Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    É Tudo Verdade 2019: Arqueóloga Niède Guidon ganha documentário sobre sua extensa carreira
    Por Barbara Demerov — 12 de abr. de 2019 às 08:03
    facebook Tweet

    Dirigido por Tiago Tambelli, filme faz parte da Competição Brasileira de Longas e Médias-Metragens.

    Há sempre mais da História contida no passado e que, de fato, conseguimos ver; basta procurar. Essas palavras sintetizam a determinação da vida de Niède Guidon, arqueóloga brasileira de 85 anos que ajudou a construir o Parque Nacional Serra da Capivara, no Piauí, devido às suas intensas pesquisas para construir teorias plausíveis de que o povoamento no continente aconteceu muitos anos antes do que está registrado.

    O documentário Niède, em suas mais de duas horas de duração, viaja não só para a região Nordeste do Brasil como também mergulha, de forma consistente, nos principais percalços encarados pela profissional ao longo das décadas. Passando rapidamente por seu início de carreira como professora e em Paris, o documentário não tarda a dar todo seu foco para o sítio arqueológico da Serra da Capivara e todos os seus desdobramentos. 

    O modo como a montagem, com a ajuda dos excelentes materiais de arquivo dos anos 60 aos 80 (que remetem a um filme de ficção pelas aventuras ao longo da Serra), auxiliam o filme a ganhar cada vez mais profundidade – assim como Niède vai ganhando fôlego com sua equipe a encarar locais cada vez mais abaixo da terra.

    A curiosidade e o feeling da arqueóloga misturam-se com a vontade incessante de provar para entidades, organizações e sociedade de que o homem chegou ao continente americano em outra época e deixou sua marca de forma tão caprichosa quanto impressionante. Os momentos contemplativos do documentário também remetem a outra grande obra biográfica: O Sal da Terra, sobre o fotógrafo Sebastião Salgado.

    Niède tem um forte apelo para que a sociedade cuide de sua natureza utilizando o fato de que os sítios arqueológicos não são apenas uma garantia de que a História se mantenha viva, como também de que a flora e a fauna também possam ser preservadas da forma que merecem. Este é mais um exemplar da alta qualidade dos filmes apresentados nesta edição do festival.

    Leia as nossas críticas do 24º Festival É Tudo Verdade:

    A Arrancada
    Carta a Theo
    Cine Marrocos
    Dorival Caymmi - Um Homem de Afetos
    Estou me Guardando para Quando o Carnaval Chegar
    Fotografação
    Hungria 2018 - Bastidores da Democracia
    Memórias do Grupo Opinião
    Mike Wallace Está Aqui
    Piazzolla: Os Anos do Tubarão
    Reconstruindo Utoya
    Rumo
    Soldado Estrangeiro
    Soldados da Borracha
    Ziva Postec - A Montadora por Trás do Filme Shoah

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top