Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Bolsonaro transfere direção da Ancine para Brasília por suposto ativismo
    Por Ygor Palopoli — 19 de jul. de 2019 às 13:52
    facebook Tweet

    Presidente alega ativismo velado em produções nacionais, citando como exemplo o filme Bruna Surfistinha.

    Por ordens diretas do atual Presidente da República, Jair Bolsonaro, a Agência Nacional do Cinema (Ancine) terá sua direção transferida para Brasília. Confirmado pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra, o pedido tem como justificativa um suposto ativismo contido em determinados filmes financiados pela agência pública.

    Um dos exemplos dados por Bolsonaro foi o longa Bruna Surfistinha, protagonizado por Deborah Secco: "Não posso admitir que, com dinheiro público, se façam filmes como o da Bruna Surfistinha. Não dá. Ele [Osmar Terra] apresentou propostas sobre a Ancine, para trazer à Brasília. Não somos contra essa opção ou aquela , mas, o ativismo, não podemos permitir, em respeito às famílias, uma coisa que mudou com a chegada do governo". 

    O comunicado foi feito pelo próprio Jair durante um evento comemorativo aos 200 dias da instauração do novo governo brasileiro. A transferência do Conselho Superior de Cinema — responsável pela política nacional de audiovisual — para a Casa Civil foi assinada no fim desta quinta-feira (18). A ideia é que, a partir de agora, o Palácio do Planalto possa opinar nas decisões feitas pelo órgão.

    Imagem Filmes
    Dirigido por Marcus Baldini, Bruna Surfistinha foi criticado pelo presidente.

    Vale lembrar que, recentemente, o Tribunal de Contas da União (TCU) emitiu uma recomendação de congelamento do Fundo Setorial do Audiovisual, responsável pelos repasses de verba para projetos audiovisuais. Na ocasião, por determinação do TCU, a Ancine foi instruída a reavaliar seus projetos e práticas, na intenção de sanar eventuais brechas.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    • O Mecanismo: Segunda temporada traz personagem inspirado em Jair Bolsonaro
    • Ancine pode ser proibida pelo Tribunal de Contas da União de financiar novos projetos audiovisuais
    • Tribunal suspende cota que limita o lançamento de blockbusters no Brasil
    • Filme bom é filme de grande bilheteria? Ancine é criticada por critério controverso de distribuição de verbas
    • Ancine regulamenta impostos para Netflix e outros serviços de streaming
    • Netflix desmente filho de Jair Bolsonaro sobre série: "Você está louca, querida"
    • Mulheres e profissionais negros ainda são minoria no mercado de cinema brasileiro, aponta estudo da ANCINE
    • Ancine questiona consequências da fusão entre Time Warner e AT&T no Brasil
    Pela web
    Comentários
    • Isabele Gomes
      Pelo visto a Ancine só irá patricionar filmes p as empresas do Bispo Macedo e seu público evangelizados.Resta saber como irá ser surpervisionado o tal dinheiro público neste novo modelo de governo na Ancine
    • Fulano sem Nome
      Honestamente, eu fico dividido. Pq se não for o governo ajudar a fazer filme, não existiria cinema nacional. Por outro lado, conseguir dinheiro da ANCINE é mto difícil. Pq é q nem em Hollywood, é uma panelinha e quando consegue é pouco, por isso q tem tanto patrocínio em cima dos filmes nacionais. E tem o lado q cinema é algo empresarial né? Dinheiro público bancar algo de risco é meio esquisito. Sem contar q o dinheiro vai para o produtor. Então assim, é mto complicado essa situação.
    • BlackCloud Film
      Eu mesmo queria dinheiro pra financiar um dos meus filmes na ANCINE, mais tambem nao concordo com oque Bolsonaro esta fazendo!!!
    • Ricardo Fortes
      Em breve nos cinemas, um filme sobre a utopia que foi o regime militar.
    • João
      Esse bolsonaro é um merda, deveria ser morto!
    Mostrar comentários
    Back to Top