Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Brad Pitt e Leonardo DiCaprio recusaram papéis em O Segredo de Brokeback Mountain
    Por Andressa Araújo — 19 de jul. de 2018 às 15:10
    facebook Tweet

    A revelação foi feita pelo diretor Gus Van Sant, que iria dirigir o drama.

    Os astros Brad Pitt e Leonardo DiCaprio quase estrelaram o drama O Segredo de Brokeback Mountain. Quase, porque o cineasta Gus Van Sant (Gênio Indomável) — que na época foi cotado para dirigir o longa — revelou à IndieWire que os atores recusaram os papéis de protagonistas da produção, que mais tarde ficariam com Jake Gyllenhaal e Heath Ledger.

    Pitt e DiCaprio, no entanto, não foram os únicos grandes nomes de Hollywood a recusar a proposta. O diretor assumiu que entrou em contato com outros atores consagrados, mas a resposta negativa foi unânime:

    "Ninguém queria fazer [o filme]. Eu estava trabalhando nele e senti que realmente precisávamos de um elenco forte, tipo famoso, mas não estava funcionando. Perguntei para os suspeitos mais comuns: Leonardo DiCaprio, Brad Pitt, Matt Damon, Ryan Phillippe. Todos eles disseram 'não.'", disse Van Sant.

    O diretor de Milk - A Voz da Igualdade aproveitou a entrevista para dizer que foi convidado para comandar outro filme com narrativa LGBTQ, o premiado Me Chame Pelo Seu Nome, vencedor do Oscar 2018 na categoria de melhor roteiro adaptado. O último trabalho dele para os cinemas foi Don't Worry, He Won't Get Far on Foot, estrelado por Joaquin Phoenix e Rooney Mara, ainda sem previsão de estreia no Brasil. Leia a crítica.

    Dirigido por Ang Lee (As Aventuras de Pi), O Segredo de Brokeback Mountain ganhou três Oscars e quatro Globos de Ouro em 2006. A trama sobre o relacionamento amoroso entre dois cowboys se tornou um dos filmes LGBTQ de maior sucesso financeiro e de crítica dos últimos tempos, arrecadando US$ 178 milhões em todo o mundo. Pitt e DiCaprio, por sua vez, vão coestrelar Once Upon a Time in Hollywood, novo trabalho de Quentin Tarantino, que estreia em 15 de agosto.

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    • Gerard
      Eu gosto, adoro ver homens se beijando e fazendo sexo é uma delícia, gostoso demais
    • Gerard
      Mesmo se o Brad Pitt tivesse Beijado outro homem não iria queimar a imagem dele. Leonardo Dicaprio Beijo outro homem no filme Total Eclipse 1995.
    • CRACK NETO BIRUTA
      Brad Pitt beijou algum homem em Burn After Reading? Acorda xarááá, vai ser viado lá na pqp..
    • Gerard
      Brad Pitt também já fez personagem gay no filme Burn After Reading. Eu vou adorar se ele voltar interpretar novamente um personagem gay, beijando um homem gato e gostoso.
    • Bernardo Bastos Guimarães
      Você gosta? Então, sorte sua que viu. Eu não gosto. Cada um veja o que mais lhe apraz.
    • Gerard
      Leonardo DiCaprio já fez dois personagem gay no filme Total Eclipse e J. Edgar. Eu adorei foi uma delícia ver ele beijando outro homem. Brad Pitt também fez um personagem gay no filme Burn After Reading
    • Gerard
      Leonardo DiCaprio já fez dois personagem gay no filme Total Eclipse e J. Edgar. Eu adorei foi uma delícia ver ele beijando outro homem.
    • Moisés Castro
      Quem bom que não toparam, pois seria cliche demais. As atuações de Jake Gyllenhaal e Heath Ledger foram muito boas e naturais.
    • Bernardo Bastos Guimarães
      Estupidez é você tratar as pessoas com estupidez. Apenas aceite que nem todos gostam do que você gosta e fim. E não, opinião não tem NADA a ver com isso que você citou. O que você citou pode ser, sim, uma CRÍTICA. E um crítico, especialmente um profissional, não emite OPINIÃO - como eu faço, que é livre, pessoal, espontânea, diz respeito apenas a própria pessoa. Um crítico, especialmente um profissional (e aqui no Adoro Cinema há alguns, fora os repórteres e demais da equipe), este sim tem obrigação de analisar uma obra artística a partir de padrões, de conceitos comuns, tentando ao máximo seguir um critério. Não me proponho a isso. Emito OPINIÕES. Apenas aceite, ou não as leia.
    • Jc V.
      Opinião não tem NADA a ver com isso. Por exemplo: Tem gente que considera Monalisa um quadro pequeno e com uma técnica de esfumatto banal. Isso é opinião, e todos devem respeitar. Mas a relevância e o impacto cultural da obra são inquestionáveis (ou seja, não é questão de opinião). Entende o paralelo?Se vc não gostou do filme, beleza. Mas quando tenta diminuir o impacto e relevância da obra dizendo que é algo de nicho, isso não é opinião: é estupidez mesmo. É contra os fatos e evidências (só o fato de mais de 10 anos depois o filme ainda ser notícia já mostra seu alcance).Mas como eu disse acima, vc é o dono do mundo. Longe de mim (um mero mortal) contradize-lo, meu senhor.
    • Bernardo Bastos Guimarães
      Opinião não é uma questão de campeonato, de quem dá mais ou de a maioria vence. Tenho a minha, se os demais que o Sr. citou discordam, não me diz nada.Em tempo: Os diretamente envolvidos no projeto concordam comigo. Isto me basta.
    • Jc V.
      A Academia do Oscar, a crítica internacional e milhões de espectadores ao redor do mundo discordam de vc. Mas oq eles sabem, né?! A opinião do Sr. Bernardo é muito mais relevante...
    • Jc V.
      Os caras deviam tá lotado de filme pra fazer, e por bem ou por mal, era um risco desnecessário para ambos. E no final os atores escolhidos fizeram um trabalho excelente.
    • Bernardo Bastos Guimarães
      Maioria, matematicamente, é tudo que ultrapasse 1 unidade após 50%. Nicho é tudo que reúna poucas unidades.
    • CRACK NETO BIRUTA
      Fizeram certo. Já pensou Brad Pitt e Leonardo Dicaprio se beijando? Os caras iam se queimar DEMAIS.
    • Felipe Penteado
      Defina nicho e maioria
    • Bernardo Bastos Guimarães
      Ambos fizeram muito bem, assim como todos os demais que rejeitaram o convite. Esse tipo de filme é para um nicho, não para a maioria.
    Mostrar comentários
    Back to Top