Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Festival de Cannes 2018: Diamantino, coprodução brasileira exibida na Semana da Crítica, ganha cartaz
    Por João Vitor Figueira — 9 de mai. de 2018 às 16:13
    facebook Tweet

    Filme de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt aborda a decadência e busca de sentido na vida de um jogador de futebol.

    Vitrine Filmes

    Coprodução Brasil, Portugal e França, o filme Diamantino ganhou seu primeiro cartaz. O pôster quase psicodélico e ilustrado destaca o personagem principal, além de cães, um gato e outros aspectos que antecipam a mirabolante trama do filme. O longa-metragem terá sua estreia mundial no Festival de Cannnes deste ano, onde integra a Semana da Crítica.

    Com direção de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, a produção aborda temas como futebol, fascínio por celebridades, ascensão do fascismo e a crise dos refugiados na Europa. O português Carloto Cotta interpreta o jogador de futebol Diamantino, que dá nome ao filme.

    Após perder o prestígio depois de uma fracassada perfromance em campo, o atleta decide buscar novos ares e novos objetivos na vida. Em sua jornada por significado, Diamantino se vê sabotado por suas irmãs gêmeas, que pretendem continuar usando o irmão como fonte de renda. Assim, o personagem "embarca numa odisseia delirante, onde ele enfrenta o neofascismo, a crise dos refugiados, mutações genéticas, e a busca pela origem de seu gênio", de acordo com a sinopse oficial.

    "Sabíamos que queríamos trabalhar com Carloto Cotta", dizem Abrantes e Schmidt um comunicado oficial à imprensa. "Ele oferece performances tão generosas e inventivas que são cativantes e hilárias. Assim que pensamos nele, o imaginamos como um gênio do futebol ingênuo e milionário — o mais icônico dos ícones portugueses. As peças vieram juntas de uma vez — ator, personagem, história — o que foi ótimo. Nós escrevemos o filme com Carloto em mente, mas no set ele realmente trouxe vida ao filme inventando um herói surpreendentemente tocante."

    A produtora brasileira Syndrome Films, do drama Fala Comigo, foi o braço nacional que ajudou a desenvolver o projeto. "Todo o processo foi bem complexo, o primeiro projeto internacional da Syndrome não majoritariamente brasileiro, mas com apoio da ANCINE e do FSA, conseguimos realiza-lo. Foi um super aprendizado e estou muito feliz com esta estreia em Cannes", comentou o produtor Daniel van Hoogstraten.

    Diamantino ainda não tem previsão de estreia no circuito comercial brasileiro.

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top