Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    O Chamado 3 e TOC - Transtornada Obsessiva Compulsiva são as maiores estreias da semana
    Por João Vitor Figueira — 2 de fev. de 2017 às 14:30
    facebook Tweet

    Três filmes indicados ao Oscar 2017 estreiam no Brasil nesta quinta-feira (02): Estrelas Além do Tempo, Jackie e A Qualquer Custo.

    O terror O Chamado 3 é a maior estreia da semana no circuito brasileiro. O longa-metragem abre em 614 salas de cinema do país com cópias dubladas e legendadas. Com direção de F. Javier Gutiérrez, o terceiro filme da franquia de horror psicológico sobrenatural traz de volta a entidade Samara, responsável pelas mortes de quem assiste a um vídeo amaldiçoado. O elenco conta com Matilda Lutz, Alex Roe e Vincent D'Onofrio.

    Principal destaque nacional desta quinta-feira em número de salas, a comédia TOC - Transtornada Obsessiva Compulsiva abre em 300 telas. No primeiro filme protagonizado por Tatá Werneck, a humorista que se notabilizou por seus trabalhos na TV dá vida a uma atriz famosa em crise pessoal e artística enquanto lida com um fã insano (Luis Lobianco), um namorado sem bom senso (Bruno Gagliasso) e uma empresária linha dura (Vera Holtz).

    Faltando poucas semanas para a cerimônia do Oscar, estreiam nesta quinta-feira três filmes quem concorrem às cobiçadas estatuetas: Estrelas Além do Tempo (estreia em 267 salas), Jackie (estreia em 55 salas) e A Qualquer Custo (estreia em 40 salas).

    Estrelas Além do Tempo — indicado aos prêmios de melhor filme, atriz coadjuvante (Octavia Spencer) e roteiro adaptado — traz a história real de três mulheres negras fundamentais para o avanço dos Estados Unidos na corrida espacial no contexto de tensões raciais do ano de 1961. Jackie — indicado aos prêmios de melhor atriz (Natalie Portman), figurino e trilha sonora — traz a atriz oscarizada por seu papel em Cisne Negro no papel da mais icônica primeira-dama dos Estados Unidos, Jacqueline Kennedy, nos dias que seguiram o assassinato de seu marido, o então presidente John F. Kennedy. A Qualquer Custo — indicado aos prêmios de melhor filme, ator coadjuvante (Jeff Bridges), roteiro e montagem — une drama, suspense e faroeste com uma história de assaltantes de bancos que roubam para pagar a hipoteca da fazenda da família.

    Os demais lançamentos desta quinta feira são o documentário The Beatles: Eight Days a Week - The Touring Years (estreia em 43 salas), o terror nacional Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois (estreia em 15 salas) e o thriller político Armas na Mesa (estreia em 14 salas). A comédia dramática Quase 18, o drama italiano A Espera e a comédia francesa Más Notícias Para o Sr. Mars também terão sessões a partir de hoje, mas não tiveram o circuito divulgado. O filme de romance e suspense Aliados, com Brad Pitt e Marion Cotillard, terá pré-estreias pagas em salas selecionadas a partir de domingo, dia 4 de fevereiro.

    Para informações sobre os horários das sessões, acesse nosso guia de programação.

    Confira abaixo os trailerscríticas e a opinião da imprensa sobre os filmes que estreiam nesta semana.

    O Chamado 3

     

    TOC - Transtornada Obsessiva Compulsiva: "Brincando com o culto à personalidade, com a tentativa das novelas de explorar novos gêneros e até com o cinema pernambucano, TOC é um filme sobre a busca do seu lance. E sobre a necessidade que todo mundo tem de, em algum momento em sua vida, simplesmente 'ligar o foda-se'." Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

     

    Estrelas Além do Tempo: Leia a opínião da imprensa.

     

    Jackie: "Se a imagem serve ao texto, o texto é escada para a interpretação da atriz – retratada, em grande parte, em grandes closes. E a pergunta que fica ao final é: Não é que a Jacqueline Kennedy lembra a Natalie Portman?" Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

     

    A Qualquer Custo: "Correto e bem conduzido, A Qualquer Custo funciona a contento dentro de sua proposta de faroeste moderno, mas sem brilho. Há um claro apuro nos efeitos sonoros, de forma a intensificar o impacto dos assaltos a banco, e também na bela trilha sonora, composta pela dupla Nick Cave e Warren Ellis. No fim das contas, o maior valor do filme é no sentido de ser um reflexo do Texas atual - e, por que não?, da tal América profunda - do que propriamente por suas qualidades narrativas." Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

     

    The Beatles: Eight Days a Week: Leia a opinião da imprensa.

     

    Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois: "O filme transita, portanto, na contradição entre fisgar o espectador pelos truques estéticos (trilhas sombrias somadas com céus obscuros somado com atriz soturna somado com sangue saindo de todos os orifícios corporais) e afastá-lo pela ausência de informações. Quando as revelações ocorrem, talvez elas não sejam fortes o suficiente para justificar a construção operística, próxima do terror-arte." Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

     

    Armas na Mesa: "O thriller funciona como sintoma da descrença na política, quando as abstenções ao voto atingem índices recordes e as populações votam cada vez mais em figuras que se vendem como 'apolíticas' ou 'diferentes dos políticos' – embora não o sejam, é claro. Elizabeth Sloane ostenta o cinismo máximo diante desta realidade: sabendo que todos são passíveis de corrupção, ela sequer finge possuir o verniz de moralidade apresentado pelos candidatos a cargos políticos." Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

     

    A Espera: "Contando com registros opostos das duas atrizes – Binoche interiorizada, prestes a explodir em cada cena, Laâge transparente, despojada e solar – o drama cria faíscas suficientes para sustentar um drama claustrofóbico, baseado num conflito único." Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

     

    Quase 18: "A combinação de personagens tão bem-construídos perde força quando eles são amarrados em um enredo que acaba se revelando um tanto convencional (ao contrário dos papéis). Estão lá a denúncia (na falta de uma palavra menos “séria”) da hipocrisia e egoísmo tão caros ao mundo como o conhecemos hoje. Mas também há um quê de previsível (o que também afeta o ritmo do) no filme produzido por James L. Brooks, de Os Simpsons. " Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

     

    Más notícias para o sr. Mars: Leia a opinião da imprensa.

     

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top