Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    The Walking Dead S09E15: A Calmaria Anterior traz desconforto e choque
    Por Laysa Zanetti — 25 de mar. de 2019 às 12:02
    facebook Tweet

    Nossa crítica do penúltimo episódio da temporada

    Jackson Lee Davis/AMC

    Atenção! Contém SPOILERS do episódio 15 da 9ª temporada de The Walking Dead. 

    The Walking Dead está de volta à brutalidade no episódio mais chocante da série desde o primeiro episódio da sétima temporada — aquele das mortes de Glenn (Steven Yeun)  e Abraham (Michael Cudlitz).

    Durante muitos anos, The Walking Dead fez um caminho repetitivo temporada após temporada. O ciclo era (quase) sempre o mesmo, ainda que os jogadores fossem diferentes: o grupo principal de sobreviventes encontra uma certa estabilidade, chega um novo grupo de vilões pronto para a matança e a desordem, seguiam-se conflitos éticos e pessoais a respeito de humanidade e violência para tudo culminar em um grande confronto de qualquer forma. Entra outro ano, repete.

    No entanto, a temporada 9 tem encontrado boas alternativas para sair da rotina, mesmo que não disponha, na segunda metade, da figura impositiva de Rick Grimes (Andrew Lincoln). A ausência, neste caso, talvez seja o exato motivo por que é possível enxergar boas diferenças, uma vez que foi aberto o espaço para outros personagens merecidamente despontarem: Michonne (Danai Gurira), Daryl (Norman Reedus), Carol (Melissa McBride).

    A apresentação dos Sussurradores foi tão silenciosa quanto e enganadora quanto o próprio grupo. Deixou no ar, em alguns momentos, a real lealdade de Lydia (Cassady McClincy), esperou até os momentos finais para dar um golpe fatal na estabilidade emocional dos fãs — e dos sobreviventes.

    Jackson Lee Davis/AMC

    “A Calmaria Anterior”, penúltimo episódio da temporada, começa com as quatro comunidades — Alexandria, Hilltop, Oceanside e Reino — reunidas na feira organizada por Ezekiel (Khary Payton) e Carol. Há ares de civilidade por todos os lados, amplificados pela presença da líder de Alexandria e pelo pacto de proteção mútua que ficou acordado. Ainda que saibam do perigo que dobra a esquina, e organizem-se para enfrentar a iminente réplica de Alfa (Samantha Morton) pela acolhida de sua filha pelo outro grupo, estas são comunidades preocupadas em viver, e não apenas sobreviver mais um dia. Passaram-se anos desde a última grande tragédia trazida por Negan (Jeffrey Dean Morgan), e mesmo com a morte de Jesus (Tom Payne) pelas mãos dos Sussurradores, a rotina cruel de vidas interrompidas deixou de ser o habitual. As pessoas não estão em uma correria para garantirem a segurança de todos porque, em tese, esta já estaria assegurada.

    E é exatamente por isso que a forma como Alfa manda seu recado é chocante e fria.

    Jackson Lee Davis/AMC

    Antes mesmo de Siddiq (Avi Nash) revelas as estacas nos momentos finais do episódio, “A Calmaria Anterior” deixa, desde o início, os sinais de que as coisas não vão terminar bem, um sentimento que é apenas amplificado com o contraponto feito pela montagem, que contrapõe as cenas claras e estabilizadas do Reino com outras escuras, com cortes rápidos e planos fechados, do grupo de guerreiros na floresta. O golpe final de ver as cabeças em estacas — algo que remete imediatamente à cabeça empalhada de Ned Stark (Sean Bean) em Game of Thrones — é algo que, à sua própria maneira distorcida, despe aqueles personagens ainda mais de suas humanidades anteriores. É um choque que leva todos de volta aos níveis mais primitivos de sobrevivência a qualquer custo, reacendendo de imediato uma busca desenfreada por sangue e violência.

    É claro, houve perdas de personagens significativos que estavam construindo seu legado na série — Henry (Matthew Lintz), Enid (Katelyn Nacon) e Tara (Alanna Masterson) sobretudo —, mas o real impacto é a forma drástica como as mortes rompem com a evolução do grupo como sociedade. Isso é algo que o próprio Siddiq tenta aplacar com seu discurso, mas ainda precisaremos esperar para ver como a perda de um segundo filho vai afetar o psicológico de Carol.

    Jackson Lee Davis/AMC

    The Walking Dead retorna no próximo domingo, para o final de temporada. Quais surpresas ainda estão a caminho?

     
    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Erick Oliveira
      Estava voltando a ver The Walking Dead, e eu achei que a proposta da série era dar destaque a novos personagens e desenvolvê-los para irmos deixando os que estão a mais tempo irem perdendo o foco (por questão contratual dos atores). Estava gostando muito do personagem do Henry, e a temporada toda ele foi o foco, e dava significado a permanência da Lydia no grupo e do nada matam ele... Até parei de novo, tremenda mancada dos roteiristas
    • klaus
      agora sim, fico bom!
    • Fael BC
      Talvez você tenha razão, mas acho que a intenção deles era realmente chocar mesmo. Foram mortes muito inesperadas, e por mais que nós fiquemos revoltados isso mantém a série viva né, haha.
    • Vítor Menezes
      mas pra mim foi mancada gigantesca matarem o henry. O Henry estava sendo odiado no começo, mas eu estava disposto a dar a ele o benefício do desenvolvimento do personagem, porque o carl também era um personagem horrível no começo, mas melhorou ao ponto de virar um dos melhores, então eu me dispus à dar esse benefício pro henry, especialmente depois que Carl morreu e deixou nas entrelinhas que ele poderia ser o substituto! E eu era o único que dava pro henry essa chance, todo mundo queria que ele morresse, e eu era o único disposto a dar uma chance ao personagem. E quando o personagem começou a ficar interessante, se desenvolver e se tornando basicamente o novo carl e finalmente deixando as pessoas interessadas nele, me deixando certo quanto ao ter dado uma chance pra ele... ELES [email protected] MATAM ELE! Chega, depois de todo esse desenvolvimento e depois que eu estava prestes a ter razão quanto ao personagem ia melhorar ... eles o matam? Na boa, acho um erro enorme você desenvolver um personagem desinteressante, pra matá-lo justamente quando ele começa à ficar legal, é mancada!Vou adorar ver a carol fazendo a alpha olhar pra as flores, ELA MERECE. Quando o daryl disse não olhe eu já fiquei: não, não, não...
    • Luciano Benites
      Quero a cabeça da alfa.
    • Fael BC
      Essa temporada está boa demais! As últimas estavam chatas, lentas e repetitivas, mas agora a série voltou a ser o que era. Esse episódio foi daqueles envolventes que criam no público o desejo de vingança.
    Mostrar comentários
    Back to Top