Meu AdoroCinema
Michelangelo Antonioni
facebookTweet
Atividades Diretor, Roteirista, Montador mais
Nacionalidade Italiano
Nascimento 28 de setembro de 1912 (Ferrara, Emilia-Romagna, Itália)
Morte 30 de julho de 2007 aos 94 anos de idade (Roma, Lazio, Itália)
68
anos de carreira
25
filmes e séries lançados

Biografia

- Em 1985 sofreu um derrame, que deixou parte de seu corpo paralizado e o impossibilitou de falar;- O Oscar que ganhou foi roubado de sua casa, em dezembro de 1996.

Filmografia

Coração Vagabundo
Coração Vagabundo
24 de julho de 2009
Eros
Eros
Data de lançamento desconhecida
Além das Nuvens
Além das Nuvens
Data de lançamento desconhecida
12 registi per 12 città
12 registi per 12 città
1 de janeiro de 1990
Identificação de uma Mulher
Identificação de uma Mulher
Data de lançamento desconhecida
Quarto 666
Quarto 666
Data de lançamento desconhecida
O Mistério de Oberwald
O Mistério de Oberwald
Data de lançamento desconhecida
Toda a filmografia

Fotos

124 Fotos

Notícias

Ator francês Alain Delon anuncia aposentadoria
NOTÍCIAS - Personalidades
quarta-feira, 10 de maio de 2017
Mostra realizada pelo CCBB traz todos os filmes de Michelangelo Antonioni
NOTÍCIAS - Lançamentos
domingo, 23 de abril de 2017
Retrospectiva completa da obra do renomado diretor italiano passará por Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.
Dia do Jornalista: Relembre filmes e séries sobre o jornalismo
NOTÍCIAS - Visto na Web
sexta-feira, 7 de abril de 2017
Uma lista de 25 produções de gêneros variados.
4 notícias sobre esta personalidade
Comentários
  • Rafael Vespasiano
    Blow-up:     Gosto muito do diretor Antonioni, mas nesse filme, ele não foi como costuma ser, ou seja, um gênio. Blow-up conta uma história interessante, mas fica nisso, para mim as interpretações dos atores ficaram a desejar também. Nota: 7.
  • Rafael Vespasiano
    Profissão Repórter:   Antonioni mostra um jornalista vivendo uma crise existencial, e além de tudo uma vida degradante, sem expectativa de melhora, quando surge uma oportunidade, digamos inusitada. Nicholson como sempre em ínterpretação excelente. Nota: dez.
  • Rafael Vespasiano
    Deserto vermelho:Antonionni meio que dá seqüência em Deserto Vermelho, a trilogia da incomunicabilidade (formada por A Aventura, A Noite e O Eclipse). Deserto Vermelho é mais uma vez uma reflexão sobre questões existenciais, envoltas numa atmosfera de amargura, solidão, melancolia e angústia. O silêncio é mais importante que mil palavras/diálogos, já diz tudo (os atores estão em ótimas atuações). Ótimo! Nota: 10.
  • Rafael Vespasiano
    Além das Nuvens:Mais uma vez Antonioni envereda pelas questões existenciais, nesse caso, um diretor de cinema (Malkovich impecável!), busca inspiração fazendo uma jornada por várias cidades italianas, porém essa jornada além de buscar inspiração para seu próximo filme, traz para ele reflexões e possíveis respostas para seu vazio interior. Nota: 7.
  • Rafael Vespasiano
    A noite:Uma verdadeira obra-prima do cinema intimista de Michelangelo Antonioni, segunda parte da famosa e dita "Trilogia da Incomunicabilidade", formada além de "A Noite", por "A Aventura" e "O Eclipse". Com "A Noite", Michelangelo Antonioni ganhou o Urso de Ouro no Festival de Berlim, em 1961, com uma direção primorosa e com atuações magníficas de Marcello Mastroianni, Jeanne Moreau e Monica Vitti! O casal vivido por Mastroianni e Moreau está passando por uma crise no seu relacionamento amoroso, além de cada um está passando por uma crise existencial pessoal e particular, temos também momentos muito melancólicos e angustiantes, mostrando o vazio/crise existenciais dos dois, muito bem explorado pelo diretor através de tomadas onde o silêncio contemplativo é total e vale mais que mil palavras! O casal embarca numa longa noite, onde terá que resolver todos os seus problemas de relacionamento entre si e consigos mesmos, para acontecer isso, terão que se comunicar, coisa difícil, nesse filme, dada a alta incomunicabilidade entre os dois. Obra-Prima do cinema intimista e reflexivo mundial! Antonioni é um verdadeiro gênio! nota: dez!
  • Rafael Vespasiano
    Zabriskie Point é um trabalho apenas regular, da excelente filmografia, do diretor Michelangelo Antonioni. Um produto da "contracultura", talvez por isso, visto no século XXI, pareça tão datado. É uma empreitada infeliz do cineasta italiano em Hollywood. Talvez o que mais se destaque no filme seja a frase: FUCK YOU, AMERICA!, o que levou à censura do filme, por parte dos produtores do mesmo à época. Regular.
Mostrar comentários
Back to Top