Meu AdoroCinema
    Admirável Mundo Pop: Pelo direito de rever bons filmes
    Por Pablo Miyazawa — 25/03/2019 às 19:00
    facebook Tweet

    Nós, de Jordan Peele, é a prova de que uma boa reviravolta é o melhor motivo para se ir ao cinema várias vezes.

    Nós, novo filme do incrivelmente talentoso Jordan Peele, estreou nos cinemas na semana passada, carregado de sustos, mistérios e surpresas (e batendo recordes de bilheteria). É o típico filme que quanto menos você souber com antecedência, melhor. Evitar os trailers e spoilers é difícil nesses tempos loucos de redes sociais, mas quem consegue essa proeza terá uma experiência mais intacta, por assim dizer. Não que aqueles dois trailers digam muita coisa sobre o que Nós realmente é...

    Após ver o filme antecipadamente na cabine para a imprensa, passei o dia querendo debater com os amigos, mas sabia que não podia entrar muito em detalhes. Fiquei preocupado em não falar demais, mas tive dificuldades em definir bem o que caracterizaria spoilers nesse caso. Na verdade, eu ainda não sei qual tipo de revelação poderia estragar a experiência em um filme como Nós. O plot twist, talvez? Aliás, dizer que o filme tem um plot twist configuraria um spoiler?

    Nós Trailer Legendado

     

    Este é um tema espinhoso em se tratando de como consumimos a cultura pop atualmente. Conheço gente que odeia spoilers, ao ponto de perder a vontade de ver o filme ou série após saber de uma informação importante indevidamente. E também conheço quem não se importa e até gosta de saber o que vai acontecer, meio que para "se preparar para o momento" (como se isso fizesse sentido, vai entender). 

    Eu sou radical nesse ponto. Não gosto de ouvir ou ler spoilers porque acho que a surpresa é parte essencial da experiência de consumir ficção, seja em filme, série, livro, HQ ou game. No cinema, então, isso é elevado à quinta potência: não existe nada parecido com a sensação de ser impactado por uma reviravolta da trama nos minutos finais da sessão e ficar de boca aberta até as luzes se acenderem. Nas poucas vezes em que senti isso, adorei e quis repetir. E para quem ainda não viu, eu garanto: Nós é um desses filmes. 

    No já tão citado e celebrado ano de 1999, lembro de ser arrebatado por dois plot twists em um curto espaço de tempo. Primeiro, em O Sexto Sentido, a irresistível estreia de M. Night Shyamalan. E uma semana depois, com o perturbador Clube da Luta, de David Fincher, inspirado no bizarro livro de Chuck Palahniuk. Ambos me levaram duas vezes ao cinema em dias seguidos, porque eu precisava comprovar se as pistas que levaram aos desfechos estavam assim tão na minha cara. Nos dois casos, pagar o ingresso pela segunda vez valeu muito a pena.

     

    Não raro, ver um filme de novo colabora para a obra perder um pouco da aura positiva gerada pela primeira assistida. Afinal, o impacto da primeira vez é algo que só acontece... uma vez. Felizmente, não foi o caso de minha segunda sessão de Nós, três dias depois. Na primeira, fiquei sentado na ponta da cadeira o tempo todo, cobrindo o rosto com o casaco, angustiado. Na reprise, o medo e o suor frio deram espaço ao relaxamento despreocupado. Passei a maior parte da sessão recostado, de pernas cruzadas e sorrindo, como se saber previamente das coisas me tornasse mais privilegiado do que o restante da sala. Foi uma sensação boa, confesso.

    Quando o filme é bem feito e o plot twist é digno, reassisti-lo pode ser uma experiência tão satisfatória quanto da primeira vez. A descoberta e a surpresa são substituídos pelo prazer da sabedoria e a apreciação minuciosa dos pequenos detalhes. Nessa seleta lista, além dos já citados Nós, O Sexto Sentido e Clube da Luta, incluo também Vidas em Jogo (tambem de Fincher), A Vila e Corpo Fechado (de Shyamalan), Ilha do Medo (de Martin Scorsese), Os Suspeitos (de Bryan Singer), Os Outros (com Nicole Kidman), Amnésia e O Grande Truque (de Christopher Nolan). Quais desses filmes você viu duas vezes no cinema? Eu vi todos mais de uma vez pelo menos. E não me arrependo.

     

    Mas o grande twist dos filmes com plot twist é algo que talvez nem fosse a real intenção inicial: obrigar o público -- ou pelo menos instigá-lo -- a uma segunda assistida e, consequentemente, a pagar ingresso de novo. Alguns dos filmes que citei nos fazem acreditar que as evidências para o mistério já estavam espalhadas pelas cenas, e que só nos bastaria prestar mais atenção para percebê-las. Logo, uma nova conferida ofereceria uma maneira diferente de degustar o filme -- uma que nos permite desligar parte do cérebro e prestar atenção a tudo o que antes não parecia importante. 

    Parece óbvio que existe um retorno financeiro considerável por conta desse processo de rever um filme. Quanto desse estímulo ao repeteco teria ajudado Nós a atingir seus números impressionantes no primeiro fim de semana? A produtora MonkeyPaw, de Jordan Peele, inclusive brincou que a superação das expectativas de bilheteria veio do fato de os "acorrentados" do filme terem ido assisti-lo também. Mas imagine se duas a cada dez pessoas decidirem pagar ingresso de novo. Isso corresponderia a um aumento potencial de vinte por cento no faturamento previsto -- é bastante coisa, lembrando que não é todo mundo que tem condições de gastar tanto dinheiro com cinema atualmente.

    Não é algo que acontece o tempo todo, mas que precisa ser celebrado: bons filmes com plot twists incríveis são raros -- e por isso mesmo, merecem ser assistidos de novo, e de novo, e de novo. 

    Então, veja Nós. E e sentir vontade, veja de novo. Você não vai se arrepender.



    Pablo Miyazawa é colunista do AdoroCinema e consome cultura pop há quatro décadas, de Star Wars a Atari, de Turma da Mônica a Twin Peaks, de Batman a Pato Donald. Como jornalista, editou produtos de entretenimento como Rolling Stone, IGN Brasil, Herói, EGM e Nintendo World. Siga-o no Twitter.


    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Pablo Miyazawa
      Sempre vale a pena rever, né? Abraços!
    • Pablo Miyazawa
      Perfeita argumentação! Concordo com você. Às vezes um bom plot twist não compensa um filme todo. ABraços e valeu a leitura!
    • Jc V.
      Meu gênero preferido é o suspense portanto valorizo muito um plot twist. Clube da Luta, claro, foi uma das grandes reviravoltas que vi na telona. Tbm gosto dos plot twists mais sútis, quando não há uma grande mudança no curso da trama, apenas um desvio de expectativa. Como quando achamos que antecipamos algo, só pro filme jogar na sua cara que vc tava errado rsrs. Os Suspeitos (de Villeneuve), Garota Exemplar, Menina de Ouro, Akira, e o próprio Ep VII de SW são exemplos de pequenos detalhes, que no contexto certo, causam um impacto e tanto.Só sou contra quando o filme se resume ao Plot Twist. Por exemplo, acho a maioria dos filmes do M. Night bem medianos, mas o cara ficou tão bom em fazer reviravoltas finais que elas ofuscam todos as outras virtudes e (muitos) defeitos dos seus filmes. Ninguém se lembra dos detalhes da trama de Sexto Sentido, só da frase I see dead people e do plot twist... Daí não curto, acho que as reviravoltas devem ser um recurso, a cereja do bolo, não um engôdo.
    • Jerry B.
      todos os filmes k vc citou vi várias vezes ! no cinema e depois comprando os filmes ! cada um , uma experiência incrível!
    Mostrar comentários
    Siga o AdoroCinema
    Trailers
    Ford vs Ferrari Trailer Legendado
    Patrocinado
    As Panteras Trailer Legendado
    Bixa Travesty Trailer Original
    Um Dia de Chuva em Nova York Trailer Legendado
    Dora e a Cidade Perdida Trailer Legendado
    Azougue Nazaré Trailer Oficial
    Todos os últimos trailers
    Últimas notícias de cinema
    Ford vs Ferrari: Dois vencedores do Oscar e um desafio impossível baseado numa história real
    NOTÍCIAS - Visto na Web
    segunda-feira, 4 de novembro de 2019
    Patrocinado
    Bilheterias Brasil: Malévola segue na liderança e mostra que ainda é a Dona do Mal
    NOTÍCIAS - Visto na Web
    terça-feira, 12 de novembro de 2019
    Robert De Niro será homenageado no SAG Awards 2020
    NOTÍCIAS - Visto na Web
    terça-feira, 12 de novembro de 2019
    Bilheterias EUA: Midway - Batalha em Alto Mar entra na guerra e estreia em primeiro
    NOTÍCIAS - Visto na Web
    terça-feira, 12 de novembro de 2019
    Bilheterias EUA: Midway - Batalha em Alto Mar entra na guerra e estreia em primeiro
    Chris Pratt anuncia mudança de nome de seu novo filme e revela nova imagem
    NOTÍCIAS - Visto na Web
    terça-feira, 12 de novembro de 2019
    Chris Pratt anuncia mudança de nome de seu novo filme e revela nova imagem
    Últimas notícias de cinema
    Filmes da semana
    de 07/11/2019
    Doutor Sono
    Doutor Sono
    Diretor: Mike Flanagan
    Elenco: Ewan McGregor, Rebecca Ferguson, Kyliegh Curran
    Trailer
    Bate Coração
    Bate Coração
    Diretor: Glauber Filho
    Elenco: Aramis Trindade, André Bankoff, Heloísa Jorge
    Trailer
    Parasita
    Parasita
    Diretor: Joon-ho Bong
    Elenco: Kang-Ho Song, Woo-sik Choi, Park So-Dam
    Trailer
    Meu Amigo Fela
    Meu Amigo Fela
    Diretor: Joel Zito Araújo
    Trailer
    Ventos da Liberdade
    Ventos da Liberdade
    Diretor: Michael Bully Herbig
    Elenco: Friedrich Mücke, Karoline Schuch, David Kross
    Trailer
    Retablo
    Retablo
    Diretor: Álvaro Delgado-Aparicio
    Elenco: Junior Béjar Roca, Amiel Cayo, Magaly Solier
    Trailer
    Lançamentos da semana
    Back to Top