos à Itália e dois recém casados que moravam no interior da Itália vão para Roma a fim de se estabelecer. Todas as histórias são divertidas, porém gostaria de destacar a de Baldwin. Quando ele vai caminhando para encontrar a rua onde morou quando mais jovem. Ele senta em um banco e logo é encontrado por um estudante de arquitetura que é fã de seu trabalho. Quando o estudante diz onde mora Baldwin descobre que é justamente onde ele morou. Então ele retrocede a rua por aonde veio para acompanhar o estudante. Pensamos: ele volta por aonde veio, então é como se ele entrasse no seu interior para reviver o que ele viveu anos atrás ou uma volta no tempo. Dessa maneira podemos interpretar que o estudante é ele mesmo. Passamos a acompanhar o estudante, a namorada e uma amiga dela que vem dos EUA. Notamos que a cor verde é uma cor que predomina mais no vestuário do estudante. Então no momento em que a amiga está contando o caso lésbico ela está de verde, ou seja, ela está entrando no mundo dele e ao final percebemos que ele dá um suspiro e um olhar que foi naquele momento que ela começa a mexer com ele. Logo assistimos ao trio na rua sendo que a amiga está de verde, ele também e a namorada destoando com outra cor. Ela já está ficando fora da vida dele. Não vou contar mais o desenrolar da narrativa, mas gostaria de destacar que ao final quando Baldwin está se despedindo do estudante eles retornam a rua por onde vieram no começo, ou seja, sai do seu interior, volta para o presente e para justamente no ponto onde eles se encontraram. O estudante está com a mesma roupa do começo. E faz um gesto contrário do que ele fez ao encontrar o arquiteto que é colocar os óculos e continuar na rua contrária. Baldwin segue adiante o seu caminho para a vida normal. Lindo. Antes de terminar gostaria de falar sobre a Melancolia Ozymandias. Woody Allen inventou essa melancolia em seu filme Memórias. Ozymandias foi um poema do século XIX de Percy Shelley em que há uma estátua no deserto, muito grande, e que tem a seguinte inscrição na base: “Meu nome é Ozymandias, Rei dos Reis. Contemplem a minha obra, ó poderosos, e desesperem”. O problema é que não há nada a sua volta. Então podemos concluir que tudo é passageiro. Nada vai resistir ao passar do tempo. Woody Allen já envelheceu e ele quer dizer que sua obra não vai resistir aos séculos que se passaram como foi com Ozymandias. Isso vale para todos nós. Enfim, para mim, mais um filme maravilhoso de Woody Allen.
    Rafael A.
    Rafael A.

    Segui-los 13 seguidores Ler as 40 críticas deles

    4,0
    Enviada em 4 de maio de 2013
    Woody Allen é um dos melhores diretores de cinema da atualidade. Pouco compreendido em Hollywood, teve muito dos seus filmes deixados de lado quando tratava-se de premiações importantes, porém o diretor nunca se deixou abalar e continuou com um trabalho primoroso que tem lhe rendido novos fãs. O diretor “neurótico e brilhante” levou as telas seu novo longa chamado “Para Roma Com Amor”, que conta com apresença de atores como: Woody Allen, Alec Baldwin, Roberto Benigni, Penélope Cruz, Judy Davis, Jesse Eisenberg, Greta Gerwig e Ellen Page. O filme conta 4 histórias paralelas, que se tocam por semelhanças. Uma delas, mostra um casal americano, vivido por Woody Allen e Judy Davis, que viajam para Roma para conhecer a família do noivo de sua filha. Durante a viagem, todos tem que lidar com as neuroses do pai da noiva (Woody Allen) que está frustrado por ter se aposentado e ainda quer voltar à ativa. Em outra história, Leopoldo, vivido por Roberto Benigni, é um homem comum que é confundido com uma celebridade, e sua vida vira de cabeça para baixo literalmente do dia para a noite com o assédio da imprensa. De outro lado, há a história de um arquiteto da Califórnia, vivido por Alec Baldwin, que visita a Itália com um grupo de amigos e que acaba se envolvendo com as confusões sentimentais de um jovem americano vivido por Jesse Eisenberg. A última história é de um casal jovem recém-casado, que se perdem pelas confusas ruas de Roma. “Para Roma Com Amor” tem a essência de Woody Allen, os diálogos ricos, uma fotografia lindíssima e muita confusão! O filme, aliás, se destaca muito por contar 4 histórias com personagens completamente diferentes, mas que se tornam completamente iguais ao decorrer do filme. Conflitos sentimentas, amorosos e éticos são vistos com muita propriedade e humor. Chama a anteção o ator italiano Roberto Benigni, que traz uma linguagem toda diferente dos demais. Com um estilho “Chapliniano”, se é que podemos dizer isso, Benigni tem suas facetas exploradas de uma maneira muito rica! É um ator que chama muita atenção pela simplicidade de seus atos e pela qualidade dos mesmos. O filme “Para Roma Com Amor” está longe de ser um dos melhores feitos por Woody Allen, é uma comédia circense que explora situações cotidianas de uma maneira cômica. O longa tem textos ótimos, e muitas vezes rimos com as situações em que os personagens se encontram, porém é um filme simples e que entraria no meio da prateleira de Allen. Bom filme para ver, relaxar e se entreter. Mesmo assim, merece uma boa nota devido à qualidade da história, roteiro e fotografia, que tem em Roma uma paisagem natural para as comédias de Woody Allen.
    Aldo C.
    Aldo C.

    Segui-los 10 seguidores Ler a crítica deles

    3,0
    Enviada em 12 de julho de 2015
    Sempre vale a pena ver as Praças de Roma! filme sutil, algumas cenas engraçadas o final da aquela vontade de estar lá...
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top