Minha conta
    Diplomacia
    Média
    3,8
    26 notas
    Você assistiu Diplomacia ?

    6 Críticas do usuário

    5
    1 crítica
    4
    2 críticas
    3
    3 críticas
    2
    0 crítica
    1
    0 crítica
    0
    0 crítica
    Nelson J
    Nelson J

    Seguir usuário 37.373 seguidores Ler as 1.421 críticas

    3,5
    Enviada em 26 de janeiro de 2016
    Filme muito interessante sobre a decadência do nazismo na II Guerra Mundial. irritado pela destruição de Berlim, que para Hitler representava a Paris dos nazismo, ele ordena a destruição de Paris e de seus maiores monumentos, com a potencial morte de mais de 1 milhão de civis. Hitler sabia que os aliados tomariam Paris e para ter certeza do cumprimento da sua ordem esdrúxula, assinou um decreto que permitia a prisão e condenação de familiares de generais que desobedecessem suas ordens. É neste clima que surge o cônsul da Suécia, que era neutra, para dialogar com o general e evitar tamanha destruição. Bons diálogos, muita reflexão e tensão sobre um evento desastroso que acabou por não acontecer.
    Paulo A.
    Paulo A.

    Seguir usuário 18 seguidores Ler as 13 críticas

    3,5
    Enviada em 6 de fevereiro de 2016
    UMA DECLARAÇÃO DE AMOR A PARIS
    Muito oportuna, aliás! Mas, o que há para dizer deste filme, baseado em história de jornal, adaptada para um livro e peça teatral, e agora para as telas, é de que o grande cineasta alemão Volker Schlöndorff continua em forma.
    E o que isso quer dizer? Continua mestre na arte de iluminar um caso, iluminar uma história, mesmo que não tenha assim ocorrido de fato? Sim, mas não apenas isso. Nascido no contexto do cinema novo alemão, como seus conterrâneos, Herzog, Fassbinder, Von Trotta, Wim Wenders, Schlölondorff é talvez um dos menos conhecidos de um público maior. Cinéfilos não contam, no caso! Mas, se tivesse apenas feito "O Tambor", já estaria no panteão dos grandes da história do cinema alemão, do cinema de resistência, do cinema social e político.
    O anterior que tivemos oportunidade de assistir apenas na TV, "O mar ao amanhecer", de 2011, também produzido na França, como este "Diplomacia", é um primor de poesia ao tratar mais uma vez do tema que não quer calar na história do Séc. XX, a Segunda Guerra Mundial, o Nazismo e tantos outros autoritarismos responsáveis pelas atrocidades contra os seres humanos frágeis e desprovidos do mínimo de proteção.
    Duas convivas na sala de cinema, ao final da sessão em que assisti ao pequeno filme de Schlölondorff, disseram no frescor de suas conjecturas sobre o que acabaram de ver: não fossem os atores, a história é bobinha, ou coisa que o valha. Talvez, por não terem ainda vivido o suficiente e/ou tomado pulso do que foi e tem sido a história dos povos, diante das guerras, ditaduras, regimes obscuros, repressão, crime organizado, enfim, eram duas jovens moças, talvez não tivessem vaticinado tanta irresponsabilidade para com o veterano diretor. Tinham razão no plano do trabalho dos dois atores, de fato, detentores de uma força de interpretação e carisma, prendendo a atenção dos espectadores. Tivessem um pouco mais de história, lembrariam de outros trabalhos do cineasta alemão e melhor, de tantos outros filmes que trataram dos temas pungentes da guerra.
    Se foi daquele jeito ou não que se evitou que Paris fosse destruída, pouco importa. O que importa é que Paris não foi destruída, como foi Berlim, por puro ato de vingança de Stalin, contra Hitler que havia perpetrado carnificina e destruição urbanística em Leningrado. Além das perdas humanas, claro, o maior crime, a destruição de patrimônios que não são apenas das populações das cidades ou dos países em questão, mas da humanidade, a insânia de tiranos como sabemos não tem limites.
    Infelizmente, a história continua se repetindo com os episódios perpetrados por grupos como o EI, que advoga pela primazia da "melhor" interpretação do Alcorão. E, com isso, decapita pessoas e destrói patrimônios arquitetônicos e artísticos, não de um país ou de um povo, mas da humanidade. Isso é intolerável!
    Marco G.
    Marco G.

    Seguir usuário 436 seguidores Ler as 244 críticas

    4,0
    Enviada em 9 de janeiro de 2016
    Filme bem feito alemão que trata da negociação do diplomata sueco e o general alemão para que a cidade de Paris não fosse destruída pelos nazistas. Bom.
    Julio Davila
    Julio Davila

    Seguir usuário 13 seguidores Ler as 64 críticas

    3,0
    Enviada em 8 de setembro de 2015
    É cansativo e as vezes beira o tedio, mas o diálogo e a construção dos personagens, utilizando elementos simples, é impressionante. Nota:6
    Valeria M.
    Valeria M.

    Seguir usuário Ler a crítica

    4,5
    Enviada em 21 de janeiro de 2016
    O filme mais emocionante que assisti em toda a minha vida!
    Inesquecível! No final foi aplaudido pelo público que encheu a sala do Cine Jóia Copacabana!
    Excelentes atores! Parabéns André Dussolier e Niels Arestrup!
    Cleber R.
    Cleber R.

    Seguir usuário Ler a crítica

    5,0
    Enviada em 20 de janeiro de 2016
    Obra prima.
    Melhor filme de 2015.
    Atuação extraordinaria de dois atores fantasticos
    em um roteiro perfeito e uma direção irretocavel,
    além de ser um hino de amor á Paris.
    Enquanto isso as salas bombam com "vai que dá certo" e outras imbecilidades.

    Cleber Rezende.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    • Melhores filmes
    • Melhores filmes de acordo a imprensa
    Back to Top