Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Morgan Freeman nega ter assediado mulheres em novo comunicado
    Por Felipe Ribeiro — 28 de mai. de 2018 às 10:47
    facebook Tweet

    Sindicado dos atores dos EUA pensa em revogar prêmio honorário entregue ao ator no SAG Awards 2018.

    Getty Images

    No dia 24 de maio, o prestigiado ator Morgan Freeman recebeu uma série de acusações de assédio e comportamento inapropriado. Após um breve pronunciamento no mesmo dia, pedindo desculpas para todas as pessoas que se sentiram incomodadas ou desrespeitadas pelas suas atitudes, ele emitiu um novo comunicado afirmando nunca ter assediado mulheres, nem "criado ambientes de trabalho inseguros".

    Ao todo, 16 pessoas se pronunciaram contra o ator em um artigo investigativo da CNN. Oito delas alegaram ter sido vítimas de Freeman, sendo que algumas classificaram suas atitudes como assédio, enquanto outras chamaram de comportamento inapropriado. Os outros oito homens e mulheres entrevistados disseram ter presenciado a conduta inadequada do astro em bastidores e em sua produtora.

    Leia o novo comunicado de Freeman abaixo:

    "Estou devastado que 80 anos da minha vida correm o risco de serem prejudicados, num piscar de olhos, pelas notícias de quinta-feira [dia 24 de maio]. Todas as vítimas de estupro e assédio têm o direito de serem ouvidas e precisamos escutá-las. Mas não é certo comparar incidentes horríveis de assédio sexual com elogios ou humor mal colocados. Admito que sou alguém que sente a necessidade de fazer com que mulheres - e homens - se sintam apreciados e à vontade ao meu redor. Como parte disso, eu sempre tentava brincar com mulheres e elogiá-las, de maneira que pensava ser alegre e bem-humorada. Claramente nem sempre acontecia da forma que pretendia.

    E foi por isso que me desculpei [anteriormente] e continuarei me desculpando com qualquer um que eu possa ter aborrecido, de forma não intencional. Porém também quero ser claro: eu não criei ambientes de trabalho inseguros. Não assediei mulheres. Não ofereci emprego ou vantagens em troca de sexo. Qualquer sugestão que fiz isso é completamente falsa."

    Seguida a publicação do artigo, o sindicato norte-americano de atores responsável pelo Screen Actors Guild Awards reportou que está tomando decisões sobre revogar ou não o prêmio que Freeman recebeu na premiação de 2018 pela sua carreira. "Essas acusações são [...] contrárias a todos os passos que estamos dando para garantir um ambiente de trabalho seguro [...]. Toda pessoa acusada tem o direito ao devido processo legal, mas cabe a nós ser o ponto de partida que acredita nessas vozes corajosas que relatam incidentes de assédio. Visto que o Sr. Freeman recentemente recebeu a honraria mais prestigiada do nosso sindicato [...], estamos analisando que ações corretivas podem ser necessárias no momento", declarou a união.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Pessoa
      A sociedade norte-americana é muito carola e o que no Brasil seria uma mera cantada nos EUA é considerado assédio. Inclusive, vários anos atrás um garotinho de cerca de 7 anos foi acusado de assédio sexual porque deu um beijinho na bochecha duma garotinha sem o consentimento desta.Nos EUA talvez um elogio dum operário de construção à uma gata que passa na calçada seja considerado um assédio sexual mas aqui no Brasil geralmente elas aceitam estes comentários com uma dose de humor e várias se sentem até lisonjeadas (tem um cartum da Radical Chic do Miguel Paiva em que ela se veste com roupas mais justas pra provocar os elogios dos operários e assim melhorar a sua autoestima).Por causa desta diferença cultural entre países latinos com os EUA, geralmente encaro estas denúncias de assédio sexual com uma certa dose de ceticismo. É claro que investigações posteriores mais profundas podem me fazer mudar de ideia.
    • Atena Negra
      Que arque com as consequências de suas atitudes machistas. Eu tô muito triste com essas denúncias, sou fã de Morgan, mas não se deve deixar passar!
    • Bernardo Bastos Guimarães
      Essa questão é, claramente, devido ao referencial que alguém tem da vida. Quando criança, era costume (não sei se ainda é), meninos e meninas brincarem de se pegar, correr atrás, puxar cabelos e... algumas vezes os meninos levantavam a saia das meninas, outras vezes elas puxavam os shorts dos meninos pra baixo. Tudo isso rindo, todos brincando e achando graça no recreio e nos quintais.. As meninas não diziam que estavam sendo assediadas, nem os meninos. Bem, passados os anos, a proximidade que passamos a ter, homens e mulheres, passou a ser mais cerimoniosa quando só na convivência do dia a dia - apesar de ser muito mais promíscua quando há alguma libido em jogo. Creio eu que, sendo Morgan Freeman do tempo das carroças, estava acostumado a essas brincadeiras que os anos deixaram de considerar como tal. Deveriam ter-lhe chamado atenção desde a primeira levantada de saia, dizendo que os tempos eram outros... mas por medo de perder o emprego não disseram. Agora fazem a denúncia. Ou seja, para a época das brincadeiras não eram mais brincadeiras, mas deixaram de ensinar a ele isso.
    • Vidamell Vida R.
      Até que eu acredito nele. Até......!
    Mostrar comentários
    Back to Top