Meu AdoroCinema
    Moses Farrow, filho de Mia Farrow, acusa mãe de abuso psicológico e defende Woody Allen
    Por Renato Furtado — 25/05/2018 às 11:50
    facebook Tweet

    O caso Dylan Farrow torna-se ainda mais complicado.

    Durante o auge do movimento #MeToo, iniciado após a revelação das décadas de abusos sexuais cometidos pelo ex-produtor Harvey Weinstein, o caso Dylan Farrow ressurgiu com força total. Mais de vinte anos após o suposto ocorrido, a ativista retornou aos holofotes para acusar novamente seu pai, o controverso diretor Woody Allen, de tê-la abusado sexualmente durante sua infância. O realizador, então, tornou-se alvo de uma intensa campanha contra sua imagem, tendo parte de sua obra questionada e reavaliada e até mesmo vendo uma estátua erguida em sua homenagem ser ameaçada. Em meio aos ataques, Moses Farrow, seu filho adotivo, foi um dos únicos defensores - e, recentemente, o filho da atriz Mia Farrow escreveu um longo ensaio para recontar seu ponto de vista e sua versão do caso Dylan.

    Em seu blog - leia a coluna na íntegra (em inglês) aqui -, Moses preparou uma longa exposição de defesa, onde não só descredita a narrativa de Dylan como também acusa Mia Farrow de abuso psicológico: "Sou uma pessoa privada e não tenho interesse algum em ser o centro das atenções. No entanto, por causa dos incrivelmente imprecisos e mentirosos ataques contra meu pai, Woody Allen, sinto que não posso continuar calado ao passo em que ele continua sendo condenado por um crime que não cometeu", inicia-se o texto. Em seguida, Moses descreve os eventos do dia 4 de agosto de 1992, data do suposto abuso sexual contra Dylan, ressaltando que a visita de Woody à casa de Mia e das crianças era uma das primeiras após a atriz descobrir que o realizador iniciara um caso com sua enteada - e hoje esposa do diretor -, Soon-Yi Previn.

    Woody Allen se pronuncia sobre as acusações de abuso sexual de sua filha, Dylan Farrow

    "Então, é claro, a notícia sobre Woody e Soon-Yi tornou-se pública - e tudo mudou. Minha mãe insistiu para que removêssemos ambos de nossas vidas, e não tivemos outra escolha a não ser aceitar isso. Até mesmo as pessoas que duvidam das alegações de Dylan frequentemente se prendem ao relacionamento de Woody e Soon-Yi como justificativa para permanecerem céticos em relação a ele. Os ataques públicos de completos estranhos contra Soon-Yi ainda me impressionam, assim como todas as informações erradas que as pessoas consideram como fatos. Ela não é filha de Woody (adotada, enteada ou qualquer outra coisa) [...] E a alegação de que eles iniciaram um romance enquanto ela era menor de idade é totalmente falsa", prossegue Moses, ressaltando como Mia Farrow utilizou a situação para iniciar uma campanha difamatória contra Allen.

    A trama fica ainda mais complicada quando o autor do ensaio relembra sua infância e o modo como Mia, perturbada por inúmeros problemas psicológicos, punia severamente Moses e seus irmãos adotivos, incluindo alguns deficientes, por pequenos equívocos - um cenário de abuso parental que o escritor define como um processo de "lavagem cerebral" perpetrado pela atriz de O Bebê de Rosemary. Após o trágico relato sobre o contexto no qual cresceu, Moses retorna ao caso Dylan Farrow - vale lembrar que, ainda em 1992, uma junta de médicos especializados em abuso infantil e o Serviço Social de Nova Iorque determinaram que a então menina de sete anos não havia sido abusada por Allen, arquivando o caso contra o realizador em seguida -, momento em que analisa a acusação (re)feita por sua irmã, em 2014:

    "A narrativa de Dylan precisou ser mudada", escreve Moses, lembrando como passou o dia inteiro de olho em Woody após sua mãe ter pedido expressamente que cuidassem do comportamento do diretor, "porque o único lugar para que alguém cometesse um ato de perversidade em privado seria o pequeno espaço acima do quarto da minha mãe. Por definição, o sótão tornou-se a cena do suposto abuso". Em 2014, Dylan, em um artigo amplamente divulgado do New York Times, declarou: "Ele me disse para deitar e brincar com o trem elétrico do meu irmão. Então ele abusou sexualmente de mim. Ele falava comigo enquanto fazia aquilo, sussurrando que eu era uma boa menina, que aquele seria nosso segredo, prometendo que iríamos para Paris e que eu seria uma estrela em todos os seus filmes. Lembro de olhar para o trem de brinquedo, prestando atenção nele conforme circulava pelo sótão. Até hoje, tenho dificuldades em olhar para trens de brinquedo".

    Dylan e Mia Farrow.

    Moses, no entanto, contesta veementemente as palavras da irmã: "É uma boa e engajadora narrativa, mas há um grande problema aí: não havia nenhum trilho de trem de brinquedo no sótão. Não havia, de fato, espaço algum para crianças brincarem lá em cima, mesmo que essa fosse nossa vontade. Era um minúsculo espaço inacabado, debaixo de um telhado angulado, com pregos no chão, tábuas levantadas, pedaços de vidros, encanamentos, repleto de armadilhas para ratos e do fedor de insetos, e lotado de caixas com roupas de segunda-mão e os vestuários antigos da minha mãe. A ideia de que aquele espaço poderia acomodar um trem elétrico completamente funcional, que circulasse pelo sótão, é ridícula". Assim, o autor afirma, em seguida, que a acusação de Dylan foi implantada por Mia, dias depois do suposto ocorrido - de fato, a conclusão dos peritos que examinaram Dylan no início da década de 1990 constata que suas declarações pareciam "ensaiadas" e que foram "provavelmente influenciadas por Mia Farrow".

    Moses, que tornou-se psicólogo e conselheiro familiar, relembra a época das investigações da junta de médicos do hospital de New Haven, as vezes que sua mãe o obrigou a mentir durante o caso e encerra seu texto da seguinte forma: "Como profissional treinado, sei que molestar crianças é uma doença compulsiva e um desvio que demanda repetição. Dylan esteve sozinha com Woody em seu apartamento em inúmeras ocasiões durante todos aqueles anos e nunca houve nenhuma suspeita de comportamento inapropriado. Ainda assim, alguns de vocês escolheram acreditar que, aos 56 anos, ele de repente decidiu se tornar um molestador de crianças em uma casa repleta de pessoas hostis que foram ordenadas a vigiá-lo como águas [...] Ao invés de aceitarem a histeria do linchamento do Twitter, repetindo uma história examinada e descreditada há 25 anos, considerem o que tenho a dizer. No fim das contas, eu estava lá - na casa, na sala - e conheço meu pai e minha mãe e sei do que eles são capazes muito melhor do que todos vocês sabem".

    Dylan Farrow, filha de Woody Allen, critica Blake Lively e Justin Timberlake por terem trabalhado com seu pai

    Em um comunicado divulgado pela revista People, Dylan Farrow lamentou o artigo escrito pelo irmão e disse que seu ensaio é "uma tentativa de desvirtuar uma alegação embasada feita por uma mulher adulta ao tentar descreditar minha mãe, a única pessoa que apoiou a mim e aos meus irmãos. O ensaio de Moses é facilmente derrubado, contradiz anos de seus próprios depoimentos, é mais do que doloroso para mim, pessoalmente, e faz parte de um esforço maior para descreditar e desviar a atenção do abuso que sofri. Meu irmão é uma pessoa problemática. Sinto muito que ele tenha feito isso". Mia Farrow e Woody Allen, por sua vez, não se pronunciaram sobre o texto de Moses.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Pestilão
      Valeu garoto, agora volta pro teu Playstation.
    • Paulo César
      Se um é inocente, derrepende todas as outras são mentirosas? P.... É de uma desonestidade bizarra não reconhecer que a quantidade de denúncias mentirosas é ínfima perto das verdadeiras (Isso porque é imenso o número de casos não denúnciados), e não precisa olhar pra Hollywood pra saber não.
    • Pessoa
      Esta notícia já foi publicada em muitos sites estrangeiros e alguns nacionais no dia 23/05 mas só hoje o adorocinema se lembrou de publicar a notícia.Não se tornou mais complicado não. É a mídia que embarcou na onda do MeToo e achou que qualquer macho acusado é culpado dum crime.A falta de caráter não é exclusividade de um dos sexos, como acham muitos justiceiros. O apedrejamento da mídia contra qualquer macho acusado sem que haja uma melhor investigação a respeito é algo vergonhoso, fato este reconhecido por várias mulheres mais esclarecidas e com caráter mais democrático.Há muito tempo já existiam indícios claros que apontavam que as acusações contra Woody Allen eram frágeis. Mas a mídia usou e abusou de insinuações e outros instrumentos pra manipular as massas e por muito tempo o crucificou. Vários sites perceberam que exageraram na dose e estão procurando um maior equilíbrio. Acho que um dos primeiros a reconhecer este exagero foi o Hollywood Reporter que já faz algum tempo busca um certo equilíbrio na cobertura do movimento MeToo e dos supostos crimes sexuais. O fato de que muitos sites noticiaram com destaque o depoimento de Moses Farrow em 23/05, dia em que ele escreveu em seu blog, parece ser um sinal de que aqueles sites que publicaram a notícia no mesmo dia estão tentando atenuar a parcialidade de sua cobertura jornalística.
    • Jc V.
      Se o depoimento de Dylan pode ter sido ensaiado e encomendado, esse aí do Moses tbm pode ter sido. Se Mia pode ter implantado memórias falsas na filha, Woody tbm pode fazer o mesmo no filho (parece coisa de ficção científica né). O fato é: Nunca saberemos.Woody foi julgado duas vezes, e inocentado. Ou seja, ele tem o direito de viver sua vida de forma pacífica. Os ataques que ele vem sofrendo de terceiros são feios de se ver. Porém, isso não significa que um terceiro, ou quarto julgamento deixe de ser feito SE SURGIREM ELEMENTOS NOVOS para o caso. Daí o jogo será zerado e ele será julgado mais uma vez, mas até lá o cara é inocente.Lembro do caso do boxeador Hurricane (que tem um ótimo filme, por sinal). O cara precisou ser julgado várias vezes até ser inocentado, passou anos na cadeia em vão. A Justiça não é à prova de erros, justamente por isso q não dá pra afirmar que ninguém seja realmente inocente ou culpado.
    • Danilo
      Wood Alen foi julgado e inocentado, mas as hipócritas continuam o acusando!!! Se tratar todos como bandido!!! Todos agiram de acordo!!!
    • Bruno
      Cadê o cara que em todo coment tava cobrando o adorocinema? deve tá com medo de aparecer
    • Pestilão
      E não é que as máscaras começam a cair. E agora feminazis???
    Mostrar comentários
    Siga o AdoroCinema
    Trailers
    Ad Astra Trailer Legendado
    Hebe - A Estrela do Brasil Trailer (1)
    Abominável Trailer Dublado
    Predadores Assassinos Trailer Legendado
    Sócrates Trailer (2)
    Sereia Predadora Trailer Original
    Todos os últimos trailers
    Notícias de cinema Personalidades
    Mitos do Pop: Stallone e Schwarzenegger se odiavam?
    NOTÍCIAS - Personalidades
    segunda-feira, 16 de setembro de 2019
    Atores que morreram e deixaram filmes póstumos
    NOTÍCIAS - Personalidades
    domingo, 15 de setembro de 2019
    J.J. Abrams fecha contrato milionário para produzir filmes, séries e jogos para a Warner
    NOTÍCIAS - Personalidades
    quinta-feira, 12 de setembro de 2019
    Kristen Stewart acredita que Robert Pattinson é perfeito para o papel de Batman
    NOTÍCIAS - Personalidades
    terça-feira, 10 de setembro de 2019
    Kristen Stewart quer interpretar uma super-heroína homossexual
    NOTÍCIAS - Personalidades
    segunda-feira, 9 de setembro de 2019
    Kristen Stewart quer interpretar uma super-heroína homossexual
    Christian Bale aprova escolha de Robert Pattinson como Batman
    NOTÍCIAS - Personalidades
    segunda-feira, 9 de setembro de 2019
    Christian Bale aprova escolha de Robert Pattinson como Batman
    Últimas notícias de cinema Personalidades
    Filmes mais esperados
    Filmes mais esperados
    Back to Top