Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Festival de Gramado 2019: "Hebe entendeu a responsabilidade que tinha para ter voz", afirma roteirista
    Por Francisco Russo — 23 de ago. de 2019 às 07:02
    facebook Tweet

    A cinebiografia teve sua estreia mundial nesta quarta, no Palácio dos Festivais.

    Um dos filmes mais aguardados da seleção de Gramado neste ano era Hebe - A Estrela do Brasil, não só por ser uma produção de maior porte mas também pela curiosidade em conferir a caracterização de Andréa Beltrão como a apresentadora mais popular da história da TV brasileira.

    Bem recebido pelo público, Hebe desde já está credenciado a Kikitos na premiação deste sábado. O diretor Maurício Farias e a roteirista Carolina Kotscho conversaram com o AdoroCinema e revelaram detalhes sobre a cinebiografia, que chegará ao circuito comercial em 26 de setembro.

    Cleiton Thiele/Agência Pressphoto
    Andréa Beltrão no tapete vermelho, toda encasacada para fugir do frio de Gramado

    ESCOLHA PELO RECORTE

    Ao contrário de muitas cinebiografias, Hebe não busca abranger toda a vida da apresentadora mas apenas um recorte específico, nos anos 80, quando ela deixou a Bandeirantes por discordar da interferência do governo em seu programa e, já no SBT, quando bateu de frente com vários deputados devido às críticas feitas em relação à corrupção. A roteirista Carolina Kotscho explica o porquê desta decisão.

    "Podia ser qualquer filme, essa mulher ficou 60 anos no ar. O material de registro era imenso, uma fã guardou material desde quando ela estreou no rádio, aos 14 anos, até o fim de vida dela. Primeiro fiz um mergulho muito profundo para entender a essência e, para mim, ela estava representada neste momento. É quando Hebe transborda e entende quem ela é e a responsabilidade que tinha por ocupar aquele espaço. Ela deixa de ser uma boneca no palco para ter voz", explicou.

    "Quando li o roteiro, fiquei surpreso também", disse o diretor Maurício Farias. "Fazer uma cinebiografia tem muitos desafios, ainda mais de uma pessoa tão conhecida quanto a Hebe. Este recorte possibilitou que fizéssemos um mergulho mais profundo e deu ao filme uma espécie de lente de aumento sobre a época."


    CITAR SEM VIRAR UMA CARICATURA

    Apesar de ser tentador imitar à exatidão os trejeitos típicos de Hebe, Andréa Beltrão vai numa vertente em que cita a apresentadora em seu gestual e no modo de falar mas sem jamais se tornar uma caricatura.

    "Acredito que a Andréa [Beltrão] tenha estudado a Hebe por um ano e meio. Desde que a Carolina fez o convite, ela ficou fascinada com o desafio e passou a assistir várias entrevistas da Hebe. A partir disto, ela fez um trabalho muito delicado e sensível, de pegar o que ela enxergava que era a essência da Hebe. Foi um trabalho de imensa preparação, feito com muito amor e dedicação", afirmou Maurício.

    "Escrevi para a Andréa", revelou Carolina. "Era um desafio imenso, pois todo mundo conhece muito pelo brilho e pela graça. A história que queria contar é um drama, e poucos atores conseguem isto com a mesma intensidade. Andréa nos faz rir há tanto tempo, mas nos projetos pessoais ela vai para um lugar muito denso, como na peça teatral Antígona. E ela topou! O que acho mais fascinante é que não é a Hebe, não é uma imitação da Hebe mas ocupa este lugar. Ela enche a tela com esta força, isto é muito raro."

    PENTEADOS & FIGURINO

    Não dá para retratar Hebe deixando de lado o cuidado que tinha com o penteado e o figurino, sempre repleto de brilho, que tanto marcou a apresentadora. "Neste filme, isto também contava a história", comentou Carolina. "Tive acesso à casa dela e as roupas e joias que usava, inclusive os sapatos da Hebe caíram como uma luva nos pés da Andréa, foi algo surreal!"

    Carolina contou ainda uma situação inusitada ocorrida com as joias vistas no filme, todas pertencentes à própria Hebe. "Nenhuma seguradora quis [fazer a apólice] e o Cláudio [Pessutti] fazia questão que fossem as joias verdadeiras porque senão a tia dele ficaria puta! Então elas ficavam na minha casa e tínhamos duas opções: ou contratávamos uma equipe de seis seguranças e corríamos o risco de sermos atacados por uma quadrinha, ou fingíamos que eram de mentira. A gente resolveu dizer que eram réplicas, então iam para minha casa na mochila, com R$ 8 milhões nas costas. Era três vezes mais que o orçamento do filme!"


    BASTIDORES DA TV NO CINEMA

    Um dos aspectos que mais chama a atenção em Hebe é o modo como os bastidores da TV é escancarado, seja através dos atritos existentes na Bandeirantes até a ida da apresentadora para o SBT, ou mesmo sua dinâmica com a câmera e com a equipe que o rodeava. Veterano da TV, com séries do porte de A Grande FamíliaTapas e Beijos no currículo, o diretor Maurício Farias explicou como optou por esta representação da telina na telona.

    "Para mim não foi muito difícil, pois como dirijo televisão há muitos anos estou naquele ponto de vista. O que eu e a Carolina [Kotscho] queríamos era trazer a Hebe sob um ponto de vista que o público não viu. Este raciocínio levou a este ponto de vista, ver o programa da Hebe como ela via me parecia mais interessante. Ao mesmo tempo, é um jeito de estarmos mais perto dela mesma", afirmou.


    Hebe - A Estrela do Brasil conta ainda com Marco Ricca, Danton Mello, Gabriel Braga Nunes, Karine Telles, Otávio AugustoDaniel BoaventuraFelipe Rocha no elenco. Confira nossa crítica!

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top