Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Mostra de Tiradentes 2019: Cerimônia de abertura em SP exalta Lei Rouanet, Luciana Paes e o cinema caseiro de Vermelha
    Por Bruno Carmelo — 29 de mar. de 2019 às 14:30
    facebook Tweet

    Exibições diárias até o dia 3 de abril, no CineSesc.

    Na noite de 28 de março, a Mostra de Tiradentes iniciou sua itinerância em São Paulo com uma cerimônia no CineSesc.

    Para um festival iconoclasta, a abertura foi igualmente avessa a convenções: ao invés dos tradicionais discursos de agradecimento, o evento foi marcado por apresentações musicais e performances introduzindo o tema dos "Corpos Adiante".

    Com destaque às vozes negras, femininas e LGBT, o evento clamou por igualdade e se propôs a apresentar "um dos retratos mais pungentes da cultura e sua diversidade". Além disso, a tela do cinema foi tomada por letreiros explicando o papel fundamental da Lei Rouanet no fomento à cultura e as dezenas de bilhões de reais devolvidos à economia nacional através da arte.

    A homenageada da noite, a atriz Luciana Paes, demonstrou sua tradicional desenvoltura ao pedir um cinema mais diverso e uma representação feminina para além do par romântico do herói. Dona de um "biotipo de difícil absorção", em suas palavras, ela comemorou o fato de ter colaborado com alguns dos maiores diretores e atores brasileiros da atualidade, destacando-se em filmes como O Animal Cordial e Sinfonia da Necrópole. O prêmio foi mais do que merecido: da televisão ao cinema, dos curtas aos longas-metragens, Paes se tornou uma das atrizes mais talentosas e versáteis da atualidade.

    Vermelha, de Getúlio Ribeiro

    A noite ainda contou com a exibição de Vermelha, comédia goiana vencedora da Mostra Aurora em 2019. O diretor Getúlio Ribeiro trabalha em estilo assumidamente caseiro, com luz natural e atores não profissionais, para borrar os limites entre documentário e ficção. De acordo com o crítico do AdoroCinema:

    "Recusando a lógica da linearidade e praticando a linguagem cinematográfica  como um idioma estrangeiro que não conhecemos, o filme faz o impossível para nos surpreender — afinal, não é nada comum presenciar uma acalorada discussão sobre a imprecisão do sistema métrico agrário pelas propriedades rurais Brasil afora, com alqueires entrando em conflito com hectares: esta é uma narrativa que eleva o prosaico ao nível do surreal". Leia o texto completo.

    A Mostra de Tiradentes em São Paulo ocorre até o dia 3 de abril, com sessões diárias no CineSesc. Entre os títulos exibidos encontram-se outras produções premiadas como Meu Nome É DanielParque Oeste e A Rosa Azul de Novalis. A programação completa pode ser conferida no site oficial do evento.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top