Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Retrospectiva 2020: Melhores filmes e séries que surpreenderam durante o ano
    Por Bruno Botelho dos Santos — 1 de jan. de 2021 às 13:00
    facebook Tweet

    Apesar de um ano mais fraco em lançamentos, muitas produções surpreenderam o público e a crítica

    O ano de 2020 foi bastante atípico por causa da pandemia do Coronavírus que abalou o mundo, afetando principalmente o lançamento de filmes com diversas produções interrompendo suas filmagens e tendo seus lançamentos adiados. Mesmo assim, ainda tivemos gratas surpresas e sucessos inesperados lançados ao longo do ano.

    Com produções que vão desde o romance emocionante até suspense e terror repleto de críticas sociais, o AdoroCinema separou uma lista com as produções mais surpreendentes de 2020, que se você ainda não assistiu, precisa ir correndo dar uma conferida.

    Filmes que foram adiados e mais sentimos falta em 2020

    O Poço

    O Poço se tornou um fenômeno na Netflix, figurando entre os mais assistidos do ano. A produção espanhola de 2019 despontou no começo da pandemia ao ser lançado no Brasil pela plataforma de streaming. Com suas críticas sociais sobre o comportamento humano ajudou muitas pessoas a refletirem sobre o momento do mundo e suas atitudes egoístas.

    O Poço conta a história de um lugar misterioso, uma prisão em forma de um buraco profundo. Nela, dois reclusos que vivem em cada nível, de muitos que existem, com uma plataforma descendente levando comida para todos eles. Assim começa uma luta desumana pela sobrevivência, mas também uma oportunidade de solidariedade.

    O final do filme foi muito comentado e gerou bastante discussão na internet sobre qual seria seu significado. Netflix lançou vídeo explicando o desfecho, além do diretor também ter comentado sobre o assunto. O AdoroCinema fez um Mitos do Pop sobre o real significado de O Poço. Confira!

    O Poço: Filmes para quem gostou do novo terror da Netflix

    O Gambito da Rainha

    Quem poderia esperar que uma minissérie sobre xadrez fosse o maior hit do ano? Pois é, O Gambito da Rainha se mostrou uma das produções mais impecáveis da Netflix, unindo os talentos do criador Scott Frank (Godless) com a entrega na atuação de Anya Taylor-Joy (Emma). O sucesso foi tão grande que ela se tornou a minissérie mais vista na história da Netflix e ajudou a atrair mais mulheres para o esporte.

    O enredo segue a história de Beth Harmon (Anya Taylor-Joy), uma menina órfã que se revela um prodígio do xadrez. Mas agora, aos 22 anos, ela precisa enfrentar seu vício para conseguir se tornar a maior jogadora do mundo. E quanto mais Beth aprimora suas habilidades no tabuleiro, mais a ideia de uma fuga lhe parece tentadora. É imperdível!

    O Gambito da Rainha: 5 curiosidades sobre a minissérie da Netflix

    O Homem Invisível

    O Homem Invisível foi um dos últimos filmes em exibição nos cinemas do Brasil antes do fechamento por causa da pandemia. Originalmente o filme faria parte do Dark Universe, franquia de monstros clássicos da Universal que acabou ficando de lado por causa do fracasso de seu primeiro filme, o remake A Múmia estrelado por Tom Cruise (Missão Impossível).

    Com isso, a Blumhouse deu ao diretor Leigh Whannell (Upgrade: Atualização) ganhou maior liberdade para fazer o seu próprio projeto e surpreendeu a todos com um suspense tenso e muito bem construído que discute relacionamentos abusivos, com uma poderosa atuação de Elisabeth Moss (The Handmaid's Tale), que inclusive comparou sua personagem na série que é protagonista com a do filme.

    Em O Homem Invisível, quando o ex abusivo de Cecilia (Elisabeth Moss) tira a própria vida e deixa sua fortuna, ela suspeita que a morte dele tenha sido uma farsa. Como uma série de coincidências se torna letal, Cecilia trabalha para provar que está sendo caçada por alguém que ninguém pode ver.

    O Homem Invisível: 7 filmes com temáticas semelhantes

    Lovecraft Country

    Lovecraft Country foi uma das melhores surpresas de 2020 por causa de seu estilo inovador e sua relevância social. A série produzida por Jordan Peele (Corra!) e criada pela Misha Green (Helix) nos desafiou a cada episódio mesclando gêneros diferentes, com diversas referências a cultura pop e simbologias em forma de comentários sociais sobre a segregação racial sofrida pelos negros.

    A série utiliza o universo cósmico criado pelo autor H.P. Lovecraft para subvertê-lo, já que o autor era racista. Ela se passa em Chicago, 1954, quando Atticus Turner (Jonathan Majors), um veterano do exército, vê sua vida mudar quando seu pai desaparece misteriosamente. Decidido a encontrá-lo, o jovem embarca numa viagem de carro ao lado do tio George (Courtney B. Vance) e da amiga de infância Letitia (Jurnee Smollett-Bell), mas a jornada logo se revela muito mais perigosa do que eles esperavam.

    A produção conseguiu, como poucos, fazer o público se divertir e refletir.

    Lovecraft Country: Crítica da série de terror da HBO

    A Vastidão da Noite

    A Vastidão da Noite é a típica produção menor que surpreende pela simplicidade e qualidade do roteiro. Feito com baixíssimo orçamento, o filme do Amazon Prime Video faz uma grande homenagem à ficção científica e se aproveita de suas limitações para apostar nos ótimos diálogos e exploração dos sentidos pela capacidade sonora.

    A história de A Vastidão da Noite se passa no período da Guerra Fria. Enquanto acontece a corrida espacial entre os Estados Unidos e a União Soviética, dois adolescentes de uma cidadezinha americana são obcecados pelo rádio. Quando eles descobrem uma estranha frequência de ondas aéreas, suas vidas e o mundo inteiro podem estar prestes a mudar drasticamente. Confira a crítica de A Vastidão da Noite!

    A Vastidão da Noite, do Prime Video, e outros filmes de ficção-científica

    Normal People

    Baseado no livro homônimo de Sally Rooney, a minissérie irlandesa Normal People foi aclamada por ser uma excelente adaptação da obra original, trazendo personagens complexos e um romance verdadeiro e nada clichê, bem diferente de grande parte das produções do gênero.

    Normal People acompanha os encontros e desencontros de Marianne (Daisy Edgar-Jones) e Connell (Paul Mescal), dois jovens de origens distintas que acabam se apaixonando um pelo outro durante diferentes fases da vida, como o ensino médio em uma pequena cidade da Irlanda e a universidade em Dublin. Leia a crítica do AdoroCinema!

    5 motivos para assistir a Normal People

    Sound of Metal

    Produção original do Amazon Prime Video, Sound of Metal proporciona uma jornada sensorial e imersiva do personagem de Riz Ahmed (The Night Of), que está gradualmente ficando surdo. É um retrato honesto e poderoso da dor nas adversidades. Sem dúvidas deve ser lembrado na temporada de premiações, principalmente a atuação do protagonista.

    No filme, um jovem baterista teme por seu futuro quando percebe que está gradualmente ficando surdo. Duas paixões estão em jogo: a música e sua namorada, que é integrante da mesma banda de heavy metal que o rapaz. Essa mudança drástica acarreta em muita tensão e angústia em sua vida, atormentado lentamente pelo silêncio.

    Sound of Metal: Crítica do AdoroCinema

    I May Destroy You

    Novo projeto de Michaela Coel (Chewing Gum), I May Destroy You conquistou a crítica mundial e se tornou uma das melhores e mais importantes produções de 2020. Tudo isso por discutir temas importantes como abuso sexual, consumo de drogas, masculinidade tóxica, feminismo, racismo, relacionamentos tóxicos e cultura do cancelamento de maneira singular, criativa e emocionante. A personagem de Michaela passa por uma comovente jornada de autoconhecimento.

    Arabella (Michaela Coel) é uma jovem londrina segura de si, com um grande grupo de amigos, um namorado na Itália e uma próspera carreira de escritora. Mas depois que alguém faz com que ela tome uma dose de Boa Noite, Cinderela, a moça se vê obrigada a reconstruir a própria vida.

    5 personagens negros que marcaram a história da TV

    Freaky - No Corpo de um Assassino

    Freaky - No Corpo de um Assassino é um dos filmes de terror mais divertidos e surpreendentes dos últimos anos. Ele segue o estilo de A Morte Te Dá Parabéns – inclusive é dirigido por Christopher Landon, responsável pela franquia – e o clássico Pânico para brincar e subverter o terror, e pode ser considerado uma versão mais assustadora e violenta do queridinho Sexta-feira Muito Louca.

    Na história, um punhal místico faz com que Millie (Kathryn Newton) e um serial killer (Vince Vaughn) troquem de corpo, a jovem descobre que possui apenas 24 horas para ter seu corpo de volta antes que a troca se torne permanente e ela fique presa na forma de um maníaco de meia-idade para sempre. O grande problema é que, agora, ela parece uma psicopata imponente que é alvo de uma caçada humana por toda a cidade, enquanto o psicopata se parece com ela e planeja libertar seu apetite por carnificina.

    A dinâmica da dupla Kathryn Newton e Vince Vaughn é incrível, inclusive Vaughn está impagável no filme, com uma das atuações mais divertidas do ano. Corram para assistir Freaky - No Corpo de um Assassino.

    Esperamos que 2021 seja um ano melhor para todos e ainda mais recheado de produções que possam nos surpreender pela sua qualidade e importância.

    Retrospectiva 2020: Confira os momentos marcantes no cinema e na TV no ano

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top