Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Conto de Outono
    Média
    3,1
    3 notas e 1 crítica
    distribuição de 1 crítica por nota
    0 crítica
    0 crítica
    0 crítica
    1 crítica
    0 crítica
    0 crítica
    Você assistiu Conto de Outono ?

    1 crítica do leitor

    Rafael V
    Rafael V

    Segui-los 41 seguidores Ler as 210 críticas deles

    2,0
    Enviada em 9 de fevereiro de 2012
    Conto de Outono: “Conto de Outono”, França, 1998, roteiro/direção: Éric Rohmer, participou da Seleção Oficial do Festival de Veneza, quarta e última parte da tetralogia “Os Contos das Quatro Estações”, idealizada e realizada pelo cineasta francês Rohmer; as temáticas comuns às quatro partes são a amizade e o romance, nessa em questão, Isabelle coloca um anúncio no jornal, para encontrar um novo marido para sua melhor amiga, Magali, que tem 45 anos e é viúva, mas nas escondidas, pois Magali afirma não está atrás de um novo marido, ela só se preocupa com a atual colheita de sua vinicultura (o que dá motivo para Rohmer escolher a estação “Outono” para dar título ao filme); mesmo assim Isabelle, às escondidas, arma o encontro de Magali, com um homem, que responde ao anúncio, Gérald; Rohmer trabalha muito bem as personagens: Magali é uma viúva, tímida, meio insociável, que só se preocupa com sua vinicultura e com seus filhos, Valentine, já casada e que mora em outra localidade, e com o seu outro filho, Léo, que namora Rosine, que está terminando o seu romance com seu professor de Filosofia, Étienne; claramente, Rosine prefere homens mais velhos e seu romance com Léo é apenas um caso fortuito, pois ela ama mesmo a Étienne, inclusive, tem mais afinidades intelectuais com este do que com Léo; Rosine fica muito amiga da mãe de Léo, Magali, sentimento retribuído por esta àquela, então, Rosine tem a mesma idéia de Isabelle, a de casar Magali, para isso Rosine resolve apresentar seu ex-namorado Étienne, para Magali, com o intuito, de quem sabe, os dois se apaixonarem um pelo outro, o que causa muito desgosto a Léo e, Magali em nenhum momento se interessa por Étienne, e, este por aquela; claramente, os dois não têm afinidades entre si e, fica claro também que Rosine ainda ama Étienne e este à ela, a relação dois dois fica transitando numa linha tênue entre romance e amizade, prevalecendo mais o primeiro do que o segundo; contudo, quando Magali conhece Gérald, percebe-se, claramente, que os dois têm muitas afinidades entre si e tudo é possível, inclusive, surgir o amor entre Magali e Gérald, o primeiro passo já foi dado; também é mostrado o casamento consolidado e amoroso de 24 anos de duração entre Isabelle e Jean-Jacques; mostra-se também o casamento da filha destes, Émilia com Grégorie; belíssimo roteiro escrito por Rohmer; belíssima história sobre afinidades, amizades e relações amorosas; a melhor das quatro partes dos “Contos das Quatro Estações”; reflexões filosóficas também são desenvolvidas no filme; além de reflexões sobre a Arte da Vinicultura e de como apreciar, portanto, um bom vinho; a história se passa numa região do sul da França; ótimo filme! Nota: 8.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top