Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    A Família Addams
    Críticas AdoroCinema
    3,0
    Legal
    A Família Addams

    O estranho encontra o padrão

    por Barbara Demerov
    Todos os integrantes da família Addams sempre foram apresentados como pessoas (ou criaturas) fora do padrão, tanto nos filmes com Anjelica Huston e Raúl Julia quanto na série televisiva. E era exatamente isso que os tornava tão especiais: os Addams sempre souberam que, além da união, o que os mantém tão fortes é o fato de todos serem "estranhos" perante ao mundo e se orgulharem muito disso. Na animação A Família Addams, que também se encaixa como história de origem, acompanhamos uma direção contrária à imagem que eles sempre tiveram, com base no sentimento de pertencimento ao invés de isolamento.

    Apesar de possuir traços infantis (especialmente no tipo de animação e no uso de cores), o filme não deixa de lado discussões realmente pertinentes; como, por exemplo, a intolerância (e até hostilidade) de pessoas que construíram a ideia de que todos sejam iguais e se encaixem dentro de um padrão que, na verdade, não existe. Os Addams, que prezam por tudo o que é soturno, estranho e diferente, vêem sua rotina mudar ao perceberem que uma pequena cidade se instaurou no local onde antes era um pântano. Com casas coloridas, ruas limpas e pessoas felizes o tempo todo, logo a grande mansão na cor preta é vista ao longe, invocando uma vontade da líder daquele local, uma apresentadora de TV, transformar aquele lar em um produto que se encaixe no seu molde.



    Ao mesmo tempo, a filha mais velha de Mortícia e Gomez, Wandinha, é a fonte da reflexão sobre adequação perante a sociedade. A menina gótica que adora brincar com facas e armas conhece uma garota "normal" que vive além da propriedade dos Addams, percebendo, assim, que há muito a aprender fora dos portões. Ela chega a perguntar ao tio Chico o que ele faz durante suas longas viagens e o que já viu do mundo com uma curiosidade imensa, enquanto a mãe lhe priva de tais informações por querer protegê-la.

    É o caso de uma puberdade relacionada diretamente ao desejo de ser livre, sem necessariamente ficar longe da família. Wandinha e a nova amiga trocam de "identidade" em passagens cômicas (como na cena em que elas vestem roupas contrárias às suas personalidades), mas a mensagem de que é preciso entender que sempre existe mais de uma perspectiva para encontrar identidade própria é bem clara.

    Como contraponto a tais temáticas sensíveis que são tocadas pelo roteiro, A Família Addams ainda leva com certa ingenuidade e rapidez alguns pontos da narrativa, como a trama que envolve a apresentadora de TV e vilã da animação. Se é que pode ser chamada de redenção, o twist que é inserido a fim de colocar um ponto final na trama é apressado demais e, além disso, recorre ao caricaturesco. No entanto, é de se elogiar a dinâmica entre todos os Addams, especialmente considerando que o filme conta a origem de todos - desde o casamento de Mortícia e Gomez, a entrada de Tropeço à família e a inusitada relação entre Wandinha e Feioso, com todas as brincadeiras mortais que possam existir. Apesar de um tanto simples, a história homenageia com afeto os dois filmes da década de 90 e ainda estende este universo peculiar a uma nova geração que talvez ainda não conheça a carismática música-tema.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top