Meu AdoroCinema
Duro de Matar - Um Bom Dia para Morrer
Sessões Vídeos Créditos Críticas dos usuários Críticas da imprensa Críticas do AdoroCinema Fotos
Filmes Online Curiosidades Bilheterias Filmes similares Notícias
Críticas AdoroCinema
4,0 Muito bom
Duro de Matar - Um Bom Dia para Morrer

Tal pai, tal filho

por Roberto Cunha
Mais de duas décadas depois do primeiro Yippee-ki-yay proferido pelo "caubói americano" para provocar o russo Hans Gruber (Alan Rickman) em Duro de Matar (1988), eis que o bom e velho John McClane (Bruce Willis ) está de volta em 2013, resgatando - de alguma forma - essa antiga rixa entre Estados Unidos e Rússia. E isso é bom? A resposta tem ligação direta com o que você procura ao se interessar por um título como esse. E se a busca é por diversão conjugada com ação ininterrupta, pode separar o dindin porque o ingresso vale o que está escrito.

Foto - FILM - Good Day to Die Hard : 181111Sob o pretexto de explorar um fiapo de história também do filme original, quando uma foto da família do herói exibia um casal de filhos pequenos, Duro de Matar - Um Bom Dia para Morrer mergulha nesse (quase) sempre complicado relacionamento entre filho e pai, ainda mais quando esse último é da polícia, meio ausente coisa e tal. Dito isso, McClane descobre que o filhão já adulto (Jai Courtney), que ele não vê e não fala há um tempão, foi preso na Rússia. Ele corre lá para tirar isso a limpo, e acaba se deparando com uma trama regada a resquícios da antiga União Soviética e da usina nuclear de Chernobyl. Ou seja, não é preciso um contador Geiger para detectar que a dupla vai tocar o maior rebu no pedaço.

Foto - FILM - A Good Day to Die Hard : 181111Para a turma que já conhece o estilão do policial nova-iorquino, estão lá todos os trejeitos e o sarcasmo que fizeram escola no cinema de ação da década de 80 e hoje marcam presença na cartilha de muito ator, aspirante a astro no gênero. Logo no começo, Willis contracena com a figuraça Pavel/Pasha Lychnikoff, ator russo que já bateu ponto em diversas produções como vilão, e nesta mostra talento para o humor. O momento se passa dentro de um táxi ao som de "New York, New York", eternizada na voz de Sinatra, aqui engraçadamente cantada com sotaque do velho continente. Daí em diante, são sequências insanas de ação, com a mentirada comendo solta e, claro, com altas doses de licenças criativas.

Foto - FILM - Good Day to Die Hard : 181111Assim, não faz o menor sentido ficar apontando falhas na continuidade, excessos do roteiro ou forçadas de barra para que determinadas situações se encaixem. Aqui tudo pode e cobrar realismo seria pura insanidade. Quando o assunto é perseguição de carros, a destruição é em massa. Se você está mirando nos tiroteios, munição é o que não falta. E se o deboche é o sarro que te dá prazer, divirta-se com piadas sobre velhice, calvície (olha o realismo aí, gente!), os anos 80, James Bond e por aí vai.

Entre as curiosidade, tem música brasileira em momento "sacaninha" e um emblemático CCCP, tatuado nas costas de um dos vilões, poderia ser melhor aproveitado para simbolizar a eterna rivalidade entre as potências: URSS x EUA. Portanto, um trocadilho infâme como "é duro de não gostar" resumiria bem a divertida experiência de assistir este longa, mas seria injustiça deixar de citar que rolou uma química boa entre os atores e funcionou o papinho de pai pra filho antes, durante e depois da ação. E o que se descobre na sala escura é que se ele não procura as encrencas, elas encontram ele e, em se tratando do clã McClane, é tal pai, tal filho. A semente já germinou. Que venha a sequência!
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema

Comentários

  • Alexandre Henry A.

    O roteiro realmente é fraco, mas quando você vai assistir a um filme desses, não está tão preocupado com o roteiro. As cenas de ação puxam o espectador para o cinema e não decepcionam. A perseguição inicial do filme pelas ruas de Moscou é muito bem feita, exagerada como convém ao gênero, mas muito bem feita. Nunca vi tanta destruição de carro! Enfim, o filme é só diversão e adrenalina, nada mais. Se é isso que você quer, então é o filme certo.

  • Almir S.

    FRACO. Filminho bem ruim, aliás, toda a série não é lá essas coisa, mas esse...
    E o pior desse filme é o Bruce Willis ficar com um sorrisinho no canto da boca o filme todo e com piadinhas sem graça.

  • FABIO A.

    eu gostei do filme ,realmente nao é aquelas coisas mas...tem muita açao uma historia legal .

  • Victor V.

    Filme de sessão da tarde, só vale a pena pelos efeitos especiais nas cenas de ação.
    Péssima atuação do Bruce willis que fica repetindo a mesma frase o filme todo. Cenas super mentirosas e história nem um pouco empolgante.

  • Gustavo S.

    Não achei o filme ruim,a trama não é bem trabalhada,mas gostei das cenas de ação (mesmo elas sendo extremamente mentirosas).

  • Felipe Barbosa

    O Filme tem boas cenas de ação, mas a história é fraca.

Mostrar comentários