Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Relembre a carreira de Fernanda Young
    Por Roanna Azevedo — 2 de set. de 2019 às 08:20
    facebook Tweet

    Saudosa roteirista deixou um legado muito além de Os Normais.

    Escritora, roteirista, apresentadora e atriz; Fernanda Young marcou a história da comédia brasileira. Com seu humor ácido e quatorze livros publicados, ela foi responsável por criar algumas das séries de TV de maior sucesso e influência do país. Mas, no último dia 25 de agosto, todos foram pegos de surpresa pela notícia da morte da artista. Apesar da partida precoce, seu legado para o entretenimento continua. Por esse motivo, o AdoroCinema resolveu celebrar a carreira multitalentosa da autora, relembrando os principais momentos de sua trajetória.

    Fernanda Maria Young de Carvalho Machado nasceu em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, onde frequentou a faculdade de Letras da Universidade Federal Fluminense (UFF), mas não chegou a se formar. Ela também cursou Jornalismo e Rádio e TV, mas não concluiu nenhum dos cursos. Decidiu, então, investir na carreira de escritora e roteirista. Em 1995, estreou na TV Globo, assinando, ao lado do marido Alexandre Machado, o texto de A Comédia da Vida Privada, série baseada na obra homônima de Luís Fernando Veríssimo.

    Fernanda Torres e Luiz Fernando Guimarães em Os Normais (2001-2003).

    Após publicar quatro livros e assinar o longa Bossa Nova (2000), Fernanda retomou sua carreira na televisão como criadora e roteirista da série Os Normais, seu trabalho mais popular até hoje. No ar de 2001 a 2003, o programa acompanhava o dia-a-dia maluco dos noivos Rui (Luiz Fernando Guimarães) e Vani (Fernanda Torres), conforme passavam pelas situações mais inusitadas. A comédia fez tanto sucesso, que ganhou duas adaptações para o cinema: Os Normais - O Filme (2003) e Os Normais 2 - A Noite Mais Maluca de Todas (2009). Enquanto escrevia o seriado, Fernanda estreou como uma das apresentadoras do Saia Justa no canal GNT, dividindo o estúdio com Rita Lee, Mônica Waldvogel e Marisa Orth, de 2002 a 2003. 

    Maria Clara Gueiros, David Lucas e Luiz Fernando Guimarães em Minha Nada Mole Vida (2006).

    Nos três anos que se seguiram, a roteirista reforçou a parceria com o marido, criando novas séries para a TV Globo. Em Os Aspones (2004), Selton MelloAndréa Beltrão fazem parte de um grupo de funcionários públicos que trabalha numa repartição monótona e praticamente inútil. Já em O Super Sincero (2005) e Minha Nada Mole Vida (2006), Luiz Fernando Guimarães interpreta um homem que só consegue dizer a verdade e um apresentador de TV, respectivamente, colaborando mais uma vez com o casal de escritores. Ainda em 2006, a roteirista retornou aos cinemas com Muito Gelo e Dois Dedos d'Água, filme em que as personagens de Mariana XimenesPaloma Duarte decidem sequestrar a própria avó, interpretada por Laura Cardoso

    Débora Bloch e Vladimir Brichta em Separação?! (2010).

    Enquanto assinava o texto de todas essas séries, a artista apresentou o programa Irritando Fernanda Young, também no canal GNT, até 2010. No mesmo ano, estreou o seriado Separação?! na Globo. Mais uma vez criada por ela e o marido Alexandre Machado, a produção contava a história de Agnaldo (Vladimir Brichta) e Kárin (Débora Bloch), um casal prestes a se divorciar, mas que, por alguma razão, não consegue pôr um fim definitivo no relacionamento. O grande sucesso de público e crítica rendeu a Fernanda sua primeira indicação ao Emmy internacional de Melhor Comédia.

    Em 2011, foi a vez de Macho Man chegar às telinhas. Protagonizado por Jorge Fernando, o seriado abordava as aventuras de Nelson, um cabeleireiro gay muito bem resolvido que, após ser atingido pelo sapato de uma drag queen, passa a sentir atração sexual por mulheres. Além de escrever o texto, ela também fez participações especiais como atriz. Ainda no mesmo ano, Fernanda voltou a trabalhar como apresentadora no programa Duas Histéricas, onde viajou o mundo para mostrar as peculiaridades de destinos não convencionais, ao lado de Camila Nunes

    Alinne Moraes e Danton Mello em Como Aproveitar o Fim do Mundo (2012).

    No ano seguinte, o talento de Young foi mais uma vez reconhecido internacionalmente: a roteirista foi indicada pela segunda vez ao Emmy de Melhor Comédia pela série Como Aproveitar o Fim do Mundo. No seriado da TV Globo, Alinne Moraes interpretou Kátia, uma mulher que, por acreditar na data apocalíptica prevista pelos maias, decidiu viver intensamente tudo o que sempre quis até o dia 21 de dezembro de 2012. Ainda no mesmo ano, Fernanda se dedicou à outra produção que também abordava o final dos tempos, o programa Confissões do Apocalipse, no canal GNT. Já em 2013, ela e o marido lançaram as comédias O Dentista Mascarado, estrelada por Marcelo Adnet, e Surtadas na Yoga, protagonizada pela própria Fernanda, ao lado de Flávia Garrafa e Anna Sophia Folch.

    Após quatro anos, a roteirista voltou a escrever para a TV Globo, lançando a série Vade Retro em 2017. Na comédia, Monica Iozzi interpreta Celeste, uma advogada ingênua que é contratada pelo misterioso Abel Zebu (Tony Ramos), um executivo que trabalha como coach de empresários e parece ser o próprio Diabo. No mesmo ano, Edifício Paraíso chegou ao canal GNT e contava as histórias cotidianas de cinco casais, todos vizinhos no mesmo prédio.

    Tatá Werneck e Eduardo Sterblitch em Shippados (2019).

    Já em 2019, Shippados estreou no Globoplay, acompanhando as desventuras de um jovem casal que se conhece quando ambos foram abandonados, em um bar, durante encontros com outras pessoas. A série, protagonizada por Eduardo Sterblitch e Tatá Werneck, foi o último trabalho de Fernanda, que ainda iria estrelar uma nova peça de teatro. “Ainda Nada de Novo” tinha estreia marcada para o dia 12 de setembro e contava com Fernanda Nobre no elenco. 

    Infelizmente a vida de Young foi breve, mas sua extensa obra continuará sendo apreciada.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top