Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Oscar 2018: Saiba quais são os países com mais indicações na categoria Melhor Filme Estrangeiro
    Por Taiani Mendes — 18 de fev. de 2018 às 09:43
    facebook Tweet

    Quando será a hora e a vez do Brasil? #triste

    Criada em 1957, a categoria Melhor Filme em Língua Estrangeira é das mais disputadas, democráticas, imprevisíveis e interessantes do Oscar. O diretor do longa-metragem é quem sobe ao palco para receber a estatueta, mas oficialmente o troféu pertence ao país - anualmente cada nação postulante submete seu representante aos votos da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, uma grande escolha sempre aguardada com bastante expectativa.

    Dominada pelos europeus, a categoria infelizmente ainda não aclamou o cinema brasileiro com o sonhado troféu, mas, como diz a famosa frase, não desistimos nunca e seguimos aguardando nosso momento. Está ruim para a antiga Terra de Santa Cruz, mas há quem esteja muito bem no ranking de agraciados pela Academia, acumulando indicações e vitórias ano após ano. Quer saber quais países têm a maior quantidade de participações no Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira? Confira abaixo e nas páginas seguintes.

    PS: Entre os anos de 1948 e 1956 uma estatueta Especial/Honorária era entregue ao melhor filme estrangeiro lançado nos Estados Unidos, mas os concorrentes não eram divulgados e o prêmio não tinha regularidade, às vezes fazendo parte da festa do Oscar e em outras ocasiões sendo completamente ignorado. Tais casos foram incluídos na contagem.

    PS²: O indica títulos vencedores da categoria. Entre parênteses está o ano da cerimônia.

    FRANÇA - 40 indicações

    Cinco Graças (2016)
    O Profeta (2010)
    Entre os Muros da Escola (2009)
    Feliz Natal (2006)
    A Voz do Coração (2005)
    O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (2002)
    O Gosto dos Outros (2001)
    Leste/Oeste - O Amor no Exílio (2000)
    Caindo no Ridículo (1997)
    Indochina (1993) *
    Cyrano de Bergerac (1991)
    Camille Claudel (1990)
    Adeus, Meninos (1988)
    Betty Blue (1987)
    Trois Hommes et un couffin (1986)
    Coup de Foudre (1984)
    Coup de Torchon (1983)
    O Último Metrô (1981)
    Une Histoire Simple (1980)
    Préparez vos Mouchoirs (1979) *
    Madame Rosa - A Vida à Sua Frente (1978) *
    Cousin, Cousine (1977)
    Lacombe Lucien (1975)
    A Noite Americana (1974) *
    O Discreto Charme da Burguesia (1973) *
    Hoa-Binh (1971)
    Minha Noite com Ela (1970)
    Beijos Proibidos (1969)
    Vivre Pour Vivre (1968)
    Um Homem, Uma Mulher (1967) *
    Os Guarda-Chuvas do Amor (1965)
    Cybèle ou Les Dimanches de Ville-d'Avray (1963) *
    La Vérité (1961)
    Orfeu Negro (1960) *
    Meu Tio (1959) *
    Porte des Lilas (1958)
    Gervaise (1957)
    Brinquedo Proibido (1953) *
    The Walls of Malapaga (1951) *
    Monsieur Vincent (1949) *

    ITÁLIA - 31 indicações

    A Grande Beleza (2014) *
    La Bestia nel Cuore (2006)
    A Vida é Bela (1999) *
    L'uomo Delle Stelle (1996)
    Mediterrâneo (1992) *
    Porte Aperte (1991)
    Cinema Paradiso (1990) *
    La Famiglia (1988)
    Três Irmãos (1982)
    Dimenticare Venezia (1980)
    I Nuovi Mostri (1979)
    Um Dia Muito Especial (1978)
    Pasqualino Sete Belezas (1977)
    Perfume de Mulher (1976)
    Amarcord (1975) *
    O Jardim dos Finzi-Contini (1972) *
    Investigação Sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita (1971) *
    A Garota com a Pistola (1969)
    A Batalha de Argel (1967)
    Matrimônio à Italiana (1966)
    Ontem, Hoje e Amanhã (1965) *
    Oito e Meio (1964) *
    Le Quattro Giornate di Napoli (1963)
    Kapò: Uma História do Holocausto (1961)
    A Grande Guerra (1960)
    Os Eternos Desconhecidos (1959)
    Noites de Cabíria (1958) *
    A Estrada da Vida (1957) *
    The Walls of Malapaga (1951) *
    Ladrões de Bicicleta (1950) *
    Sciuscià (1948) *

    ESPANHA - 19 indicações

    Mar Adentro (2005) *
    Tudo Sobre Minha Mãe (2000) *
    El Abuelo (1999)
    Secretos del Corazón (1998)
    Sedução (1994) *
    Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos (1989)
    Asignatura Aprobada (1988)
    Sesión Continua (1985)
    Carmen (1984)
    Volver a Empezar (1983) *
    El Nido (1981)
    Mamãe Faz 100 Anos (1980)
    Esse Obscuro Objeto do Desejo (1978)
    Mi Querida Señorita (1973)
    Tristana, Uma Paixão Mórbida (1971)
    El Amor Brujo (1968)
    Los Tarantos (1964)
    Plácido (1962)
    La Venganza (1959)

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Wallison de Jesus Frazão
      Claro, só de chegar lá já é ótimo, mas não deixa de ser uma competição, ganhar um prêmio alavanca a carreira e dobra o salário, no final das contas tudo é comercial.
    • Bernardo Bastos Guimarães
      Não exatamente. No caso de um festival de cinema, um país que inscreve seu filme pode ser para que conheçam a arte que é feita por ele, não necessariamente porque queira ganhar. O mesmo ocorre na Academia do Oscar, quando esta aponta os candidatos a Melhor e, só por terem sido indicados já são melhores, visto que estão à frente de milhares de outros que sequer o foram. Tudo é uma questão de ponto de vista: saber valorizar ou apenas querer ser o melhor.
    • Wallison de Jesus Frazão
      Sim o importante é ser feliz, seja como for, mas o sistema é este, o país que não se importar então deve provar isso e nem competir em nada, ficar fora dos eventos, pois se você se inscreve é porque está se importando.
    • Bernardo Bastos Guimarães
      Ah, tá. Não sei, porque não sigo esse modo de vida. Sou totalmente avesso a ser o melhor, o primeiro e coisas do tipo. Acho que vale muito mais ser o que somos, sermos felizes, pouco me importando o que isso significa em comparação que alguém possa fazer com os outros.
    • Wallison de Jesus Frazão
      No mundo capitalista tudo é competição do PIB à cultura, das olimpíadas dos esportes ao Nobel.
    • Bernardo Bastos Guimarães
      Existe alguma competição entre países nesse sentido de vencer na maioria das coisas, que não sei?
    • Wallison de Jesus Frazão
      Ninguém liga pra estes prêmios filho, o negócio é Oscar.
    • Wallison de Jesus Frazão
      O Brasil é bom em 4 coisinhas enquanto os outros países vencem na maioria das coisas, coitado do Brasil.
    • Wallison de Jesus Frazão
      Como assim até a Bósnia já ganhou, a Bósnia tem uma história muito rica de guerras incontáveis dramáticas que são um prato cheio pra sétima arte, drama é sempre superior a qualquer comédia, o Brasil é muito raso.
    • Luis Fernando Borges Caldeira
      Convém mencionar também que o Brasil é bem sacaneado em termos de Oscar, Central do Brasil e Cidade de Deus mereciam muito serem premiados. Fora que essa lista não diz muita coisa, a Coréia do Sul é uma das melhores criadoras de filmes e também não figura
    • Jc V.
      Sim sim, entendi. Só quis complementar que o público médio existe em qualquer país. Ou acha q na Costa do Marfim o público é mais erudito? Provavelmente não, mas mesmo eles figuram na lista. Essa não é (por si só) a justificativa do insucesso do cinema brasileiro, na minha humilde opinião. Vlw :)
    • Bernardo Bastos Guimarães
      Não parece que você já sabe, pondo a culpa no povo. Povo é resultado da educação que recebe. E educação é responsabilidade do governo. Culpe a pessoa certa. Sim, já deu. Passar bem.
    • Anton Chigurh
      Cara , tudo que você esta comentando eu já sei, só que você está dramatinzando e generalinzando o asunto desde o início.Se eu tivesse tempo poderia ficar debatendo o assunto a tarde toda, mas pra mim já deu.Passar bem!
    • Bernardo Bastos Guimarães
      A questão de péssima educação do povo brasileiro é, por si só, uma imenso drama e não temos como fugir disso. Ou se investe maciçamente em educação ou jamais o povo brasileiro irá alçar voos mais altos - em todos os sentidos, mas aqui vamos nos ater ao campo cultural. Se você vê pessoas pagando para ir ao cinema, saiba que são a elite da sociedade; e se você acha que a sessão é muito mais barata, é porque não tem noção alguma do peso do dinheiro e da falta que ele faz à imensa maioria da população, que precisa fazer contas diárias não para pagar o ingresso barato do cinema, mas para poder comprar pão, leite, pagar a passagem do ônibus, o aluguel, a luz, a água, etc., etc. Não, essa gente que você vê se endividando até o pescoço para comprar televisão, celular com acesso a Internet e etc não é a maioria do povo, não. Infelizmente ainda é uma parcela, maior, mas não a maioria. E mesmo eles se endividando, não tiveram educação de qualidade para compreender um bom filme, talvez nunca tenham lido um livro inteiro na vida, não leem jornais e revistas, nunca foram ao teatro. Em suma, não, o povo não tem culpa de nada.
    • Anton Chigurh
      Cara, tenha a santa piedade você. Ou você não entendeu o termo que utilizei público médio , ou você se fez de lerdo em seu comentário e dramatrizou o assunto desnecessariamente. Tenho noção de todos os problemas apresentados por você, mas isso não necessariamente exclui a parcela de responsabilidade dos próprios consumidores de cultura e informação .Quanto eu disse público médio,não quiz dizer diretamente relacionado a condição financeira, e sim em relação a média de acesso a cultura, informação e etc.... e não me venha com desculpa de que o pobre brasileiro não tem acesso a estas coisas. Hoje qualquer brasileiro se endivida até o pescoço para comprar televisão, celular com acesso a Internet e etc, porque as condições de pagamento nunca foram tão facilitadas como neste tempo..... desligado do mundo e desprovido de acesso a dicas de boas músicas e filmes só fica quem quer. Hoje em dia diversos cinemas fazem promoções num determinado dia em que a sessão é muito mais barata. Moro do lado de um shopping que já fez promoção cobrando apenas 5 para assistir filmes. Mas nada disto adianta porque o público médio prefere assistir BBB, ouvir Sertanojo Universitário e Funk e lotar salas de cinema para ver porcarias.Não me venha com drama querendo colocar a miserabilidade no meio da conversa, porque aí seria outro tipo de assunto. Mas continuo reiterando que o público médio tem sua parcela de culpa sim.
    • Bernardo Bastos Guimarães
      O público médio em geral é culpado sim pelos péssimos filmes nacionais... O público é ainda uma elite que pode pagar para assistir a filme em cinema, veja bem. E mesmo sendo essa elite dentro de uma massa infinitamente maior de brasileiros - esses, sim, os pobres, miseráveis e até mendigos -, não são culpados de serem quem são. Tenha a santa piedade, né? As pessoas são o que são porque as condições que a vida lhes deu as fez assim. Se quer achar um culpado para o público ter mau gosto em geral, culpe o governo, este sim responsável por aplicar - bem - as verbas públicas em benefício do... público! Não culpemos nosso povo de nada, porque povo, nem aqui nem em lugar nenhum do mundo, tem culpa de nada. Não é o povo quem controla as verbas públicas, não é o povo quem decide nada, sequer é ouvido se quiser falar, sendo que muitas vezes ainda é exterminado, assassinado ou deixado a morrer.
    • Anton Chigurh
      Sobre quem escolhe o filme indicado, eu sei muito bem que não é o público quem escolhe.No meu comentário, critico o público médio em geral porque ele é culpado sim pelos péssimos filmes nacionais que são lançados ano a ano, pois são eles que lotam as salas de cinema para vererm filmes horrendos como os que citei.O dia que as pessoas daqui, souberem apreciar um bom filme de verdade, entenderem que para um filme ser bom ele não necessariamente é obrigado a ter muitos tiros, carros voando, heróis clichês, piadas bobas, ter seu ritmo acelerado e não ficar variando somente em gêneros como comédia e ação...... talvez filmes idiotizados vão perder cada vez mais espaço, e investimento, identidade e regularidade passem a ser considerados essenciais dentro das produções cinematográficas brasileiras.
    • Jc V.
      Concordo com quase tudo que vc disse. Sua teoria só tem um ponto falho, mas q é crucial: Quem escolhe o indicado à melhor filme de um país não é o público médio, e sim a crítica especializada juntamente com o governo.Todos os outros países tbm produzem filmes-lixo só pra agradar a massa. Um bom exemplo disso é o Japão, que faz filmes populares horrendos. Mas mesmo eles conseguem emplacar uma ou outra boa obra de arte de tempos em tempos. Mas nem isso o Brasil consegue!Odeio do fundo do meu coração as comédias da Globo e as recentes produções da Record, mas elas não são culpadas sozinhas. O fato é que mesmo os filmes bons do Brasil (filmes pro público mais inteligente, como os q vc citou) ainda estão abaixo da concorrência, como a Argentina ou mesmo o Irã. Temos talentos, concordo, mas falta investimento, identidade, regularidade, etc...
    • Anton Chigurh
      O cinema brasileiro produz sim filmes de qualidade, porém não são conhecidos do grande público médio, porque desde cedo são levados a acreditar que um filme de real qualidade é aquele com muita explosão, piadas bobas, muitas mortes e cheios de clichês, acabam lotando as salas de cinema para verem filmes de péssima qualidade, estereotipados, com diálogos sofríveis e atuações bem fracas, comédias idiotizadas, dramas com roteiros ruins e etc..... sim, estou falando de filmes como: Minha Mãe é Uma Peça, Porta dos Fundos (Contrato Vitalício), Os Penetras , Os Parças, Vai que Cola, Crô (O Filme).... e mais um monte de besteiras, muitas vezes produzidas pela Grobo Filmes e sua trupe de diretores e roteiristas que acham que todo brasileiro gosta de novela com drama barato, histórias rasas e roteiros previsíveis e infantis. Não existe variedade de gênero, ou é comédia boba, ou é filme sobre favela ou violência.Filmes como Estômago (2007) , Cinema, Aspirinas e Urubus (2005) , Tatuagem (2013), Amarelo Manga (2002), O Céu de Suely (2006) , o grande público não conhece porque não foi treinado para apreciar este tipo de filme.Brasileiro gosta é de filme em que ele tem que pensar pouco ou quase nada para ver, por isso lota as salas de cinema para ver os filmes nacionais idiotas que mencionei no primeiro parágrafo e filmes estrangeiros idiotizados como Velozes e Furiosos, Transformers e Piratas do Caribe.Fora isso tudo, ainda existe sacanagem, como os órgãos responsáveis fizeram ao não indicar o filme Aquarius ao Oscar de 2017.Resumo: temos sim grandes atores, diretores e roteiristas, mas existe poucas idéias que fogem do convencional, as que existem não recebem o devido apoio, existe uma panelinha dentro das grandes produções, tem que ser amigo do diretor, trabalhar na Globo e etc.... o público médio não ajuda em nada, lotando as salas de cinema para ver filmes bobos de péssima qualidade e o resultado final é esse.Como acontece na cena musical, os brasileiros estão cada vez mais idiotizados e não sabem apreciar o que realmente é bom em termos de filme.
    • Flower i.
      Até Bósnia Herzegovina tem sua estatueta e o Brasil não. Os cineastas brasileiros vivem reclamando de falta de recursos, mas países bem menores , inclusive o Chile, que esse ano concorre ,trabalham com orçamentos baixos e entregam boas produções para o público em geral apreciador de cinema e/ou arte.
    Mostrar comentários
    Back to Top