Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    10 atuações marcantes de Fernanda Montenegro
    Por Katiúscia Vianna — 16 de out. de 2019 às 08:21
    facebook Tweet

    A grande dama do cinema, teatro e dramaturgia do Brasil completa 90 anos hoje!

    Getty Images

    Não é todo dia que se comemora 90 anos, não é mesmo? Em 5 de outubro de 1929, nascia Fernanda Montenegro. Com muito talento, luta e opinião; atriz se tornou um símbolo da cultura brasileira, rendendo performances que marcaram gerações, tanto nos palcos, como nas telinhas, e nas telonas. (Sem falar que nos deu a Fernanda Torres também!)

    Por isso, é até difícil escolher apenas 10 trabalhos da grande dama; mas o AdoroCinema elegeu uma lista de suas grandes performances — após horas de debate na redação. Celebre o talento dessa musa conosco e conte qual é o seu trabalho preferido dela, nos comentários. E, obrigada por tudo, Fernanda!

    Guerra dos Sexos (1983)

    Se você não lembra da icônica guerra de comida, entre Charlô e Bimbo, em Guerra dos Sexos, você nunca viu TV aberta! Junto com Paulo Autran e grande elenco, Fernanda Montenegro estrelou uma das novelas mais marcantes de seu tempo, onde dois rivais precisam morar juntos, enquanto disputam uma herança. O sucesso foi tanto que a trama inspirou até um programa de auditório na época.

    O Dono do Mundo (1991)

    Novela de Gilberto Braga, O Dono do Mundo causou polêmica por fugir dos morais conservadores da sociedade. E uma das personagens que mais brilharam foi justamente a cafetina Olga de Fernanda, que ajudava na vingança da mocinha Márcia (Malu Mader). Com uma personalidade carismática e badalada, roubava toda cena. 

    Zazá (1997)

    "Cadê Zazá, Zazá, Zazá..." Zazá merece entrar nessa lista só por trazer Fernanda Montenegro, vestida de Santos Dumont, voando por aí numa 14-bis. Mas a atriz conquistou novamente o público como essa excêntrica matriarca, que fez de tudo a fim de dar rumo nas vidas de seus sete filhos, além de realizar o sonho da construção do avião atômico BR-15.

    Central do Brasil (1998)

    Palavras são poucas para falar dessa impactante performance de Montenegro. Como Dora, a professora aposentada que escreve cartas para pessoas analfabetas na estação Central do Brasil (cujas histórias que aparecem no início do filme são reais), seu trabalho recebeu o Urso de Prata no Festival de Berlim, foi indicado ao Globo de Ouro e a transformou na primeira atriz brasileira a ser indicada ao Oscar. E até hoje estamos indignados ao lembrar que foi a Gwyneth Paltrow quem ganhou a estatueta! 

    "O melhor prêmio que Central do Brasil recebeu foi a indicação de Fernanda Montenegro ao Oscar", diz Walter Salles

    O Auto da Compadecida (2000)

    A interpretação de Fernanda Montenegro como Virgem Maria em O Auto da Compadecida já faz parte do imaginário popular, mesmo sendo apenas uma participação especial na famosa obra de Guel Arraes. A adaptação da obra de Ariano Suassuna foi concebida como uma minissérie, mas foi transformada em filme, devido ao sucesso. Resultado? Mais de 2 milhões de espectadores e várias reprises na Sessão da Tarde.

    O Outro Lado da Rua (2004)

    No papel de Regina, aposentada que testemunha um suposto assassinato, Fernanda recebeu mais prêmios internacionais — inclusive melhor atriz no Festival de Tribeca. A estreia de Marcos Bernstein na direção também promoveu o primeiro encontro com Raul Cortez no cinema, além de colocar Fernanda na rara posição de protagonista nas telonas. 

    Casa de Areia (2005)

    Fernanda Montenegro sempre é sinônimo de boa performance, ainda mais quando se junta ao grande talento de Fernanda Torres. Mãe e filha contracenam pela primeira vez nesse filme de Andrucha Waddington sobre mãe e filha (ou, por vezes, vivendo a mesma personagem) tentando sobreviver num local inóspito, rodeado de areia. E lá veio prêmio no Festival Internacional de Cinema de Guadalajara!

    Belíssima (2005)

    Toda grande atriz brasileira viveu uma adorada vilã de novela. Manipuladora e sarcástica, Bia Falcão se tornou sucesso ao soltar frases como "Pobreza pega!". Tanto que a personagem deveria ter morrido no capítulo 70, mas o autor Silvio de Abreu teve que mudar os planos, pelos pedidos da audiência. Ela ainda se dá bem no final, fugindo com Cauã Reymond. E voltou a cair na boca do povo, após reprise de Belíssima em Vale a Pena Ver de Novo. Poderosa, não?

    Doce de Mãe (2012-2014)

    Doce de Mãe era para ser apenas um especial de fim de ano, sobre uma animada matriarca em busca de aproveitar a vida, mas rendeu o Emmy Internacional para Fernanda Montenegro, primeira brasileira a vencer o Oscar da TV como melhor atriz. Além da crítica, a Dona Picucha criada por Ana Luiza AzevedoJorge Furtado também conquistou o carinho do público, rendendo uma série dois anos depois

    A Vida Invisível (2019)

    E Fernanda Montenegro entra na corrida do Oscar novamente! Ela faz uma participação impactante em A Vida Invisível, representante tupiniquim na briga pela estatueta dourada em 2020. Adaptação da obra de Martha Batalha, o drama de Karim Aïnouz acompanha o forte elo entre duas irmãs bem diferentes. E já tem gente elogiando muito a performance da veterana atriz... Leia a crítica do AdoroCinema.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top