Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Destacamento Blood: 7 motivos para assistir ao novo filme de Spike Lee
    Por Kalel Adolfo — 11 de jun. de 2020 às 16:19
    facebook Tweet

    Produção do mesmo diretor de Infiltrado na Klan está chegando na Netflix amanhã (11).

    Destacamento Blood está chegando na Netflix amanhã (12). O filme chega em um momento necessário, já que o debate acerca do racismo estrutural está mais evidente do que nunca. Na trama, um grupo de veteranos retorna ao Vietnã para encontrar os restos mortais de seu líder, assim como uma fortuna escondida na região.

    Ambicioso, político e cheio de energia, o longa pode se tornar um dos principais concorrentes na corrida ao Oscar de 2021. Por isso, separamos sete motivos para você não perder a nova obra de Spike Lee. Confira: 

    1. É um filme de Spike Lee

    Há diretores que simplesmente não podemos ignorar. Um deles é Spike Lee. Assim como foi um evento quando Martin Scorsese lançou O Irlandês, a estreia de Destacamento Blood será uma grande ocasião cinéfila, principalmente em tempos de conflito.

    O cineasta é um dos principais nomes quando pensamos na luta contra o racismo e outras disparidades sociais na indústria cinematográfica. O primeiro filme de sua carreira foi Ela Quer Tudo, que contava com um elenco completamente negro nos anos oitenta.

    Além disso, a trama girava em torno de uma mulher precisando escolher entre seus três namorados. Liberdade, independência, sexualidade, e machismo eram questões que orbitavam o universo do longa. Todos estes temas eram extremamente corajosos para uma época repleta de limitações.

    Décadas se passaram, e Spike Lee continuou quebrando moldes culturais com suas obras. Destacamento Blood apenas confirma isso. Utilizando a guerra do Vietnã como plano de fundo, o cineasta denuncia como os Estados Unidos obrigou negros a abraçarem uma causa indesejada, em um país que nunca os aceitou.

    Refletir sobre isso nos momentos atuais, e sob as óticas de Lee, é uma experiência essencial em 2020. Conhecimento através da arte também é uma forma de lutar contra o racismo estrutural.

    2. O elenco é icônico

    O elenco de Destacamento Blood abraça todas as gerações do cinema. Em um dos papéis principais, temos Chadwick Boseman, que aparece em grandes produções da Marvel, como Pantera Negra e Vingadores - Guerra Infinita.

    Ao mesmo tempo, o filme também traz Delroy Lindo (Malcolm X) e Jean Reno (O Profissional), figuras que protagonizaram clássicos de ação dos anos noventa. Ou seja, independente de sua idade, você estará familiarizado com os rostos do longa.

    Spike Lee também retomou o trabalho com alguns atores do aclamado Infiltrado na Klan, como Jasper Pääkkönen e Paul Walter Hauser.

    3. O filme está sendo aclamado pela crítica

    É claro que precisamos assistir ao filme para tirar nossas próprias conclusões. Porém, Destacamento Blood já está recebendo um grande número de elogios, e isso é um bom sinal. No Rotten Tomatoes, um dos principais termômetros de qualidade cinematográfica, a produção acumula uma aprovação de 88%.

    O consenso geral é que a obra tem uma energia destemida, e é extremamente ambiciosa. Além disso, o título possui uma temática urgente, e está em sintonia com a atual situação política dos Estados Unidos. Ou seja, é um ótimo exemplo de como a arte pode servir como plataforma para reflexões sociais.

    De Malcolm X a Infiltrado na Klan: Relembre a carreira de Spike Lee

    4. Marvin Gaye é a alma musical de Destacamento Blood

    O álbum "What’s Going On", do cantor Marvin Gaye, é uma das principais fontes de inspiração para Destacamento Blood. Isso porque todas as letras têm um cunho social, e são guiadas pela desigualdade racial.

    Na época, o artista estava sendo influenciado pelas cartas que trocava com o irmão militar. Por isso, criou uma obra musical sobre um negro inconformado com a Guerra do Vietnã. Grande parte das canções são reproduzidas ao longo dos 156 minutos do novo filme de Spike Lee.

    5. A estreia dele seria em Cannes

    Por ser um filme de Spike Lee, a obra iria estrear no circuito de Cannes. Contudo, a pandemia do coronavírus forçou o estúdio a colocar a produção diretamente no serviço de streaming. A boa notícia é que o comitê do Oscar já anunciou que irá suspender algumas regras para que longas como Destacamento Blood possam concorrer em 2021.

    Festival de Cannes divulga filmes da seleção oficial 2020

    6. É um dos filmes mais caros de Spike Lee

    O orçamento de Destacamento Blood ficou na casa dos US$ 45 milhões, se tornando o filme mais caro de Spike Lee. O Plano Perfeito fica em segundo lugar, com gastos semelhantes. A terceira produção mais cara é a duvidosa refilmagem de Oldboy, que custou US$ 35 milhões.

    De maneira geral ,os filmes de Lee não são tão caros, já que compartilham um viés autoral, e não exigem grandes aparatos tecnológicos, como efeitos especiais e locações extravagantes.

    20 filmes mais caros da história do cinema

    7. O filme seria dirigido originalmente por Oliver Stone

    O roteiro de Destacamento Blood foi criado em 2013 por Danny Bilson e Paul De Meo. O filme iria se chamar "The Last Tour", e a direção ficaria com Oliver Stone (Assassinos por Natureza). Contudo, Stone desistiu da obra em 2016, e a narrativa acabou chegando em Spike Lee.

    A partir daí, Lee se juntou com Kevin Willmott, roteirista que o ajudou a escrever Infiltrado na Klan, e a dupla reescreveu a história. As filmagens começaram apenas em março de 2019.

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top