Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Festival de Veneza 2018: Donos de cinemas italianos reprovam presença massiva da Netflix no evento
    Por Renato Furtado — 30 de jul. de 2018 às 13:30
    facebook Tweet

    Segundo round da briga entre a gigante do streaming e os distribuidores europeus.

    Este poderia ser mais um capítulo da contenda entre a Netflix e o Festival de Cannes, mas, de fato, é um episódio de uma novela ainda maior: a disputa entre a gigante do streaming e os donos de cinemas europeus em geral. De acordo com informações do Deadline, os distribuidores italianos uniram-se ao coro de seus colegas franceses e manifestaram sua reprovação à presença massiva da Netflix - que levará seis títulos à La Serenissima, no fim de agosto - na edição 2018 do Festival de Veneza.

    Em comunicado oficial, a ANEC (Associação Nacional de Exibidores de Cinema, em italiano) e a ANEM (Associação Nacional de Exibidores de Multiplexes) repudiaram a calorosa recepção ofertada à empresa de streaming na seleção oficial da mostra da cidade dos canais que fará e emitiram uma dura crítica ao diretor do evento, Alberto Barbera. A questão, de acordo com os distribuidores, é que o meio tradicional de exibição de longas-metragens nas salas de cinema está em risco - e a iniciativa de Veneza só aprofundaria a problemática: "Portanto, as associações do exercício cinematográfico se oporão de todas as formas a esta proposta", finaliza, de maneira seca, a declaração conjunta.

    Roma, de Alfonso Cuarón, é um dos títulos Netflix que estarão em Veneza.

    O grande pivô da nova polêmica é o drama criminal On My Skin, que será lançado simultaneamente ao redor do mundo pela Netflix e por sua distribuidora italiana em solo nacional, a Lucky Red. Ainda que a Itália não possua uma lei de proteção tão rígida quanto a do mercado francês - na nação governada por Emmanuel Macron, uma janela obrigatória de 3 anos separa os lançamentos comercial e via streaming de uma determinada obra -, as associações responsáveis pela regulamentação da exibição local acreditam que a medida de Barbera acaba favorecendo uma parte (a Netflix) em detrimento da outra. A medida, portanto, enfraqueceria ainda mais o mercado distribuidor italiano, em crise e com problemas estruturais.

    O diretor do Festival de Veneza, por sua vez, ainda não se pronunciou sobre a controvérsia, mas é certo que Barbera não esperava uma resposta tão acirrada da parte dos distribuidores italianos - especialmente em um contexto onde o executivo fez o possível para se distanciar de Cannes e de toda e qualquer polêmica envolvendo a Netflix, que se retirou do evento francês após a mudança de regimento promovida pelo diretor da Croisette, Thierry Fremaux. A ausência da gigante do streaming no sul da França foi muito criticada pela comunidade internacional e o prestígio do Festival de Cannes foi colocado em xeque.

    Além de On My Skin, a gigante do streaming ainda exibirá outras cinco produções em La Serenissima: Roma, aguardado novo filme de Alfonso Cuarón; The Other Side of The Wind, filme perdido de Orson Welles; They'll Love Me When I'm Dead, documentário sobre o lendário cineasta; The Ballad of Buster Scruggs, a ex-minissérie dos Irmãos Coen; e 22 July, próximo thriller de Paul Greengrass (Jason Bourne).

    O Festival de Veneza ocorre entre os dias 29 de agosto e 8 de setembro - confira aqui a seleção oficial!

    facebook Tweet
    Links relacionados
    • Festival de Veneza 2018: Netflix emplaca seis títulos na seleção oficial, incluindo filmes de Orson Welles e Alfonso Cuarón
    • Festival de Veneza 2018: Confira a lista completa dos filmes selecionados
    • Festival de Cannes 2018: Netflix se retira do evento após mudanças no regimento
    Pela web
    Comentários
    • Jonathan K.
      meus deus, deixa a Nerflix trabalhar em paz, não custa nada.
    • Jc V.
      Cada um defende seu ganha pão, normal
    Mostrar comentários
    Back to Top