Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Festival de Cannes 2017: Netflix é vaiada antes da exibição do excelente Okja
    Por Francisco Russo — 19 de mai. de 2017 às 11:39
    facebook Tweet

    Filme dirigido por Bong Joon-Ho não será lançado nos cinemas.

    Se tem um assunto dominante em Cannes neste ano, este sem sombra de dúvidas chama-se Netflix. Tudo porque, pela primeira vez, a gigante do streaming teve duas de suas produções selecionadas para a mostra competitiva, Okja e The Meyerowitz Stories. E, como de hábito, ambas serão lançadas diretamente no serviço em VOD, sem passar pelos cinemas.

    Tal situação fez com que, antes mesmo do início do evento, seus organizadores alterassem as regras do festival para 2018, exigindo o lançamento nos cinemas franceses de todos os concorrentes à Palma de Ouro. Para alimentar ainda mais a polêmica, já no primeiro dia o presidente do júri Pedro Almodóvar declarou que achava que a Palma de Ouro não deveria ser entregue a um filme que não seria exibido nos cinemas. Boicote à vista dentre os futuros premiados?

    Sem prêmios para "Okja" em Cannes?

    Pois hoje foi dia de exibição do primeiro longa da Netflix selecionado para o Festival de Cannes, Okja. E, assim que a logomarca da Netflix surgiu na tela, foi recebida com uma sonora vaia.

    Para piorar a situação, um problema com a relação de aspecto fez com que a sessão tivesse que ser interrompida, cerca de cinco minutos após o início. Isto em meio a vaias cada vez mais fortes da imprensa internacional. "Seria praga do Almodóvar?", era o comentário irônico mais ouvido.

    Logo após a sessão, a organização do Festival de Cannes divulgou um comunicado em que assumia a responsabilidade pelo ocorrido e pedia desculpas, ao diretor Bong Joon-Ho e à Netflix. Entretanto, independente do incidente, fato é que a Netflix tem sido recebida com antipatia por muita gente em Cannes - o que não deve ser confundido com a recepção ao filme, aplaudido após a sessão e aprovado pelo AdoroCinema. Confira nossa crítica!

    O diretor Bong Joon-Ho (à esquerda) com o elenco e equipe de "Okja"

    Na coletiva de imprensa realizada após a exibição, o diretor Bong Joon-Ho não se esquivou da óbvia pergunta acerca da polêmica em torno da declaração de Almodóvar: "Estou apenas muito feliz que [Almodóvar] verá o filme hoje à noite. Estou bem, ele pode dizer o que quiser. Sou um grande fã dele, então o fato dele falar sobre o filme já me deixa contente."

    A atriz Tilda Swinton também colocou panos quentes sobre a questão: "Trata-se de uma declaração feita pelo presidente, e é realmente importante que ele se sinta livre para fazer qualquer declaração que achar pertinente. Mas a verdade é que não viemos pelos prêmios, mas para exibir este filme. Temos o absoluto privilégio de exibir Okja nesta tela. Creio que seja uma enorme e realmente interessante conversa que está apenas começando, mas o que realmente acho é que há espaço para todos."

    Questionado sobre o grau de liberdade dado pela Netflix na produção de Okja, Bong Joon-Ho elogiou bastante a empresa. "Eles me deram um grande apoio. O orçamento do filme era considerável e algo raro para cineastas. Adorei trabalhar com a Netflix, eles me deram total liberdade em termos de escalação de elenco, filmagens e edição. Eles não me colocaram qualquer pressão ou restrições. Foi uma experiência maravilhosa."

    Vale lembrar que Okja teve um orçamento de US$ 50 milhões e tem lançamento agendado para 28 de junho, em todos os 190 países onde a Netflix está presente.

     



    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top