Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    10 filmes chocantes baseados em histórias reais de assassinos em série
    Por Bruno Carmelo — 13 de jul. de 2019 às 08:40
    facebook Tweet

    O Bar Luva Dourada e Ted Bundy - A Irresistível Face do Mal vêm aí.

    Nas próximas semanas, os cinemas brasileiros recebem dois filmes baseados em casos reais de serial killers: O Bar Luva Dourada, que estreia dia 18 de julho, e Ted Bundy - A Irresistível Face do Mal, que estreia dia 25 de julho.

    O AdoroCinema aproveita para falar sobre estes dois filmes, além de oito produções marcantes que giram em torno da psicologia complexa dos assassinos em série. A lista, repleta de produções controversas, traz alguns dos maiores clássicos do suspense e do terror:


    1. O Bar Luva Dourada (2019)

    Segundo o diretor Fatih Akin (de Em Pedaços e Contra a Parede), o assassino Fritz Honka assombrou a sua infância ao assassinar dezenas de mulheres na cidade de Hamburgo. Este homem notoriamente feio e antissocial, cliente do bar Luva Dourada, sequestrava mulheres locais e, diante de sua própria impotência sexual, culpabilizava as vítimas, matando-as de forma brutal. Por trás de muitas próteses e maquiagem, Jonas Dassler vive o assassino, em cenas repletas de sangue, sujeira e nudez explícita, que chocaram o Festival de Berlim. Leia a nossa crítica e assista ao trailer.



    2. Ted Bundy - A Irresistível Face do Mal (2019)

    O psicopata Ted Bundy sempre fascinou os Estados Unidos por sua história única: o estudante de direito, popular com as garotas e admirado pelos moradores da cidade, estuprou e assassinou mais de 30 mulheres. Com destreza, efetuou sua própria defesa no tribunal, convencendo parte da mídia de sua inocência. Para interpretar o sujeito charmoso, o diretor Joe Berlinger escolheu ninguém menos que Zac Efron, e tomou uma decisão arriscada ao contar a história pelo ponto de vista da namorada do protagonista, Elizabeth (Lily Collins). Vale lembrar que Ted Bundy já foi tema de dezenas de produções, servindo de principal referência a Psicopata Americano (2000) e dando origem a biografias mais tradicionais como The Deliberate Stranger (1986). Assista ao trailer.


    3. Zodíaco (2007)

    O caso do assassino do Zodíaco se tornou famoso por motivar uma investigação longuíssima que jamais desvendou a identidade do criminoso, a quem se atribui entre cinco e trinta mortes. Por isso, o diretor David Fincher se concentrou menos na punição do responsável do que na paranoia e na sensação de impotência dos jornalistas Robert (Jake Gyllenhaal) e Paul (Robert Downey Jr.), além do investigador da polícia David (Mark Ruffalo). Além de se basear no livro de Robert Graysmith, Fincher efetuou sua própria investigação sobre o criminoso que enviava cartas em códigos, o que resultou no caráter detalhado do filme de mais de 2h30 de duração. O resultado foi um sucesso de crítica, mas recepção morna do público. 


    4. Psicose (1960)

    Um dos principais filmes da carreira de Alfred Hitchcock foi baseado no romance de Robert Bloch, e inspirado nos crimes cometidos por Ed Gein nos anos 1950. O diretor se concentrou especificamente na relação doentia do protagonista com sua mãe, mas vale destacar que o assassino real matou pelo menos duas mulheres, e foi implicado no desaparecimento de outras cinco pessoas. Anthony Perkins interpreta o gerente de um hotel de beira de estrada cujo desejo sexual por uma hóspede está diretamente relacionado aos seus impulsos violentos. Décadas mais tarde, a formação do jovem psicopata foi destrinchada na série Bates Motel, com Freddie Highmore no papel principal. Ed Gein já ganhou biografias mais convencionais, a exemplo de Ed Gein: The Butcher of Plainfield (2007), telefilme de fraca repercussão entre os críticos.


    5. Dahmer (2002)

    "Eu sou um pervertido, um exibicionista, um masturbador e um assassino". Antes de atuar em Vingadores, Guerra ao TerrorMissão Impossível e O Legado Bourne, o jovem Jeremy Renner encarnou o criminoso Jeffrey Dahmer no filme do diretor David Jacobson. Enquanto o principal alvo dos assassinos desta lista são as mulheres, desta vez o foco do serial killer eram os jovens gays, seduzidos em bares locais e depois drogados, estuprados e mutilados. Dahmer guardava partes dos corpos, o que contribuiu para a sua condenação. No total, ele atacou dezessete homens diferentes, e morreu na prisão, assassinato por outro detento.


    6. Monster: Desejo Assassino (2003)

    A história de Aileen Wuornos é particularmente dura: a mulher foi agredida pelo pai psicopata quando criança, e depois estuprada pelo irmão. Começou a desenvolver comportamentos agressivos, incluindo a automutilação, que deixou várias marcas no rosto. Depois de ser presa e condenada por diversos delitos, a prostituta iniciou relacionamentos com mulheres e passou a envolver a namorada Tyra Moore no -assassinato de sete homens de meia-idade. Por este papel complexo, Charlize Theron, irreconhecível por baixo da maquiagem - e muitíssimo parecida com Aileen - venceu o Oscar, o Globo de Ouro e o Urso de Ouro de melhor atriz. Aileen também foi citada na série American Horror Story: Hotel, onde foi interpretada por Lily Rabe.


    7. A Condessa (2009)

    Embora os casos mais famosos de assassinatos em série pertençam ao século XXI, existem criminosos muito mais antigos neste quesito. No século XVII, a húngara Isabel Báthory se tornou famosa ao assassinar centenas de jovens garotas, pois acreditava que o sangue das virgens seria o segredo da beleza eterna. Ao contrário de tantos serial killers especializados em ocultar suas ações, Báthory jamais ocultou realmente as mortes, que aconteciam em conivência com o marido. Os planos de Báthory envolviam múltiplas técnicas de tortura que iam desde jogar água fria no corpo das vítimas e fazê-las morrer de frio sobre a neve até espetar alfinetes nos mamilos e sob as unhas. O filme dirigido, escrito e estrelado por Julie Delpy foi aclamado pela crítica e se tornou um grande sucesso de público na França. 


    8. O Silêncio dos Inocentes (1991)

    Um dos filmes mais influentes sobre serial killers em todos os tempos, este suspense gira em torno de não apenas um psicopata, mas dois: o canibal Hannibal Lecter (Anthony Hopkins), inspirado no cirurgião Alfredo Ballí Treviño, conhecido pela inteligência e elegância, e o brutal Buffalo Bill (Ted Levine), personagem fictício que reúne características de Ed Gein, Ted Bundy e Gary Michael Heidnik. A ponte entre ambos é Clarice Sterling (Jodie Foster), jovem funcionária do FBI encarregada de extrair do prisioneiro Hannibal alguma pista sobre o paradeiro de Buffalo Bill. O complexo jogo de manipulação entre os protagonistas fez de O Silêncio dos Inocentes um dos filmes mais premiados sobre assassinos em série, vencendo os Oscar de melhor filme, ator, atriz, diretor e roteiro adaptado.


    9. Halloween - A Noite do Terror (1978)

    Embora a maioria dos vilões de terror seja puramente fictícia, alguns deles foram extraídos de histórias reais. Michael Myers, que deu origem à prolífica franquia Halloween, foi supostamente inspirado em Edmund Kemper, conhecido pelo assassinato e mutilação de dez pessoas. Assim como Myers, Kemper matou membros de sua família quando criança, preferia usar facas nos crimes e se escondia por trás de máscaras. Mas o assassino real foi ainda mais longe que a trama do cinema, tendo contato sexual com os cadáveres. Além do filme de John Carpenter, outro clássico de terror, O Massacre da Serra Elétrica (1974), de Tobe Hooper, se inspirou livremente da vida de Ed Gein.


    10. Os Crimes de Snowtown (2011)

    O filme que apresentou ao mundo o talento do diretor Justin Kurzel (Macbeth: Ambição e Guerra, Assassin's Creed) é baseado na mais famosa série de crimes da história australiana. Nos anos 1990, James Vlassakis, John Bunting e Robert Wagner foram condenados por torturar e matar doze pessoas. No filme, a iniciativa dos crimes parte de John Bunting (Daniel Henshall), uma espécie de líder extremista que ataca homens presumidos homossexuais ou pedófilos. A construção dos crimes de ódio se torna o foco do filme, contado pelo ponto de vista de James Vlassakis (Lucas Pittaway), um jovem sem perspectivas de vida, que enxerga em John uma possibilidade de pertencimento social.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Henrique Brum
      referencia/influencia vai ter em todas as historias criadas...se alguém só usou pessoas pra criar um personagem não quer dizer que o filme é baseado em historia real...
    • Oliver Silvano Sil
      Faltou filmes ai.
    • Krauser
      Ótima lista.
    Mostrar comentários
    Back to Top