Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Tarantino diz sentir "raiva e tristeza" por Harvey Weinstein, seu "amigo há 25 anos"
    Por João Vitor Figueira — 13 de out. de 2017 às 13:00
    facebook Tweet

    Diretor afirmou que precisa de mais tempo para processar as acusações contra o produtor com que trabalhou em todos os seus filmes.

    Kevin Winter/Getty Images

    Quentin Tarantino falou pela primeira vez sobre os escândalos sexuais envolvendo o produtor Harvey Weinstein, acusado de assédio e estupro por dezenas de atrizes, incluindo Angelina JolieGwyneth Paltrow e Rose McGowan. O cineasta quebrou o silêncio em um breve comunicado divulgado no Twitter por sua amiga, a atriz Amber Tamblyn (127 Horas, Two and a Half Men).

    "Não podemos culpar as vítimas": Saiba como Hollywood reagiu ao escândalo de assédios de Harvey Weinstein

    "Ao longo da última semana, eu fiquei atordoado e triste com as revelações que vieram à luz sobre Harvey Weinstein, meu amigo há 25 anos", diz o texto. "Eu preciso de mais dias para processar minha dor, emoções, raiva e memórias e então irei falar publicamente sobre isso."

    Tamblyn, que fez uma ponta em Django Livre, afirmou que teve um "longo jantar" com Tarantino na noite de quarta-feira (11) e que o realizador pediu que ela "compartilhasse um pronunciamento" dele com o público.

    É impossível falar da carreira de Tarantino sem mencionar o impacto de Harvey Weinstein nela. O produtor esteve presente já no primeiro longa-metragem da filmografia do diretor, Cães de Aluguel, que fechou com a distribuidora Miramax (fundada por Harvey e seu irmão, Bob Weinstein) depois de ser uma verdadeira sensação no Festival de Sundance em 1992.

    Após Pulp Fiction: Tempo de Violência encontrar dificuldades para ser produzido por outros estúdios e ter sido classificado pela Columbia TriStar como "demente" por conta dos diálogos nonsense e da violência gráfica, Weinstein comprou a ideia de Tarantino. O filme, hoje visto como um clássico moderno, foi o primeiro filme completamente financiado pela Miramax e o primeiro filme produzido pelo estúdio depois que a companhia foi comprada pela Disney.

    O sucesso de Pulp Fiction em Cannes e nas bilheterias mudou para sempre a forma como Hollywood tratava filmes independentes. O êxito do longa-metragem fez a Miramax reinar na seara indie da indústria cinematográfica.

    A companhia distribuiu Jackie BrownKill Bill: Volume 1 e Kill Bill: Volume 2. Em 2005, Bob e Harvey Weinstein deixaram a Miramax e fundaram a The Weinstein Company, que distribuiu Bastardos InglóriosDjango Livre e Os Oito Odiados. Logo, a presença de Weinstein está em todos os oito trabalhos da "filmografia oficial" de Tarantino.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top