Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Tenet: Relembre os filmes de Christopher Nolan e sua trajetória no cinema
    Por Ygor Palopoli — 27 de ago. de 2020 às 16:30
    facebook Tweet

    Mais novo longa do diretor já foi lançado em algumas salas de cinema ao redor do mundo.

    Nesta última semana, foi lançado nos cinemas dos Estados Unidos e de alguns outros países que estão optando pela reabertura de certos estabelecimentos, o filme Tenet, mais nova obra dirigida por Christopher Nolan. Recebendo avaliações um tanto divisivas entre si, o filme voltou a despertar interesse do público na filomografia do cineasta, que mesmo tão aclamado ainda possui uma quantidade relativamente baixas de longas em seu currículo.

    Pensando em lhe preparar ao lançamento do filme em plataformas brasileiras, o AdoroCinema trouxe uma matéria rápida para falar um pouco a respeito da trajetória do Nolan como diretor e roteirista, aproveitando ainda para destacar seus principais filmes durante esta jornada. Então é só relaxar e vir com a gente, vamos lá!

    AMNÉSIA E O INÍCIO DO SUCESSO

    Inicialmente utilizando a abreviação "Chris Nolan" ao assinar seus roteiros, o cineasta começou a trabalhar oficialmente já no ano de 1989 após escrever um curta-metragem para a televisão chamado Tarantella, filmado em preto e branco e financiado pelo UCL Film Society, onde o jovem rapaz mal sabia, porém viria a se tornar um dos membros honorários. 

    Foi apenas em 1998, após lançar seu primeiro longa-metragem, Following, feito com atores amadores e ajuda da própria família, que ele começou a alcançar público em suas obras. Também filmado em preto e branco, o filme contava a história de um homem que seguia estranhos e acabou conhecendo um ladrão de casas profissional, começando uma estranha e perigosa relação.

    Rodando festivais com o filme, ele dirgiu o prestigiado Amnésia (que é até hoje considerado por muitos como sua melhor obra) apenas dois anos depois, iniciando sua carreira na indústria de uma vez por todas, já que só ali pôde contar com um filme seu feito com produção executiva e elenco de peso, abrindo de vez as portas necessárias para o futuro.

    TRILOGIA BATMAN E A CONSOLIDAÇÃO EM HOLLYWOOD

    Dali em diante, parecia que Christopher Nolan se tornaria um forte referencial no mercado e não pararia mais de fazer filmes. No entanto, se passaram um, dois, três, quatro anos e o cineasta dirigiu apenas mais um filme, Insônia, que não escreveu, como dizia preferir fazer. A razão rapidamente foi explicada quando ele apareceu dirigindo Batman Begins, projeto da Warner de colocar nas telonas a mais nova adaptação de um dos heróis mais famosos da história. 

    Nolan começou a buscar o projeto pouco depois de Amnésia e insistia em fazer um Batman com alta consistência psicológica, desconstruindo alguns arquétipos do clássico herói cuja moralidade está acima de tudo. O filme foi muito bem recebido, mas foi com a continuação Batman: O Cavaleiro das Trevas que o diretor atingiu seu ápice, recebendo também créditos pela contribuição no desenvolvimento do Coringa de Heath Ledger.

    Antes do segundo capítulo da trilogia Batman, no entanto, ele ainda dirigiu Christian Bale novamente em O Grande Truque, um dos menos favoritos do público que gosta do diretor, mas considerado um sucesso considerável sucesso de crítica. Mas foi entre o segundo Batman e o terceiro que veio um patamar seguinte.

    A ORIGEM, INTERESTELAR E UM NOVO PATAMAR

    Considerado por muitos como a obra-prima de Christopher Nolan, A Origem era protagonizado por Leonardo DiCaprio, Joseph Gordon-LevittEllen Page e Cillian Murphy, que se tornaria uma figurinha carimbada nos longas do cineasta desde que participou pela primeira vez em Batman Begins e agradou bastante com sua atuação como Espantalho.

    Na trama, acompanhamos o protagonista que trabalha para uma empresa especializada em se infiltrar nos sonhos das pessoas para arrancar delas informações importantes ou implantar uma ideia. No entanto, quando ele recebe a tarefa de realizar a implementação na mente de um importante CEO, a situação fica complicada. O filme foi ao Oscar e solidificou também sua parceria com o compositor Hans Zimmer.

    Conhecido por conseguir equilibrar muito bem o público geral junto àqueles que gostam de filmes menos tradicionais, Nolan mostrou de vez este poder em Interestelar, que apesar de ser criticado por ser expositivo demais, acabou sendo um sucesso absoluto, trazendo momentos bem interessantes e novamente uma trilha sonora excepcional de Zimmer.

    TENET E OS PLANOS PARA O FUTURO

    Tenet
    Tenet
    Criador(es): Christopher Nolan
    Com John David Washington, Robert Pattinson, Elizabeth Debicki, Aaron Taylor-Johnson, Himesh Patel

    Após arriscar pela primeira vez um longa baseado em história real, com Dunkirk, Nolan foi imediatamente até Tenet, dizendo, nas poucas entrevistas que deu sobre o assunto, que desejava retornar às temáticas usuais de suas tramas mais famosas até aqui, não obstante o filme se desafia ao falar a respeito da inversão temporal. 

    O filme, segundo os críticos, é uma espécie de retorno aos gostos iniciais de Nolan e consegue ir além em alguns pontos, apesar de gerar confusões desnecessárias em outros. Mas para o futuro, Nolan não possui projetos à vista, além de estar escrevendo atualmente o roteiro para o remake de Amnésia, filme que o lançou ao grande mercado em 2000. Será que vem aí? 

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top