Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Star Trek: 10 momentos marcantes de Picard
    Por Vitória Pratini — 19 de ago. de 2018 às 11:09
    facebook Tweet

    O Capitão interpretado por Patrick Stewart vai voltar às telinhas e resolvemos relembrar algumas das cenas mais importantes do personagem.

    Um dos maiores capitães da Frota Estelar em Star Trek, Jean-Luc Picard, o rei dos "facepalms", vai voltar às telinhas em uma nova série de TV. Novamente na pele de Sir Patrick Stewart, é claro, que assumiu o papel por sete temporadas de Jornada nas Estrelas: A Nova Geração e quatro filmes.

    Para celebrar esse momento, o AdoroCinema montou uma listas dos dez momentos mais marcantes do personagem na franquia Jornada nas Estrelas. Então, prepare o teletransporte e vem com a gente!

    10. Picard encontra Scotty

    "Relics"; 6ª temporada / episódio 4.

    Um dos melhores momentos de Picard na franquia foi uma conexão com o passado. Scotty do saudoso James Doohan está preso no século XXIV e se sente como uma relíquia do passado. Picard, então, fica feliz em consolar seu novo amigo e contar sobre suas aventuras na sua primeira nave, Stargazer. A cena mostra a reverência do Capitão pelos mais velhos e o respeito que ele tem pelo passado. Ver os dois se conectarem dessa maneira é emocionante.

    09. Virando adolescente novamente

    "Rascals"; 6ª temporada / episódio 7.

    Esse momento não trouxe Patrick Stewart, mas foi divertido ver Picard (na pele de David Birkin) fora da sua zona de conforto. Através de um aparente erro nos transportes, o Capitão, Alferes Ro (Michelle Forbes), Guinan (Whoopi Goldberg) e Keiko O’Brien (Rosalind Chao) são transformados em versões adolescentes de si mesmos. Então quatro Ferengi conseguem assumir a nave e esses garotos devem tomar de volta a Enterprise de volta.

    O desconforto de longa data de Picard em relação às crianças era uma das características que definiram o personagem. Nas primeiras temporadas de A Nova Geração, essa aversão aos jovens — exceto Wesley (Wil Wheaton) — fez com que ele parecesse rude e sem humor, mas eventualmente o constrangimento se tornou cativante. A premissa de "Rascals" pode parecer boba, com certeza, nada é mais agradável do que ver Picard lutar com seu estado recém-descoberto e eventualmente abraçá-lo com tanta força para fazer uma verdadeira birra.

    08. Encontro de gerações

    Filme Jornada nas Estrelas - Generations.

    Um dos momentos mais esperados de Jornada nas Estrelas - Generations foi o encontro entre Kirk (William Shatner) e Picard no Nexus. O atual Capitão da Enterprise precisa convencer o outro a ajudá-lo a deixar essa "dimensão". No primeiro momento, enquanto Picard tenta ser sensato em explicar a Kirk onde eles estão, este se limita a fazer um omelete, então, vai andar a cavalo e espera que Picard o siga. É uma sequência balanceada pela seriedade da conversa com a leveza das tarefas de casa. Até que o antigo Capitão percebe que vida sem adrenalina não é bom para ele. Kirk avisa para Picard nunca se aposentar e deixar a cadeira de Capitão, e concorda, especialmente já que as chances estão contra eles. E a história acontece. Eles lutam, salvam o dia, Kirk ganha sua cena de morte, e a paz é restaurada no universo.



    07. O elo mental entre Picard e Spock

    "Unification"; 5ª temporada / episódio 7.

    Mais um exemplo da sensibilidade de Picard. Neste episódio em duas partes, a Enterprise sai em uma missão secreta para localizar um vulcano suspeito de desertar para o Império Romulano, o embaixador Spock (Leonard Nimoy). O que foi realmente emocionante sobre o infame encontro entre Spock e Picard foi a natureza orgânica dele. Afinal, o pai de Spock, Sarek, morre antes que Picard chegue em Romulus, mas não antes de compartilhar um elo mental vulcano com o Capitão da Enterprise. Além de encontrar o lendário Vulcano, Picard também se depara com a responsabilidade de dizer a Spock que seu pai morreu. Durante todo o episódio, Picard luta com essa situação incrivelmente delicada, mas usa com respeito, tristeza e determinação, e escolhe mostrar a Spock, através de outro elo mental, os sentimentos que seu pai compartilhou com ele. Isso também encerrou o arco entre Sarek e Spock nas séries de TV.

    06. Recitando Shakespeare

    "Ménage à Troi"; 3ª temporada / episódio 24.

    Um dos grandes trunfos de Jornada nas Estrelas: A Nova Geração é a atuação de Sir Patrick Stewart. Famoso no teatro, o ator já havia feito muitas peças de William Shakespeare. Por isso, a série tinha diversas referências ao poeta e à atuação de Stewart. Um desses easter-eggs veio no episódio "Ménage à Troi", que entra no hall de capítulos de "comédia" da produção. Picard resgata a mãe de Deanna, Lwaxana Troi, da nave de um Ferengi. Para isso, ele tem que convencer Tog que quer reconquistar sua suposta ex (história criada por ela). Patrick Stewart, em seguida, nos dá o espetáculo de um bom ator fingindo ser um mau ator recitando Shakespeare. É incrível e divertido.

    05. Razão vs. Emoção

    Filme Jornada nas Estrelas - Primeiro Contato.

    Dificilmente Picard perde a calma, mas isso aconteceu com Lily Sloane (Alfre Woodard) em Primeiro Contato. A moça confronta o Capitão quando começa a se preocupar que ele esteja priorizando a vingança contra os Borg sobre a segurança de sua própria tripulação. Picard justifica a postura que está assumindo, já que ele conhece os Borg devido às suas próprias experiências traumáticas de quando foi assimilado. Porém, quando suas emoções ficam aparentes e sua compostura se quebra, ele percebe que Sloane está certa e que ele está permitindo que decisões sejam ditadas por seu próprio ego e emoções.

    04. Medindo a consciência de um homem

    "Measure of a Man"; 2ª temporada / episódio 9

    No que é considerado o primeiro episódio "clássico" da série, Picard defende a vida de Data (Brent Spiner) contra um cientista da Frota Estelar que quer desmontá-lo, para "aprender" com ele e construir outros iguais, considerando-o pouco mais que uma máquina avançada. Enquanto Riker (Jonathan Frakes) é o acusador, Picard argumenta que andróides como Data mostram sinais de consciência e, portanto, não devem ser tratados como propriedade. Então, termina seu discurso desafiando qualquer um a definir e quantificar o que significa ter uma consciência. Ele também pede ao tribunal para considerar o que as futuras gerações vão pensar deles: "Você está preparado para condená-lo e todos os que vêm depois dele a servidão e escravidão?". Basta dizer que o Capitão arrasou.

    03. Parte do inimigo

    "The Best of Both Worlds, Part I" e "Parte II"; 3ª temporada / episódio 26; 4ª temporada / episódio 1.

    Um dos momentos mais marcantes de Picard também inclui quando ele se torna o inimigo. O Capitão é assimilado pelos Borg, uma mente coletiva de organismos cibernéticos que assimila outras formas de vida e pensam e agem de maneira uniforme, como uma colmeia. Picard se torna Locutus, e compartilha toda a informação da Frota Estelar com os inimigos, e a tripulação da Enterprise perde seu símbolo de liderança. Uma crítica às incertezas do mundo após o encerramento da Guerra Fria, o episódio em duas partes amedronta, emociona, mas mostra que o bem e a integridade do personagem de Picard sobreviveram. Não sem alguns traumas psicológicos, é claro.


    02. Quebrando um homem íntegro

    "Chain of Command"; 6ª temporada / episódios 10 e 11.

    Durante este episódio de duas partes, Picard é sequestrado pelos Cardassianos e é cruelmente mantido em cativeiro pelo sádico Gul Madred (David Warner), que interessado em quebrar o homem, e nós vemos isso acontecer passo a passo. Uma das táticas de Madred é mostrar a Picard quatro luzes, e pergunta quantas existem, depois de dizer que na verdade são cinco e, em seguida, basicamente eletrocutar o Capitão quando ele diz que há quatro em vez de cinco.

    Picard nunca cede totalmente. Observá-lo insistir que há quatro lâmpadas ao invés de cinco até que essa seja a única coisa verdadeira que ele sabe, é de partir o coração, mas triunfante. A ótima interpretação de Patrick Stewart denota, com maestria a derrocada do íntegro Capitão, sofrendo uma verdadeira agonia e humilhação.

    01. Uma vida em poucos minutos

    "The Inner Light"; 5ª temporada / episódio 25.

    Depois de ser escaneado por uma sonda alienígena, Picard é forçado a viver a vida de um homem chamado Kamin num planeta que está morrendo. Picard abraça sua nova vida pacata e sua família, eventualmente tendo um neto. Quando a vida de Kamin chega ao fim, os Kataanians revelam que o propósito da investigação era transmitir a memória de sua sociedade para qualquer um que entrasse em contato com a sonda, para que o planeta não fosse esquecido.

    "The Inner Light" é frequentemente dito como o melhor episódio de A Nova Geração, e o favorito de Patrick Stewart. O Capitão Picard tem que de alguma forma tentar afastar o terremoto emocional de que os últimos 40 anos de sua vida foram apenas uma alucinação que durou 20 minutos. E, no entanto, ele viveu uma vida rica, tinha uma família que amava e assistiu a uma civilização morrer. Ele também aprendeu a tocar uma pequena flauta e, na solidão de seus aposentos, ele toca algumas notas que mostram que ele não vai esquecer sua outra vida. É um momento simples, mas é o suficiente para trazer lágrimas aos olhos de qualquer fã.

    Bônus

    O nosso item extra dispensa apresentações. Basta dizer que novamente os talentos ocultos de Patrick Stewart foram usados em Star Trek, desta vez em um conteúdo bônus no lançamento em vídeo da série.




    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    • Jc V.
      Bem, pelo menos vc bom de matemática pelo visto kkEu COM CERTEZA classificaria assistir três horas de um mesmo programa todo dia por um ano como sendo fanatismo. Em média, são umas 12h úteis por dia (tirando sono, refeições, banho, etc.) e dedicar 1/4 disso todo o dia?! Por um ano inteirinho?! Olha que nem estou contando as horas de trabalho ou estudo...Sem falar que tem gente que fala Klingon, sabe cada planeta de cor, cada episódio, vixi... Esse tipo de coisa em algumas pessoas ultrapassa a mera curiosidade ou entretenimento. Na minha singela opinião (não estou julgando, cada um faz com seu tempo oq quiser)
    • Danilo
      Se pessoa for fanática religiosas, poderia ser apenas 1 único filme e ela teria esse comportamento. que não sejam 500 e sim 1000 horas, se uma pessoa é fã ela poderia dedicar uma média de 2:42 hora por dia e num ano teria assistido tudo, muito para uma pessoa que não é fã?! Sim demais, mas não o bastante para classificar como fanatismo. E se levarmos em consideração que o formato séria não permite muito fanatismo, pois são 24 episódios num ano, uma média de 1 episódio a cada duas semanas.
    • Jc V.
      A questão é que há pessoas (e não são poucas) que são viciadas no universo Trekker e assistem a série original e toda essa dúzia de spin offs. Se somar todas as produções derivadas de Star Trek (spin offs, filmes, etc) com certeza dá mais de 500 horas de conteúdo, bem mais.É um fanatismo religioso, praticamente. À isso que me refiro.
    • Danilo
      178 episódios, a serie clássica tem mais 79 mais 10 filmes, mais alguns spin off's se alguém assistir um episódio/filme por dia, deve terminar em 1 anos, se for mega fã e fizer um monte de maratonas, acho que assiste tudo em uns 2 meses, não creio que seja digno de admiração ou pena.
    • Hidalgo D.
      Todos são show. Faltou o episódio do Darmok que também foi espetacular
    • Hidalgo D.
      Não entendi esse comentário
    • Vidamell Vida R.
      todos são massa
    • Jc V.
      Sinto um misto de admiração e pena das pessoas que dedicam suas vidas a acompanhar uma série tão longa dessas...
    Mostrar comentários
    Back to Top