Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Homecoming: Crítica da primeira temporada
    Por Laysa Zanetti — 04/11/2018 às 10:20
    facebook Tweet

    Julia Roberts estrela um obscuro drama sobre memória, traumas e complexos industriais.

    Nota: 3,5 / 5,0

    Homecoming é a mistura de três elementos distintos: um diretor/produtor da linha de excelência na TV (Sam Esmail, de Mr. Robot), uma atriz de Hollywood que está entre as últimas a voltar os olhos para as telas menores (Julia Roberts) e um podcast de sucesso. Esta fascinante mistura transforma a série em uma narrativa tão fascinante quanto prometia.

    A história acompanha a psicóloga/conselheira Heidi Bergman (Roberts), que trabalha no centro Homecoming, uma iniciativa que se promove como um centro de ajuda para veteranos de guerra conseguirem voltar à vida civil. Embora ela tenha um interesse genuíno em seus pacientes, principalmente no amigável Walter Cruz (Stephan James), suas suspeitas de que algo está errado crescem em velocidade alarmante, principalmente porque seu chefe, Colin (Bobby Cannavale, fantástico) está sempre falando sobre minerar informações e testar os pacientes como ratos de laboratório.

    Ao mesmo tempo que acompanha a rotina de Heidi na instituição, Homecoming se passa também em algum momento quatro anos depois, quando a iniciativa desapareceu e ninguém parece se recordar exatamente de sua existência, e Heidi é uma garçonete com poucas lembranças de sua antiga profissão. O que acontece neste meio é o material-fonte da temporada, que se delicia tanto na caixa de mistérios que vai abrindo quando no próprio formato.

    Encantado com a própria direção, Esmail usa aqui o estilo característico de Mr. Robot, com tomadas longas em plano aberto e personagens descentralizados. O acréscimo da trilha sonora setentista e eletrônica com traços old school faz aumentar ainda mais a sensação de estarmos diante de algo hitchcockiano, e embora o mistério nunca recaia exatamente sobre o terror, faz uma análise perturbadora dos traumas e de seus reflexos na memória, que reflete a paranoia também presente em Mr. Robot, contrastada com os tons frios e acinzentados que fazem de todo o visual um deleite.

    Hilary B Gayle/SMPSP

    Mas por ter episódios de 30 minutos, Esmail (que dirige todos os 10 episódios) não tem muito tempo para se deliciar consigo mesmo, e no caso de Homecoming, o excesso de visual ajuda  a contar a história. As cenas que se passam quatro anos após o projeto Homecoming estão em proporção de 1:1, com barras laterais que tornam a visão extremamente claustrofóbica e têm um motivo.

    Homecoming é recheada de boas performances, e Roberts se destaca por ser a exata medida, numa atuação contida que deixa claro o desespero de Heidi, nos dois momentos distintos que a apresenta. Assim como Mr. Robot, é uma visão do mundo corporativista e de seus reflexos sobre ganância e poder institucionalizado, com uma compreensível queda pela caixa de mistérios. A série discute relacionamentos pessoais com sistemas corruptos, legitimação de ações inescrupulosas através de sistemas moralmente abusivos, e o quão responsável cada uma das pessoas envolvidas é, a partir do nível de poder naquela determinada escala.

    Embora a obsessão por estilo de Esmail possa ser cansativa (e em alguns momentos é, embora em outros seja recompensadora), e tenha sua boa cota de tramas que se desenrolam em um passo desnecessariamente alongado e sejam mal-resolvidas, Homecoming é criativa e desafiadora, com mistérios atraentes que vão sendo resolvidos corretamente ao longo do caminho, e não apenas no fim da temporada. A série faz uma reflexão sobre traumas e efeitos colaterais, e nisso se sai muito bem, embora pudesse fazer bom uso de uma distância maior da série de Rami Malek.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Tim Meme
      Poderia ser um episódio de Black Mirror.
    • Manoel Costa dos Santos
      Estou assistindo e estou gostando muito. Para mim vale mais de 3,5 até agora.
    Mostrar comentários
    Siga o AdoroCinema
    Séries mais esperadas
    Vis a Vis: El Oasis
    1
    Vis a Vis: El Oasis
    Elenco: Maggie Civantos, Najwa Nimri, Alba Flores
    Drama, Suspense
    Estreia
    20 de abril de 2020 em
    Todos os vídeos
    Defending Jacob
    2
    Defending Jacob
    Elenco: Chris Evans, Michelle Dockery, Jaeden Martell
    Drama, Suspense
    Estreia
    24 de abril de 2020 em Apple TV+
    Todos os vídeos
    Penny Dreadful: City Of Angels
    3
    Penny Dreadful: City Of Angels
    Elenco: Daniel Zovatto, Natalie Dormer, Nathan Lane
    Drama, Terror
    Estreia
    26 de abril de 2020 em Showtime
    Todos os vídeos
    Stargirl
    4
    Stargirl
    Elenco: Brec Bassinger, Joel McHale, Henry Thomas
    Ficção científica, Ação
    Estreia
    18 de maio de 2020 em DC Universe
    Todos os vídeos
    Novas séries mais esperadas
    Últimas notícias de séries
    La Casa de Papel: Crítica da Parte 4
    NOTÍCIAS - Produção
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    La Casa de Papel: Crítica da Parte 4
    Gossip Girl: Protagonista do reboot é definida
    NOTÍCIAS - Visto na web
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    Gossip Girl: Protagonista do reboot é definida
    La Casa de Papel, Elite e mais: Sexta Série investiga por que séries espanholas são sucesso no Brasil
    NOTÍCIAS - Produção
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    La Casa de Papel, Elite e mais: Sexta Série investiga por que séries espanholas são sucesso no Brasil
    A Máfia dos Tigres: Crítica da Minissérie
    NOTÍCIAS - Visto na web
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    A Máfia dos Tigres: Crítica da Minissérie
    La Casa de Papel 4ª temporada: O que você pode saber antes de começar a assistir
    NOTÍCIAS - Visto na web
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    La Casa de Papel 4ª temporada: O que você pode saber antes de começar a assistir
    Will Smith lança série de quarentena no Snapchat
    NOTÍCIAS - Visto na web
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    Will Smith lança série de quarentena no Snapchat
    Notícias de séries
    Back to Top