Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Little Fires Everywhere: 5 diferenças entre a série e o livro
    Por Katiúscia Vianna — 22 de mai. de 2020 às 17:51
    facebook Tweet

    Essa é para os fãs de carteirinha.

    Parceria de Reese Witherspoon e Kerry WashingtonLittle Fires Everywhere já está disponível no Brasil através da Amazon Prime Video. O AdoroCinema fez uma matéria com tudo que você precisa saber antes de assistir a série — inclusive, como ela é uma adaptação do livro "Pequenos Incêndios por Toda Parte", de Celeste Ng.

    Como normalmente acontece ao transferir uma história para outra mídia, a versão das telinhas apresenta algumas diferenças em relação à obra original. Se você já maratonou a série ou leu o livro, está na hora de listar as maiores discrepâncias entre as produções.

    Questão racial foi foco no show

    Nos livros, a raça de Mia (Kerry Washington) e Pearl (Lexi Underwood) nunca foi especificada, mas a autora Celeste Ng pensou nelas como personagens brancas, pois esse era seu local de fala. Na série, o contraste de Mia e Elena (Reese Witherspoon) não surge apenas por questões sociais, mas também por questões raciais, adicionando uma camada complexa na TV.

    "Foi uma mudança fundamental. Foi realmente empolgante, pois nos deu a oportunidade de contar a história como Mia se sentiria diante dessa família branca, sobre o tipo de mãe que ela é para sua filha, e como poderia ser diferente de uma mãe branca cuidando de uma filha branca", contou a showrunner Liz Tigelaar para o portal Vulture.

    A sexualidade de Izzy é novidade

    Tanto no livro, como na série, Izzy (Megan Stott) é vista como a ovelha negra da família, porém sua versão nas telinhas ganha mais complexidade, quando sua sexualidade é abordada. Na escola, ela sofre bullying por ter beijado a melhor amiga durante uma festa - algo que não acontece no livro.

    Outra questão importante? No episódio que desvendamos o passado de Elena (interpretada em flashbacks por AnnaSophia Robb), fica claro que ela não queria ter sua filha caçula. Na versão original, o conflito entre as duas é mais um embate de personalidades, onde Elena não consegue entender de onde vem toda a rebeldia de Izzy, que, por sua vez, não suporta a vida planejada pela mãe.

    O relacionamento com Pauline também mudou

    Os flashbacks também apresentam Mia (aqui sendo Tiffany Boone) em sua juventude, quando ela estudou numa prestigiada escola de artes em Nova York. Lá, ela se tornou aprendiz de uma renomada fotógrafa, Pauline Carlson (Anika Noni Rose). Só que, na série, o publico descobre que as duas também foram amantes, algo inedito na história. Por isso, é ainda mais devastador para Mia quando Pauline morre, logo após seu irmão.

    Outra diferença relacionada a Pauline surge na foto que ela tira de Mia. Na obra original, os jovens visitam um museu de arte e encontram uma fotografia de Mia segurando Pearl ainda criança. Na série, a imagem é um pouco diferente: trata-se de um retrato nu de uma grávida Mia - que ainda é dona do objeto, decidindo vender a foto para ajudar no processo de Bebe (Lu Huang) em busca da filha.

    A verdade veio de outra pessoa

    Um dos momentos mais impactantes da história é descobrir como Mia era barriga de aluguel de Pearl, e se recusou a dar a criança para o casal que a contratou na hora H, dizendo que perdeu o bebê. No livro, a verdade é revelada através de uma confissão da artista diante da filha, que acaba sendo compreensiva com a situação. Já na TV, Elena esta com raiva do envolvimento de Mia no julgamento de Bebe e os McCulloughs e, após investigar seu passado, conta tudo para Pearl, que tem uma reação bem mais emocional.

    Pelo menos, a vingança chegou no momento que Elena expulsa Mia de sua casa, tentando julgar seu jeito de mãe, ao dizer que Pearl fez um aborto. Mal sabe ela que quem fez o procedimento foi a sua filha, Lexie (Jade Pettyjohn), usando o nome da amiga sem ela saber - algo que Mia não perde a chance de jogar na cara de Elena (o que não acontece nos livros). "Se ela tivesse a mãe que merecia, ela poderia ter coragem para colocar seu próprio nome na clínica."

    O final de Little Fires Everywhere é outro!

    Ninguém esperava que o maior mistério da narrativa teria sua solução diferente nas telinhas. No livro, Izzy descobre como sua família maltratou Mia e Pearl e, impulsivamente, começa pequenos incêndios nas camas de seus irmãos. Na série de TV, ela até começa a espalhar gasolina pela casa, mas foge após uma briga com Elena, que diz como nunca quis ter a filha. Cansados das mentiras; Lexie, Moody (Gavin Lewis) e Trip (Jordan Elsass) decidem terminar o que a irmã caçula começou.

    No obra original, dá a entender que Izzy levou a culpa pelo o que fez, enquanto Elena jura procurá-la até o fim dos dias. Já na série, a jornalista percebe como foi a causa da ação de seus filhos e se responsabiliza pelo fogo que destruiu sua casa.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top