Minha conta
    Pais & Filhos
    Média
    4,0
    56 notas
    Você assistiu Pais & Filhos ?

    12 Críticas do usuário

    5
    3 críticas
    4
    7 críticas
    3
    1 crítica
    2
    1 crítica
    1
    0 crítica
    0
    0 crítica
    Sidnei C.
    Sidnei C.

    Segui-los 101 seguidores Ler as 101críticas deles

    4,0
    Enviada em 29 de junho de 2014
    Confesse que você deve torçer o nariz à hipótese de assistir um drama japonês moderno. Com exceção dos verdadeiros "Westerns Samurais" de Akira Kurosawa, o público tem o preconceito de achar que filmes orientais em geral são parados, monótonos e frios. Além disso, a temática de bebês trocados na maternidade já foi tão abordada em novelas mexicanas e brasileiras, que ninguém pode supor que um assunto assim possa render um filme sério, delicado e extremamente humano.

    Pois é tudo isso que este Pais e Filhos é. O diretor Koreeda é atualmente um dos mais respeitados e premiados diretores asiáticos. Sua marca registrada: atuações impecáveis do elenco, planos e sequências elegantes e uma trilha marcante que conduz a narrativa. Não é diferente com este último filme do diretor, mas que neste drama intimista familiar pode ser apreciado por qualquer um não-iniciado em filmografias e estilos menos comerciais. O diretor Steven Spielberg quando presidiu o Festival de Cannes ano passado, ficou tão encantado com esta bela narrativa que comprou os direitos para uma refilmagem americana.
    Conselho de amigo: corra logo à locadora mais próxima e veja esta versão original antes que algum produtor e/ou diretor americano desprovido de sensibilidade e talento cometa o crime de transformá-lo num remake fora de contexto, como aconteceu com Dança Comigo. Embora o tema do filme possa lembrar uma açucarada novela mexicana, Pais e Filhos evita o tom melodramático e piegas que o assunto pode supor. A transformação de Ryota ao tomar consciência de sua recusa em assumir sua paternidade pode até parecer repentina, mas a passagem do tempo marcada pelo filme demonstra o longo caminho percorrido pelo personagem.

    Pais e Filhos é um adorável drama familiar, além de para nós, ocidentais, servir como um mergulho na vida cotidiana japonesa dos dias de hoje. Se você nunca imaginou se emocionar com um filme japonês, deixe a caixa de lenços à mão. Muitos pais, mães e filhos de diversas idades irão se identificar com esta história atemporal sobre a importância dos laços afetivos que a convivência cria e que superam barreiras e transcendem o parentesco de sangue. Com um roteiro sensível e bem desenvolvido e um elenco afiadíssimo - com destaque para a interpretação natural e convincente das crianças, este filme vai quebrar definitivamente seu preconceito em relação a filmes de nacionalidades pouco corriqueiras no nosso mercado exibidor.
    Matheus A.
    Matheus A.

    Segui-los 24 seguidores Ler as 13críticas deles

    4,5
    Enviada em 16 de janeiro de 2014
    Filme singelo e sensível, que emociona e nos faz refletir sobre temas de suma relevância, como as entidades familiares e o estabelecimento de seus laços e relações; no caso da película, em uma situação muito incomum e turbulenta, de forma muito bela e interessante.
    O elenco (tanto adulto quanto mirim) é excelente, especialmente Masaharu Fukuyama, que interpreta o patriarca da família Nonomiya: Ryota, um típico workaholic que mal passa tempo em seu luxuoso e silencioso apartamento, e que tem como principais características sua frieza e egocentrismo, provindos da escassez de uma relação afetiva com seus próprios pais, o que inevitavelmente reflete em seu núcleo familiar e o torna marido e pai omisso emocionalmente durante boa parte da película. Do lado oposto da cidade, ao atravessar um enorme campo de torres de rádio que separa o lado nobre da periferia (uma das cenas que demonstra o potencial da bela direção de fotografia do filme), somos apresentados à família Saiki, a qual Lily Franky interpreta o pai, Yudai, um vendedor de origem humilde, que, resumidamente, é por essência o oposto de Ryota.
    O roteiro é excepcionalmente bem construído e tem como maior virtude o fato de humanizar de forma muito competente todos os personagens do longa, fazendo com que, apesar de todas as ações, o espectador não consiga sentir real antipatia nem com a arrogância de Ryota, ao sugerir debochadamente ao filho que chamasse Yudai para consertar a porta do armário da cozinha, tampouco com a infantilidade exacerbada do próprio Yudai.
    Por fim, "Pais & Filhos" é um lindo filme que sem dúvidas merece ser apreciado, e que mostra que o verdadeiro amor e afeto independe dos laços de sangue.
    Phelipe V.
    Phelipe V.

    Segui-los 416 seguidores Ler as 204críticas deles

    4,5
    Enviada em 31 de outubro de 2013
    Filme excepcional. Não tenho nem muito o que dizer. Me pegou de jeito, me jogou no chão e me imobilizou. Roteiro excepcional, nocauteia de forma profunda. E é tão real... mostra uma verdadeira Escolha de Sofia dentro de uma sociedade patriarcal como a japonesa, e, mesmo assim, é um filme extremamente universal que funciona e sempre irá funcionar com o mundo todo. Concordo com o comentário geral sobre terminar a narrativa numa foto em família - eu imaginei que terminaria ali e tava pronto pra dar 5 estrelas. Mas não termina, e é até bom que não acabe ali pra terminar a história da forma como Koreeda queria. Dá uma levíssima arrastada em alguns momentos, mas que filme!!! E Masaharu Fukuyama é ator demais, pqp!
    Ricardo L.
    Ricardo L.

    Segui-los 43.916 seguidores Ler as 2críticas deles

    4,0
    Enviada em 20 de outubro de 2018
    Muito bom filme Japonês! aqui temos cara de filme de Ozu, que prezava a família e suas relações controvérsias e amorosidades de forma tão impar. Temos aqui um roteiro sublime, muito bem definidos, apesar da pequena falta de cinematográfica, mas impactar diretamente numa história comovente e realista.
    m.isis
    m.isis

    Segui-los 15 seguidores Ler as 14críticas deles

    5,0
    Enviada em 4 de outubro de 2015
    Filme lindo, sensível e delicado . Como lidar com a troca de bebês na maternidade? Um filme emocionante que nos leva a refletir sobre vínculos, crenças, alegria, conceitos de felicidade....imperdível!
    Cid V
    Cid V

    Segui-los 86 seguidores Ler as 285críticas deles

    4,0
    Enviada em 23 de maio de 2020
    Ryota (Fukuyama) é um bem sucedido e competitivo homem de negócios e obcecado pelo seu trabalho. Embora seja bem casado com Midori (Ono), parece algo ressentido pelo filho de ambos, Keita (Ninomiya), não apresentar um talento especial e fibra para nada em que se mete a fazer. O casal recebe uma notificação do hospital em que Midori teve seu filho e ficam sabendo que, na verdade, houve uma troca de crianças, e que o filho natural do casal é Ryusei (Hwang) que vive com um casal de comerciantes, Yukari (Maki) e Yudai (Franky), e dois irmãos mais jovens. Tentando inicialmente fazer com que as duas crianças tenham experiências graduais em outras famílias, em pouco tempo Ryota pretende que cada um fique com seu filho natural e não mais mantenha relações com a outra família.

    Mais em: https://magiadoreal.blogspot.com/2020/05/filme-do-dia-pais-e-filhos-2013.html
    Vagner G.
    Vagner G.

    Segui-los 7 seguidores Ler as 24críticas deles

    4,0
    Enviada em 7 de maio de 2020
    Um ótimo Drama, o final deixa em aberto mas mesmo assim passa uma linda mensagem recomendo pra quem curte historias de famílias,pena não achar dublado PT-BR
    jpaschoal
    jpaschoal

    Segui-los 3 seguidores Ler as 37críticas deles

    3,5
    Enviada em 1 de junho de 2014
    A partir de um tema polêmico o filme revela os diferentes mundos de um homem obcecado pelo trabalho e dinheiro e que se esquece de sua familia e outra situação: um homem pobre, mas feliz e que coloca a familia em primeiro lugar. Ótimos atores. Recomendo.
    Ricardo  Lino
    Ricardo Lino

    Segui-los 3 seguidores Ler as 9críticas deles

    4,5
    Enviada em 24 de agosto de 2014
    Muito bom. Um drama q nos faz refletir sobre muitas coisa, especialmente onde esta a real felicidade pra uma criança. E até como afeta os adultos.
    Além disso oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o Japão.
    Gabriela L.
    Gabriela L.

    Segui-los 2 seguidores Ler a crítica deles

    2,0
    Enviada em 26 de dezembro de 2013
    nãao tem a sessão para dia primeiro de janeiro deveria ter meu... pq vou no cinema nesse dia
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    • Melhores filmes
    • Melhores filmes de acordo a imprensa
    Back to Top