Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Rio 2
    Média
    4,2
    1807 notas e 139 críticas
    distribuição de 139 críticas por nota
    55 críticas
    32 críticas
    32 críticas
    14 críticas
    3 críticas
    3 críticas
    Você assistiu Rio 2 ?

    139 críticas do leitor

    Valerio M.
    Valerio M.

    Segui-los 1 seguidor Ler as 14 críticas deles

    4,5
    Enviada em 30 de março de 2014
    Saí do cinema com minhas filhotas e uma delas disse : - Pai, foi bem mais divertido do que o primeiro. E concordo inteiramente com ela! Há momentos do filme em que vc se "acaba de rir". Muito muito bom ! Recomendo!
    Marcos S.
    Marcos S.

    Segui-los 17 seguidores Ler as 4 críticas deles

    4,0
    Enviada em 31 de março de 2014
    Acima de tudo, Rio 2 é um filme infanto-juvenil. Desmatamento, espécie em perigo de extinção, disputa de territórios, relações interpessoais (como a de Blu e seu sogro), vingança (Nigel) e decepção amorosa (a de Gabi, a rã "tóxica")... Muitas informações com um desenrolar quase que irregular no roteiro, Rio 2 aposta em músicas e coreografias surpreendentes do início ao fim. A primeira metade do filme é reservada aos risos e boas piadas, já a segunda metade, além de rápida, o roteiro deixa o bom humor um pouco reservado. Em se tratando de um longa para crianças, o filme passa todas os valores necessários como a importância da família, dos amigos e de como encarar fracassos. Em respeito à cultura brasileira estamos bem servidos. A festa de reveillón na praia de Copacabana e o roteiro de viajem até o estado do Amazonas foi muito bem mostrado, imprimindo na tela peculiaridades mineiras, baianas, goianas, mato-grossenses e manauaras. A disputa de território encabeçada pelas araras vermelhas nos dá a leve impressão da grande disputa de Parintins-AM, quando todo o mês de junho os bois Caprichoso e Garantido (azul e vermelho respectivamente) lutam numa competição onde todos ganham. Mas um pouco mais da cultura amazonense não faria mal ao longa, já que as araras citam a importância das castanheiras para sua sobrevivência e comem abundantemente o açaí. Definitivamente se trata de um filme sério, com ritmo um pouco acelerado, mas com conceito de arte chegando na excelência. Em 1h42 de duração, Rio 2 mostra com transparência o "jeitinho brasileiro" que se dá para tudo, até para o combate ao desmatamento da Amazônia.
    Patricia M.
    Patricia M.

    Segui-los 8 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 30 de março de 2014
    se alguém achou bom o primeiro, o segundo está muito, muito melhor, fantástico, é o tipo de filme que vc quer ter em casa para assistir de vez em quando com a família, ainda mais em 3D. Simplesmente adorei, ótima coreografia, ótima canção, tudo de bom, vale a pena mesmo. Vamos assistir no cinema de novo.
    anônimo
    Um visitante
    2,0
    Enviada em 27 de julho de 2014
    Agora com todos os personagens muito mais conhecidos,Rio 2,não é uma grande contrário do filme anterior,a nova aventura de Blu,agora conta com sua extensa famí apenas a história inicial começa no se tenta tomar outros (vôos) na do mas para um lado educativo,e também cultural da região Amazônica.O filme conta com muitas músicas bem animadas,mas também com momentos que já são a cara de animação conteúdo,e principalmente com a aparição de bastantes personagens,que na verdade aparece por muito pouco tempo e não soma em praticamente em nada pra história ser verdadeiramente engraçada.
    Layra S.
    Layra S.

    Segui-los 4 seguidores Ler a crítica deles

    3,0
    Enviada em 30 de março de 2014
    As luzes se apagam, o filme começa e você já sabe o que está por vir, afinal, o tema da Fox é tocado em ritmo de samba. Logo em seguida somos levados a dar um passeio pelo réveillon de Copacabana. A cor tradicional da passagem de ano, o branco, só se encontra na parte “humana” da praia. O espetáculo de penas coloridas nos agracia no próximo instante. Assim conhecemos a família de Blu e Jade que cresceu com seus três filhinhos: uma adolescente que vive com os fones no ouvido, outra estudiosa sempre armada com uma enciclopédia e um mocinho levado que adora futebol. Ou seja, a típica família brasileira. Contudo, a vida tranqüila e sociabilizada das ararinhas se acaba quando eles decidem partir em uma viagem rumo a Amazônia, ao lado de Nico, Pedro e Rafael, para ajudar possíveis outros exemplares da espécie que estão por lá. Se aventurando por aqueles lados também estão Túlio e Linda. Assim, com GPS em pés e uma pochete hilária, Blu parte com a família e os amigos, mostrando as maravilhas do interior do Brasil ao passar por Ouro Preto, Brasília e Salvador. No meio disso tudo, Nigel, a cacatua que no momento mais se parece uma galinha, está em busca de vingança. Mas ele não vai sozinho não: ao seu lado vai Gabi, uma rãzinha com um tom todo trágico e Shakespeariano apaixonante e Carlitos, um tamanduá mudo de chapéu coco. Ao chegar à selva a aventura está formada, pois ao mesmo tempo em que descobrimos que o pai de Jade se encontra por lá, vemos também Túlio e Linda se deparando com madeireiros ilegais desmatando a floresta. Como se não bastasse ainda tem o Nigel. Blu se vê perdido nisso tudo, pois embora queira sempre agradar sua esposa sabe que seus modos não se adéquam a mata. Começa então um confronto entre Blu e seu sogro, ou seja, a previsível desavença entre civilização e selvageria. Previsível também é a presença de Roberto, o George Clooney das araras-azuis. Um pássaro carismático e corajoso, amigo de infância de Jade, que faz com que Blu se sinta completamente inadequado. A parte mais engraçada do filme acontece quando Nico, Pedro, Rafael e Carla fazem uma seleção de novos talentos para o Carnaval. As tartarugas lutando capoeira fizeram o cinema gargalhar, assim como a orquestra sinfônica de mosquitos que tem seu fim quando um deles é morto com os dizeres: “AH! É Dengue!”. Para complicar ainda mais a história, o sogro de Blu tem suas próprias desavenças com as araras-vermelhas que são resolvidas de uma maneira bem criativa: a partir de um jogo de futebol. Esse detalhe tem uma riqueza cultural enorme visto que em Parintins, Amazonas, há um famoso festival folclórico onde no fim existe uma disputa entre dois bois: um azul outro vermelho. O desenrolar da história é óbvio: os animais devem se unir para salvar a floresta do desmatamento. Mas isto é abordado de uma maneira tão bonita que o aprendizado é natural. É impossível não sentir um apertinho no coração quando Blu abre as asas e se vê rodeado de destruição. Acredito que a mensagem tenha sido passada sem aquela eco-chatice. Algumas vezes a trama se embaraça e personagens são esquecidos, mas no fim da tudo certo. Sem contar a trilha sonora que é incrível! Dá vontade de levantar da poltrona e sair dançando, os tambores tocam lá no fundo da alma. Ainda assim, é visível que inexiste o charme encontrado no primeiro. Mas dá pra ir ao cinema com a criançada sem resmungar e levar pra casa uma educação ecológica importantíssima aprendida à base de boas risadas, pipoca e refri.
    vitor m.
    vitor m.

    Segui-los Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 23 de abril de 2014
    EU E MINHAS IRMAS FOMOS ASSISTIR RIO 2 E ELAS ADORARAM E EU ACHEI MUITO MAIS LEGAL,DIVERTIDO,ENGRAÇADO, E EDUCATIVO POR QUE NA SAÍDA DO CINEMA ELAS ME DISSERAM: VITOR NOS TEMOS QUE PRESERVAR A NATUREZA SE NÃO COMO AS ARARAS VÃO VIVER? EU FIQUEI IMPRESSIONADO PORQUE ELA NUNCA TINHA DITO ISSO.... O RIO 1 FALAVA MAIS SOBRE PRESERVAÇÃO DAS ESPECIES E DO CONTRABANDO DAS ARARAS. JÁ O RIO 2 FALA SOBRE A SOBREVIVENCIA DAS ARARAS QUE VIVEM DISFARÇADAS DE OUTRAS ESPECIES PARA NÃO SEREM ATACADAS PELO HOMEM QUE SÓ PENSA EM SI MESMO E NA COBIÇA DO DINHEIRO E NÃO VEM OQUE E REALMENTE IMPORTANTE QUE E ADMIRAR E SENTIR QUE TODOS NÓIS FAZEMOS PARTE DA NATUREZA . AGORA PENSE EM TODOS OS ANIMAIS QUE ESTÃO EM ESTINÇÃO TODOS ELES SÃO LINDOS E TINHAM UM PAPEL UMA FUNÇÃO ALI ENTÃO DEVEMOS PRESERVAR AQUILO QUE FAZ PARTE DE NOIS!!!!!!
    Thalita Uba
    Thalita Uba

    Segui-los 55 seguidores Ler as 52 críticas deles

    3,5
    Enviada em 26 de março de 2014
    Não dá pra dizer assim que é uma obra-prima. Mas o novo filme de Carlos Saldanha certamente é interessante. Além de divertir e descontrair um bocado, "Rio 2" traz uma mensagem de conscientização muito bacana e importante. Pois bem, enquanto Rio explorava a questão do tráfico de animais, essa sequência traz à tona o desmatamento da floresta amazônica e a consequente extinção dos animais que lá vivem. O assunto é tratado de maneira muito digna e faz um alerta importante quanto a esse eterno problema. Além disso, as dificuldades que Blu – um pássaro “da cidade” – tem para se ambientar na floresta e seu recém-porém-já-complicado relacionamento com o sogro também são bastante focados na trama. Sem contar a vingança de Nigel, a busca de personagens secundários por um talento para levar para o carnaval do Rio, a rixa das araras azuis com as vermelhas e mais algumas outras coisas. Como deu pra perceber, o que acontece é que a história acaba, muitas vezes, se perdendo em tantas subtramas. Uma falha de roteiro e, também, de edição. Por vezes, o foco fica centralizado tempo demais em algo um tanto banal, deixando em segundo plano histórias que despertariam mais interesse no espectador. Por outro lado, o filme é divertidíssimo. Boas tiradas (às vezes com uma pitadinha de humor negro), belas músicas e performances musicais e incorporações muito bem elaboradas da vida humana à realidade dos pássaros. Além disso, o filme é lindo. Absolutamente lindo. As cores, os detalhes, o cuidado com que cada animal foi desenhado e a adaptação maravilhosa das paisagens fazem da produção um verdadeiro desbunde visual, daqueles que não precisa nem ver o filme em 3D pra apreciar. Bem legal. Pode ser que não seja a melhor animação do ano, mas certamente vale a ida ao cinema. Nem que seja pra se deslumbrar e descontrair um pouco.
    Andrea C.
    Andrea C.

    Segui-los 5 seguidores Ler as 8 críticas deles

    4,0
    Enviada em 24 de abril de 2014
    Leve, lindo, animado !! Mil vzs melhor q o 1 !! Adorei !!
    ymara R.
    ymara R.

    Segui-los 541 seguidores Ler as 262 críticas deles

    1,0
    Enviada em 30 de abril de 2014
    chato, arrastado e a trilha sonora uma porcaria.. o Brasil continua tendo berimbau, samba, mulatas e tambores africanos.. mais nada.. eu nao moro aqui entao.. cruzes!!!!
    Paulo Ricardo Z.
    Paulo Ricardo Z.

    Segui-los 14 seguidores Ler as 2 críticas deles

    4,5
    Enviada em 13 de abril de 2014
    Filme top demais! Animação fantástica! Engraçado, história legal, e mostra o Brazil como ele mesmo é. Recomendo!
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top