Meu AdoroCinema
    Olhar de Cinema 2015: Registro de férias de Glauber Rocha vira filme no festival paranaense
    Por Renato Hermsdorff — 14/06/2015 às 11:25
    facebook Tweet

    Material foi descoberto por acaso na casa da cantora Mossa Bildner, ex-namorada do cineasta, e adaptado para o cinema, em sua primeira exibição pública.

    Na tela: ruas, paredes, telhados, cadeiras, pessoas, hotéis, letreiros, uma gaivota, o mar; arbustos, palmeiras. Um típico registro de férias (no caso, no Marrocos, especificamente na cidade de Essaouira). Não muito diferente do que eu ou você filmamos quando viajamos. Aliás, diferente, sim, na medida em que estamos falando de 1973, quando as câmeras digitais (e os smartphones), obviamente, ainda não haviam sido inventadas, para o bem ou para o mal.

    Então, o que justificaria transformar tais imagens aleatórias em filme, para ser exibido no cinema? Acontece que as mãos por trás da Super-8 que filmavam na década de 1970 atendiam pelo nome de "mãos de Glauber Rocha", o mais importante e cultuado cineasta do Cinema Novo.

    "Eu nunca imaginei que pudesse haver alguém interessado nessas imagens", diz a dona do acervo, a cantora nova-iorquina radicada em Curitiba Mossa Bildner, que guardou carinhosa e despretensiosamente o material (transposto, inicialmente, para VHS, depois para DVD), durante mais de 40 anos.

    O primeiro a discordar dela foi o jornalista Cristiano Castilho, que descobriu o "tesouro" em uma entrevista com a cantora - namorada de Glauber da época. Outro jornalista paranaense, Paulo Camargo, entrou em contato com a direção do Olhar de Cinema e, voilà, o registro de férias acabou virando o filme acidental A Vida É Estranha, um média-metragem de 40', cuja direção é "de" Glauber Rocha, "com" Mossa Bildner, que teve pré-estreia "mundial" na última sexta-feira, dentro da programação do festival.

    Glauber faz a barba.
    Site A Escotilha
    Abertura.
    O agora filme começa com as únicas imagens que não foram filmadas pelo cineasta, afinal, quem aparece no centro da tela é o próprio Glauber (esqueça esse "conceito" de selfie). Sacudindo dentro do quadro tremido, com uma jovem Mossa responsável pela captação da cena, Glauber faz a barba em um coiffeur. Sai sorridente e, assim começa A Vida É Estranha.

    O que se vê na sequência não é mais "profissional". Imagens tremidas, falta de foco, ausência de luz, rostos de traços indecifráveis. Alguns poderão dizer que o conjunto lembra Matisse, outros certamente vão preferir Van Gogh. Mas tudo não passa de um vídeo caseiro de férias, sem a pretensão nenhuma, à época, de ganhar notoriedade pública, que agora vêm à tona pela associação com o nome de um falecido gênio.

    O filme foi todo montado na ordem em que Glauber o filmou, ou melhor, filmou as férias do casal. "A construção do filme é dele. A gente não editou. Só cortamos um trechinho de 30 segundos, que tinha ficado totalmente preto", revelou a experiente cantora/ diretora de primeira viagem (ao Marrocos). "Não achei que era o meu lugar mexer com as imagens na ordem que ele fez", ela revelou, com humildade, no debate após a sessão.

    Chapéu de esfregador com jogo de Búzios.
    Sem narração ou depoimentos, a escolha da trilha sonora pesou mais do que de costume na "adaptação". "O primeiro impulso era o de utilizar músicas da época, como The Doors, Jimmy Hendrix ou Buffalo Springfield, mas aí o pessoal daqui me falou, com razão, que eu teria que pagar direitos autorais", explicou Bildner.

    Assim, a maior parte da projeção foi coberta com músicas dos “Gnaoua”, um grupo étnico-cultural descendente de escravos vindos da África subsariana, que lembram os cânticos do candomblé. "Essa coisa que eu tenho cabeça que parece um esfregador com um jogo de búzios em cima é um tipo de chapéu ritualístico que eles usam nas cerimonias", a cantora brincou. A segunda parte musical é baseada em um vocalize (exercício vocal) de uma ária italiana antiga desconstruída. E o terceiro e último bloco de imagens, de caráter mais introspectivo, vem acompanhado de um poema de Clarice Lispector ("Momentos Na Vida") musicalizado - e interpretado - pela cantora/diretora.

    Divulgação
    Mossa Bildner: "Chapéu de esfregador com jogo de Búzios" e bom humor.

    Só pensava naquilo.
    "A maioria dos papos dele [do Gluber] era sobre cinema, enquadramentos. Naquela época, ele estava muito obcecado por fazer um filme que seria o filme da vida dele, que seria uma história do [escritor norte-americano] William Faulkner, que se chama "The Wild Palms" [lançado no Brasil como "Palmeiras Selvagens" mesmo]. Tem uma cena [em A Vida É Estranha] onde você vê as palmeiras balançando e eu pensei, anos depois, que essa cena poderia ter sido uma indicação. O filme infelizmente, nunca aconteceu", ela lembra.

    Mossa Bildner conheceu Glauber Rocha quando ainda estava no "ginásio" (ensino médio). Ele estava com os amigos cineastas na praia de Ipanema, ela o reconheceu e se apresentou. "Houve um clique entre a gente mas não deu em nada", ela se recorda sorridente. O clique só viria a acontecer anos mais tarde, no lançamento de O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro (1969) em Nova York, em uma festa na casa de uma tia dela. "Ficamos a noite inteira batendo papo e você sabe como é..."

    O filme é dedicado a Glauber e uma tal "Letícia", uma amiga íntima do casal. "A gente a conheceu em Roma, ela estava namorando a Ângela Rô Rô. A gente convidou a Ângela, na época [para ir para o Marrocos], mas ela não quis. A Letícia, que era uma grande escritora brasileira, morreu muito jovem".

    Interesse público.
    Divulgação
    Mossa em dois tempos.
    O cineasta e diretor do festival Olhar de Cinema, Aly Muritiba, envolvido diretamente na transformação do vídeo em filme, justificou a transposição: "o interesse passa pela figura pública do Glauber Rocha, mas passa também pela figura pública que é a Mossa. Ter esse registro guardado durante tanto tempo sem ser compartilhado nos pareceu um tanto quanto despropositado e, como nos tínhamos os meios de tornar isso compartilhado, nos empenhamos pra fazê-lo".

    Questionada por uma jovem da platéia sobre a sensação que o agora filme a traz, Mossa falou: "cada pessoa que chega numa certa idade, quando você se vê bem mais jovem, fica um pouco chocada, não é? Como era tão mais inocente aquela época, que não tinha distrações digitais, então a gente tinha que criar aventuras e vivê-las", tascou, com sabedoria, sobre o lado negro da tecnologia.  

    Como escreveu Clarice Lispector, "a vida não é de se brincar porque um belo dia se morre". E que bela vida teve Mossa Bildner.
    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Siga o AdoroCinema
    Trailers
    Era uma Vez em... Hollywood Trailer (1) Legendado
    Patrocinado
    Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw Trailer (3) Legendado
    Ted Bundy - A Irresistível Face do Mal Trailer Legendado
    As Trapaceiras Trailer Legendado
    O Mistério do Gato Chinês Trailer Legendado
    As Rainhas da Torcida Trailer Legendado
    Todos os últimos trailers
    Notícias de cinema Festivais e premiações
    Era uma Vez em... Hollywood: O que sabemos sobre o novo filme de Quentin Tarantino
    NOTÍCIAS - Visto na Web
    terça-feira, 25 de dezembro de 2018
    Patrocinado
    Anima Mundi 2019: Curta-metragem português leva o prêmio máximo do festival
    NOTÍCIAS - Festivais e premiações
    segunda-feira, 22 de julho de 2019
    San Diego Comic-Con 2019: Scarlett Johansson diz ter ficado triste com destino de Viúva Negra em Vingadores - Ultimato
    NOTÍCIAS - Festivais e premiações
    segunda-feira, 22 de julho de 2019
    San Diego Comic-Con 2019: Scarlett Johansson diz ter ficado triste com destino de Viúva Negra em Vingadores - Ultimato
    Cine Ceará 2019: A Vida Invisível de Eurídice Gusmão será filme de abertura
    NOTÍCIAS - Festivais e premiações
    segunda-feira, 22 de julho de 2019
    Cine Ceará 2019: A Vida Invisível de Eurídice Gusmão será filme de abertura
    Últimas notícias de cinema Festivais e premiações
    Melhores filmes em cartaz
    O Rei Leão
    O Rei Leão
    4,4
    Diretor: Jon Favreau
    Trailer
    Toy Story 4
    Toy Story 4
    4,4
    Diretor: Josh Cooley
    Trailer
    Homem-Aranha: Longe de Casa
    Homem-Aranha: Longe de Casa
    4,3
    Diretor: Jon Watts
    Elenco: Tom Holland, Jake Gyllenhaal, Zendaya
    Trailer
    Turma da Mônica - Laços
    4,0
    Diretor: Daniel Rezende
    Elenco: Giulia Benite, Kevin Vechiatto, Laura Rauseo
    Trailer
    Pets - A Vida Secreta dos Bichos 2
    3,8
    Diretor: Chris Renaud
    Trailer
    Annabelle 3: De Volta para Casa
    3,8
    Diretor: Gary Dauberman
    Elenco: Mckenna Grace, Madison Iseman, Katie Sarife
    Trailer
    Todos os melhores filmes em cartaz
    Back to Top