Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Festival de Cannes 2019: De Tarantino a Bong Joon-ho, confira os destaques desta edição
    Por Renato Hermsdorff — 25 de mai. de 2019 às 09:04
    facebook Tweet

    Passando por Elton John, Céline Sciamma, Robert Pattinson.

    A 72ª edição do Festival de Cannes, se comparada com a do ano passado, trouxe uma seleção bem mais popular, que incluiu os novos filmes de Jim Jarmusch, Os Mortos Não Morrem, com Bill MurrayPedro Almodóvar e o autobiográfico Dor e Glória; e, claro, Quentin Tarantino, com Era uma Vez em… Hollywood.

    Além destes e fora de competição, Elton John colocou todo mundo para cantar com Rocketman. O resultado, muito mais fila aqui na bela Croisette.

    O Brasil não fez feio. Bacurau, de Kleber Mendonça Filho, e O Traidor, uma coprodução com a Itália, também disputam a Palma de Ouro, que este ano, será concedida por um júri dividido democraticamente entre quatro homens e quatro mulheres, presidido pela primeira vez por um latino-americano, o mexicano Alejandro González Iñárritu.

    Divulgação
    Era uma Vez em... Hollywood

    Com a disputa pela Palma pegando fogo, no entanto, o filme-sensação deste ano corre por fora em uma mostra paralela, a Quinzena dos Realizadores. “The Lighthouse é um filme bem surpreendente. Ele demora para construir a relação entre os dois personagens principais, o Robert Pattinson e o Willem Dafoe. E quando vai virando um filme de terror, quando entra a violência, é uma violência muito forte, super impactante”, analisa o crítico do AdoroCinema Bruno Carmelo.

    Divulgação
    The Lighthouse

    De volta à briga pelo prêmio máximo do Festival, ele aposta em duas produções: Parasite e Portrait of a Lady on Fire.

    O primeiro, sul coreano, é “uma comédia muito bem feita, divertidíssima, sobre uma família tentando se passar por outra. É uma questão de luta de classe, só vendo para acreditar. Esse poderia ser um ótimo filme, tanto comercial quanto de arte, que agradaria a um número grande de pessoas”.

    Portrait é um drama de época bem austero sobre uma paixão homossexual no século XVIII. “Eu acho um tanto frio, mas muita pessoas da imprensa gostaram e estão apostando nisso para recompensar um filme francês, dirigido por uma cineasta mulher [Céline Sciamma]”.

    O crítico Bruno Carmelo.

    Agora é aguardar a premiação, que acontece neste sábado, 25 de maio. A gente espera que esses filmes, se não todos, o maior número possível, cheguem aos cinemas brasileiros. E rápido. Pra encerrar, a gente deixa vocês com uma imagem de As Praias de Agnés, da queridinha Agnés Vardá, que faleceu esse ano. A cineasta é tema do cartaz da 72ª edição do Festival de Cannes.

    Confira a reportagem no vídeo acima.

     

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top