Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Ian McKellen ironiza polêmica em torno de A Bela e a Fera: uma "extravagância gay"
    Por Vitória Pratini — 14 de mar. de 2017 às 16:55
    facebook Tweet

    O "momento gay" foi cortado para que o filme seja exibido na Malásia, mas a estreia no país foi adiada por tempo indeterminado.

    A Bela e a Fera entrou para a história ao incluir, de forma sutil, seu primeiro personagem LGBTQ em um filme sobre uma princesa da Disney. Desde que o diretor Bill Condon fez o anúncio de que LeFou (Josh Gad) teria um "momento gay" e nutriria sentimentos pelo vilão Gaston (Luke Evans), o live-action baseado na animação homônima se tornou alvo de controvérsias.

    A protagonista Emma Watson já havia comentado o assunto, exaltando a sutileza da abordagem das cenas. Ian McKellen, que interpreta Horloge, também se pronunciou. O ator, que é homossexual e ativista da causa LGBTQ, ironizou a polêmica, no palco durante a premiere novaiorquina de A Bela e a Fera, na última segunda-feira (13).

    Relembrando que já havia trabalhado com Bill Condon em Deuses e Monstros, drama de 1998 sobre o cineasta homossexual James Whale, McKellen brincou que A Bela e a Fera marca "outra extravagância gay" para Condon. De acordo com a Variety, a fala arrancou risos e aplausos do público presente na estreia.

    LeFou e Gaston.

    Entretanto, mesmo que a sexualidade de LeFou não seja abertamente revelada na produção – ele fica confuso sobre seus sentimentos em relação a Gaston e tem uma breve cena de dança com outro homem – o filme não tem sido bem recebido em alguns lugares do mundo. A Rússia, por exemplo, proibiu a exibição da produção para menores de idade justamente por causa do personagem gay.

    Já na Malasia, a estreia de A Bela e a Fera foi adiada indefinidamente, mesmo depois que a censura oficial aprovou o lançamento do filme, desde que o cena homossexual fosse cortada.

    "Nós aprovamos, mas há um pequeno corte envolvendo um momento gay", disse o Presidente da Câmara de Censura de Filmes Abdul Hamid à Associated Press (via Times). "É apenas uma cena curta, mas é inadequada porque muitas crianças estarão assistindo a este filme." Ele ainda afirmou que a Disney não entrou com recurso sobre a decisão de cortar a sequência gay. Ainda assim, as duas principais cadeias de cinema da Malásia adiaram a estreia do live-action por tempo indeterminado e não deram uma razão para isso.

    No Brasil, A Bela e a Fera chegará aos cinemas na próxima quinta-feira (16).

     

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • lucas
      tem como virar gay duas vezes?
    Mostrar comentários
    Back to Top