Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Festival do Rio: Melhores filmes que todo mundo deve assistir
    Por Caqui Bandeira — 11 de dez. de 2019 às 11:40
    facebook Tweet

    Para os cinéfilos de plantão!

    O Festival do Rio está oficialmente aqui! Evento que acontece anualmente, a 21ª edição quase não viu a luz do dia em 2019 por conta de faltas de fundos. Arrecadando em um sistema de crowdfunding, o evento deste ano pode ser o mais importante entre todas as edições. Com diversos títulos de países ao redor do mundo, algumas das produções ficam em destaque. Além dos filmes inéditos, que só estão disponíveis nos cinemas cariocas, o Telecine decidiu montar uma playlist das maiores produções das edições anteriores. Confira na lista abaixo 10 filmes, cinco de edições antigas e cinco deste ano, que todo mundo deveria assistir. 

    As Viúvas

    A força das mulheres. As Viúvas não é um filme revolucionário, mas isso não quer dizer que não seja uma obra muito importante. Seguindo o modelo de longas criminais - com direito a máscaras, um ponto de encontro secreto, muito tiro e violência e um plano que pode a qualquer momento dar errado, mas no final dá certo -, o filme ganha muitos pontos em botar no holofote nas mulheres. Protagonizado por Viola Davis, a líder da equipe que planeja um roubo, o elenco é completo por Michelle RodriguezElizabeth DebickiCynthia Erivo (todas ou negras, ou latinas, ou imigrantes). Dirigido por Steve McQueen, As Viúvas não é perfeito, mas é um passo à frente de muitos outros de seu gênero, e abre portas para colocar mulheres nestes papéis comumente ocupados por homens.

    Benzinho

    Um olhar sensível sobre maternidade, Benzinho conta a história de uma mãe que precisa lidar com o crescimento e independência de seu filho mais velho. Estrelado por Karine Teles, o filme acompanha Irene, uma mãe de família que age como o porto seguro dos problemas de sua família (ajudando sua irmã com seus problemas pessoais e de relacionamento, e com as instabilidades de seu marido). Isso faz com que, além de cuidar de seus quatro filhos, ela tem o encargo do emocional dos outros adultos a sua volta, não deixando com que consiga processar seus próprios sentimentos e problemas. E isso chega em um estopim quando seu filho anuncia sua partida, após ganhar uma bolsa para jogar handebol no exterior. Uma emocionante e profunda história sobre a força de uma mulher e mãe, Benzinho emociona qualquer um.

    Infiltrado na Klan

    O filme que finalmente deu um Oscar para Spike LeeInfiltrado na Klan foi exibido no Festival do Rio do ano passado. A história dos dois policiais que se juntam para infiltrar o grupo racista Ku Klux Klan, um negro e outro judeu, chama a atenção já de cara. Estrelado por John David Washington e Adam Driver, o filme é baseado na história real de Ron Stallworth, que usou de sua poder na polícia para apreender racistas, em um momento em que os negros nos Estados Unidos lutavam por seus direitos civis básicos. Infiltrado na Klan emociona de uma forma muito especial, e deve ser visto por todo mundo.

    Sob Pressão

    O filme que antecedeu uma das melhores séries brasileiras da atualidade, Sob Pressão é uma produção carioca do renomado diretor Andrucha Waddington. Estrelando Júlio AndradeÍcaro Silva e Marjorie Estiano, o longa discute a moral e ética dos três cirurgiões durante um dia em que uma só ocasião trouxe três pacientes que precisam de cirurgia. Tendo a obrigação de ajudar todo e qualquer ser humano que precise de ajuda, eles precisam organizar como salvar um policial, um bandido e uma criança, todos feridos em um tiroteio em uma favela nos arredores do hospital. Um corte da realidade do Rio de Janeiro, Sob Pressão é um daqueles filmes difíceis de engolir, mas muito importante para abrir seus horizontes e sair um pouco da bolha.

    Central do Brasil

    Um dos mais conhecidos títulos do cinema brasileiro, Central do Brasil é um clássico da nossa cultura. Estrelado pela rainha Fernanda Montenegro, o filme é um carta de amor para a população pobre do país. Lançado em um momento difícil da economia, o longa é uma grande metáfora sobre o que é e o que pode ser. Montenegro representa o que a sociedade é, sem esperanças e aceitando a realidade do jeito que é. Ao seu lado está Vinícius de Oliveira, apenas uma criança, representando as possibilidades e confiança que dias melhores estão por vir. Um dos poucos filmes brasileiros modernos a serem indicados ao Oscar, Central do Brasil deveria ser obrigatório para qualquer um apaixonado por cinema.

    Jojo Rabbit

    Extremamente curioso, Jojo Rabbit é um projeto 100% especial. Escrito, dirigido e estrelado por Taika Waititi (por trás do filme mais engraçado do UCM, Thor: Ragnarok), o longa acompanha um jovem menino na Alemanha nazista que, por ser zoado pelos colegas, acaba tendo grandes conversas com seu amigo imaginário. O único porém é que este fruto de sua imaginação toma forma de Hitler (Waititi). O que promete ser uma forma inovadora de falar sobre um momento tão horrível da história moderna (não é sempre que vemos uma comédia sobre nazismo), Jojo Rabbit ainda conta com um elenco de suporte estelar: Scarlett Johansson, Sam RockwellRebel Wilson e a revelação Roman Griffin Davis. Se só pudesse assistir um filme durante o Festival, talvez escolhesse este.

    Honey Boy

    Uma autobiografia um pouco fora do usual, Honey Boy é a história da infância e juventude de Shia LaBeouf, um dos mais conhecidos rostos dos anos 1990 e 2000. Escrito pelo próprio ator, o filme é muito mais sobre a relação de Shia com seu pai, sobre a sua carreira. Honey Boy, como o ele chamava seu filho, é interpretado por Noah Jupe e Lucas Hedges, enquanto o pai é vivido pelo próprio LaBeouf. Claramente conturbada, este relacionamento parece ser o mais importante desta fase da vida do ator, com muito amor, mas muito abuso. Apesar de ser um projeto catártico, a coragem de expôr uma parte da sua vida, de uma forma que quem já viu o filme diz ser extremamente honesta, é impressionante. Apesar de estar curiosa para ver Jojo Rabbit, Honey Boy é o filme que tem a chance de se tornar o favorito do ano.

    Banquete Coutinho

    Uma homenagem a um dos maiores diretores do cinema brasileiro, Banquete Coutinho mostra um lado mais pessoas de Eduardo Coutinho, partindo de uma entrevista feito com o cineasta em 2012. O nome por trás de grandes clássicos documentários brasileiros, como Jogo de Cena, Edifício MasterBabilônia 2000 e Santo Forte, Coutinho deixou um legado imenso para a sétima arte após sua morte em 2014. Banquete Coutinho traz imagens de arquivo do diretor, na qual ele divaga sobre suas maiores inquietações - que permaneceram consigo até o fim de sua vida -, e relaciona seu discurso com o cenário atual da sociedade brasileira. Dirigido por Josafá Veloso, o documentário tem tudo para ser extremamente inspirador. 

    O Escândalo

    Baseado no escândalo da Fox News, O Escândalo parece ser um projeto fora da curva dentre seus conterrâneos jornalísticos que são lançados todos os anos (estilo Spotlight e The Post). A história das três mulheres que decidiram se pronunciar contra o dono de um dos maiores impérios jornalísticos já é inspiradora por si só, mas quando você coloca Nicole KidmanCharlize TheronMargot Robbie para trazer esse fato às telonas, não dá para manter as expectativas baixas. Bombshell dá voz às mulheres que colocaram sua reputação em risco para expor o assédio sexual infligido sobre elas pelo CEO da Fox News, Roger Ailes, interpretado por John Lithgow. Em um momento pós o movimento #MeToo, O Escândalo é uma importante história que precisa, sem sombra de dúvidas, ser contada.

    O Farol

    O que promete ser uns dos filmes mais esquisitos do Festival, O Farol traz Willem Dafoe como o responsável por um farol, que contrata Robert Pattinson como seu ajudante. Dirigido por Robert Eggers e gravado todo em preto e branco, o longa pode ter uma premissa que parece monótona, mas só o trailer já deixa bem claro que não é nada disso. A evolução da relação entre os dois personagens, presos neste local pouco habitado, o mistério que o personagem de Pattinson, Ephraim Winslow que desvendar sobre o farol em si, e a intimidade dessas duas personalidades estranhas que (pelo que parece) estão a beira da loucura tem tudo para que este seja um dos mais interessantes filmes do festival deste ano. 

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top