Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    10 filmes para não ver com fome
    Por Renato Furtado — 12 de nov. de 2017 às 07:23
    facebook Tweet

    Prepare a pipoca e...

    Se você é um fã de reality shows como o MasterChef, sabe muito bem que ver esse tipo de programa com fome é uma péssima ideia - e isso não é diferente no mundo do cinema. Assim, pensando no bem-estar do seu leitor, o AdoroCinema decidiu preparar uma lista com 10 obras que ficam muito melhores quando vistas com algum quitute estrategicamente posicionado ao lado da poltrona.

    Entre produções nacionais e internacionais, a seleção conta com comédias, romances, documentários, dramas e suspenses, formando uma compilação ampla o suficiente para gourmand nenhum colocar defeito. E se, por um acaso, algum destes longas te inspirar o suficiente para sair do esquema microondas-forninho, conte para gente qual foi o prato que você preparou. Será que vale uma estrela Michelin?

    Mais do que nunca - como diz a nossa sessão Dicas do Dia -, prepare a pipoca e boa sessão!

    GOSTO SE DISCUTE

    Lançado na última quinta-feira, o filme de André Pellenz embarca na onda da gourmetização que impactou inúmeros estabelecimentos gastronômicos e modificou a vida de diversos chefs - profissionais e amadores - nos últimos anos. Em Gosto se Discute, o diretor de Minha Mãe é uma Peça analisa o lado daqueles prejudicados pelo "raio gourmetizador" - no caso, Augusto (Cássio Gabus Mendes), chef de um restaurante cujo prestígio entra em queda livre após um moderninho food truck abrir as portas do outro lado da rua. Correndo o risco de encerrar as operações, o chef terá que suportar as sugestões e a presença de Cristina (Kéfera Buchmann), a nova gerente do local. Ah, para piorar a situação, Augusto ainda perde completamente o seu paladar. Mole mesmo, só pudim.

    RATATOUILLE

    Se você só puder levar um exemplar do cinema gastronômico para uma ilha deserta, a única resposta possível para o dilema é Ratatouille. Com esta obra, Brad Bird não só se estabeleceu como um dos melhores diretores de animação dos últimos tempos - afinal, ele também é o responsável pelos "jovens clássicos" O Gigante de FerroOs Incríveis -, como também fez com que o público se identificasse com os desafios e sonhos de um... rato. Protagonizado por Remy (Patton Oswalt), Ratatouille é empolgante, agridoce e inspirador, uma aventura que já abre o apetite a partir do título, que também é o nome de um famoso prato francês. Pode não ser o melhor longa da Pixar ou o mais popular do catálogo, mas é certamente um dos mais importantes do estúdio.

    JULIE & JULIA

    Selecione duas das melhores atrizes de suas gerações, coloque-as juntas e deixe que elas cozinhem por praticamente duas horas sob o comando da cineasta Nora Ephron (Mens@gem Para Você). Pronto, você tem aí a receita perfeita para um feel good movie. Julie & Julia não tem, em momento algum, a pretensão de ser um concorrente ao Oscar e, portanto, quando examinado no contexto de seu honesto objetivo de narrar a história real das personagens-título - interpretadas por Amy Adams e Meryl Streep, indicada ao Oscar pelo papel - com doçura pode ser considerado um sucesso. Não mudará sua vida, mas pode animar seu dia e te inspirar a fazer um omelete perfeito, uma cortesia da divertida Julia Childs de Streep.

    CHEF

    Antes de se tornar um dos homens de confiança de Kevin Feige dentro do Universo Cinematográfico Marvel e comandar obras milionárias como Homem de Ferro e Mogli - O Menino LoboJon Favreau era um cineasta independente. E é por isso que ele decidiu retornar às raízes após o fiasco de Cowboys & Aliens: em Chef, Favreau assume os papéis de diretor, produtor, roteirista e protagonista, como fez em seu trabalho de estreia, Crime Desorganizado. Interpretando um chef de cozinha que decide abrir um food truck e rodar os Estados Unidos com seus pratos, Favreau cria um longa leve e despretensioso, recheado de todas as maravilhas da gastronomia de rua estadunidense. Chef é, de fato, um filme perigoso - não há dieta que resista.

    PEGANDO FOGO

    A carreira na gastronomia não é fácil. Nos reality shows culinários, é possível ver como os novatos sofrem com a pressão nas cozinhas e como o caminho para o topo é árduo. Para chegar à posição mais alta em um restaurante, é preciso ter disciplina e ser perfeccionista - dois elementos que tornam esta jornada tão cinematográfica. Pegando Fogo, de John Wells (Álbum de Família), explora o lado da queda. Adam Jones (Bradley Cooper) é uma estrela da gastronomia e frequentemente permite que os excessos da fama superem seu talento e suas responsabilidades. Porém, determinado a se redimir, ele aceita o desafio de tentar corrigir o curso de um restaurante de elite que, assim como ele, já viu dias melhores. Quer pratos sofisticados? Pegando Fogo é a escolha certa no menu.

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top