Meu AdoroCinema
    Atentado ao Hotel Taj Mahal: Diretor revela que usou diálogos do próprio ataque terrorista no filme (Entrevista Exclusiva)
    Por Francisco Russo — 13/07/2019 às 08:15
    facebook Tweet

    Estrelado por Dev Patel e Armie Hammer, o longa-metragem já está em cartaz nos cinemas brasileiros.

    Em 2008, a cidade indiana de Mumbai foi surpreendida por um ataque terrorista fulminante, que atingiu 12 pontos da cidade. Um dos mais conhecidos era o hotel Taj, símbolo local, que se viu cercado por dias. Quem lá estava, dentre hóspedes e funcionários, precisou se esconder em seus aposentos e trabalhar em conjunto, para que tivesse alguma chance de sobrevivência.

    Esta história real, repleta de tragédia e solidariedade, inspirou o até então curta-metragista Anthony Maras a se aventurar dentre os longas. Diretor de Atentado ao Hotel Taj Mahal, ele conversou com exclusividade com o AdoroCinema e revelou não apenas suas inspirações, mas também como foi o trabalho com os astros Dev Patel e Armie Hammer, coprotagonistas do filme. Confira!

    COMO TUDO COMEÇOU

    O processo de criação de Atentado ao Hotel Taj Mahal teve início muito antes do lançamento do filme, por volta de 2014. Foi neste período que, após assistir a um documentário, Maras resolveu investigar a fundo o que aconteceu em Mumbai de forma a, talvez, fazer dali seu primeiro longa-metragem.

    "Vi um documentário chamado Surviving Mumbai, que foi um dos primeiros feitos pelas pessoas que estavam no local, logo depois os acontecimentos", disse o diretor. "Antes, sabia tanto quanto as outras pessoas sobre os ataques: vi na televisão um monte de prédios em chamas, mas só depois de ver esse documentário que pude entender o lado humano da história. Fiquei muito emocionado com isso.

    Houve então um processo de pesquisa de um ano, onde fiz várias viagens à Índia, fiquei no hotel Taj e entrevistei vários funcionários que ainda trabalham lá, além de outros hóspedes que estavam em Mumbai. Durante esse processo, a história evoluiu.

    Acho que o que me emocionou nessas histórias foi que os funcionários, pessoas com suas vidas, famílias e tudo mais, quando o ataque começou eles tiveram a oportunidade de sair do hotel, mas em muitos casos ficaram para cuidar dos hóspedes. Obviamente, foi um ataque muito brutal, muitas coisas terríveis e violentas aconteceram. No hotel Taj o ataque durou vários dias, mas somente 31 pessoas morreram, a maioria sobreviveu. Isso porque pessoas de todos os tipos e com estilos de vida diferentes se juntaram para tentar sobreviver. Tentamos explorar isso no filme."

    DIÁLOGOS DOS TERRORISTAS

    Em busca da veracidade, Anthony Maras e sua equipe fez todo tipo de pesquisa sobre os eventos de 2008 em Mumbai, incluindo transcrições feitas pela polícia das conversas telefônicas entre os terroristas e seus líderes, que estavam a milhares de quilômetros de distância.

    "Durante a pesquisa vimos os depoimentos das testemunhas e também evidências do caso, incluindo a transcrição das interceptações das ligações gravadas entre os atiradores e seus chefes. Isso nos deu um relatório minucioso. Você ouve o que os atiradores estão conversando e também seus chefes, o que é aterrorizante, porque nos dá a impressão que esses são jovens controlados e influenciados à distância. Após pesquisas, fica claro que existem vários desses jovens que nasceram nos campos no Paquistão, em campos de treinamento. Uma das coisas que eles buscavam era quem poderia continuar a desordem, em quem poderiam fazer lavagem cerebral. Os testemunhos e as transcrições eram uma prova disso. Nós podíamos ver o quanto os chefes os controlavam. Mesmo assim, era surpreendente."

    OS DEMAIS FOCOS DOS ATAQUES

    Por mais que os ataques terroristas de 2008 tenham atingido 12 pontos distintos, o foco principal do longa-metragem é o que aconteceu no hotel Taj. O que não significa que os demais foram excluídos da história.

    "O roteiro mostra um pouco dos outros ataques também", explica o diretor. "Filmamos o 1º ataque na estação de trem, também cobrimos o sequestro do carro do chefe do esquadrão antiterrorismo e o ataque no Café Leopold. A história se concentra no hotel Taj, mas os outros ataques são mencionados através da cobertura da mídia durante o filme, que afirma que que vários outros lugares também foram atacados.

    Decidimos nos concentrar no Taj porque foi ali que fizemos a maioria das entrevistas. Taj é um símbolo muito importante da Índia, particularmente em Mumbai, foi o primeiro lugar na Índia a ter energia elétrica. Há 100 anos, esse hotel recebia pessoas de qualquer raça, religião, nacionalidade. Por isso acho bastante emocionante quando você vê todas essas pessoas tão diferentes se reunindo para sobreviver. Mesmo tendo ataques em outras partes de Mumbai, por isso ficamos concentrados no Taj. Isso não quer dizer que os ataques nos outros lugares foram menores, mas em um filme é difícil englobar todos os 12 lugares que foram atacados. Então quisemos nos concentrar profundamente em um, ao invés de mostrar todos de forma superficial."

    AUSTRÁLIA COMO MUMBAI

    No atual mundo globalizado, é comum que grandes produções por vezes sejam rodadas em locais bem distantes dos citados no filme. É o caso de Atentado ao Hotel Taj Mahal, onde parte das filmagens aconteceu na... Austrália!
     
    "Filmamos metade do filme na Índia, em Mumbai. Todas as externas e os grandes interiores, como o lobby, foram filmados em Mumbai. As partes menores do hotel, como os quartos, os armários e os corredores, filmamos na Austrália.", explicou o diretor. "Foi um grande desafio fazer com que os personagens saíssem de uma locação na Austrália, mas de forma que você teha a impressão que ainda é o mesmo prédio na Índia."

    O diretor Anthony Maras (centro) durante as filmagens na Austrália

    DEV PATEL & ARMIE HAMMER

    "Escrevi esse papel com Dev Patel em mente", revelou o diretor. "Sou fã do trabalho dele há muito tempo. Lion foi incrível! O personagem dele foi uma junção de vários funcionários do hotel Taj, pudemos explorar problemas como preconceito e a não julgar um livro pela capa."
     
    "Já Armie Hammer foi um dos primeiros atores escolhidos, ele queria fazer algo diferente. Ele é tão versátil, depois de Me Chame Pelo Seu NomeWounds não poderia fazer algo mais diferente que Atentado ao Hotel Taj Mahal. Ele está pronto para uma aventura e papéis desafiadores. E tem dois filhos, o que também influenciou o personagem, porque também é pai e está tentando proteger seu filho em uma situação muito difícil, acho que ele se identificou com isso. Tínhamos muitas entrevistas com as pessoas que viveram isso e ele passou muito tempo estudando as suas memórias sobre o ataque. Foi ótimo trabalhar com ele."

    MENSAGEM DO FILME
     
    "Atentado ao Hotel Taj Mahal traz uma mensagem universal. Nós vemos na mídia tudo que nos divide, como religião, etnia e todas essas coisas diferentes. No entanto, o que nós vimos no Taj são pessoas de religiões, etnias, raças, de diversas situações econômicas diferentes e, apesar dessas diferenças, eles se juntaram, se fortaleceram e conseguiram sobreviver. Isso é algo que me emociona muito. Eu acho que essa foi uma mensagem importante a explorar."

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Siga o AdoroCinema
    Trailers
    Brinquedo Assassino (2019) Trailer (2) Legendado
    Socorro! Virei uma Garota Trailer
    Os Brinquedos Mágicos Trailer Dublado
    Pássaros de Verão Trailer Legendado
    Entre Tempos Trailer Legendado
    Sereia Predadora Trailer Original
    Todos os últimos trailers
    Notícias de cinema Entrevistas
    Elenco de Socorro! Virei uma Garota participa do The AdoroCinema Show
    NOTÍCIAS - Entrevistas
    quarta-feira, 14 de agosto de 2019
    8 ½ Festa do Cinema Italiano 2019: Para diretor de A Melhor Juventude, temos muito a aprender com os anos 1960 (Exclusivo)
    NOTÍCIAS - Entrevistas
    sexta-feira, 9 de agosto de 2019
    8 ½ Festa do Cinema Italiano 2019: Para diretor de A Melhor Juventude, temos muito a aprender com os anos 1960 (Exclusivo)
    Simonal: "Ele não existiu mais como artista porque foi vítima de fake news e racismo", diz Fabrício Boliveira sobre o músico
    NOTÍCIAS - Entrevistas
    quinta-feira, 8 de agosto de 2019
    Simonal: "Ele não existiu mais como artista porque foi vítima de fake news e racismo", diz Fabrício Boliveira sobre o músico
    Últimas notícias de cinema Entrevistas
    Filmes da semana
    de 15/08/2019
    Nada a Perder 2
    Nada a Perder 2
    Diretor: Alexandre Avancini
    Elenco: Petrônio Gontijo, Day Mesquita, Beth Goulart
    Trailer
    Era uma Vez em... Hollywood
    Era uma Vez em... Hollywood
    Diretor: Quentin Tarantino
    Elenco: Leonardo DiCaprio, Brad Pitt, Margot Robbie
    Trailer
    Eu Sou Brasileiro
    Eu Sou Brasileiro
    Diretor: Alessandro Barros
    Elenco: Daniel Rocha, Fernanda Vasconcellos, Letícia Spiller
    Trailer
    Noite Mágica
    Noite Mágica
    Diretor: Paolo Virzì
    Elenco: Mauro Lamantia, Giovanni Toscano, Irene Vetere
    Trailer
    Espero tua (Re)volta
    Espero tua (Re)volta
    Diretor: Eliza Capai
    Elenco: Marcela Jesus, Lucas Penteado, Nayara Souza
    Trailer
    Lançamentos da semana
    Back to Top