Meu AdoroCinema
    Rambo 4
    Críticas AdoroCinema
    3,0
    Legal
    Rambo 4

    É de matar... mesmo

    por Roberto Cunha

    "Quando você é provocado, matar é tão fácil quanto respirar." Essa frase de John Rambo sintetiza sua saga com perfeição. As cenas iniciais, antes da abertura, são reais e chocantes. Mostram sem filtros e efeitos os horrores que ainda acontecem no planeta enquanto você senta na sala escura para ver um filme. Mesmo para quem não viu os anteriores é possível assistir Rambo IV sem problemas. Claro que para isso tem que ter estômago, gostar do estilo PP/MT (pouco papo, muitos tiros) e não ligar para roteiros repletos de clichês.

    A aventura "estrogonofe" (muita carne e ketchup) se passa na Birmânia e Rambo, mesmo tendo optado por ficar em paz isolado do mundo na Tailândia, acaba - acredite se quiser - se envolvendo numa furada. Não conseguiu dizer não para uma missionária loirinha com seus amigos e os deixa num povoado que sofre nas mãos de soldados sanguinários. Claro que eles acabam presos e, mais tarde, o herói é recrutado por Ken Howard (de Conduta de Risco e aqui numa ponta) para ajudar um grupo de mercenários no resgate dos missionários que, naquela altura do campeonato, já estavam virando "picadinho". E lembre-se: para entender Rambo, tem que estar por dentro de sua filosofia de que é "melhor morrer por alguma coisa do que viver por nada."

    A fotografia explora a beleza natural, o som é forte e a trilha segue a fórmula tradicional. O herói e seu indefectível arco e flecha continuam imbatíveis com mortes perfeitas e silenciosas. A carnificina é total e realmente impressiona. Crianças são assassinadas friamente, braços, pernas, cabeças são retirados a torto e a direito. Não sobra tronco sobre perna. As mancadas de roteiro são muitas como a invasão deles no acampamento, executada com perfeição sem o menor conhecimento do local. E o que dizer dos inimigos que ouvem conversa, mas não ouvem tiros? Ouvem tiros e não ouvem a explosão de uma mina?! Só a conveniência mesmo. Pior são as cenas clichês, como a mocinha que escorrega na hora errada, a perna que se quebra durante a fuga, entre outras. A história tem ritmo acelerado. O filme é curto. Mas assim como Rambo vaticina "você sabe o que você é", Stallone também sabe e finaliza a saga, levando o herói de volta para casa. Agora, é esperar a seqüência de Cobra.

    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    • Leandro L.
      VERDADE CONCORDO,BAITA FILME,STALONE É LENDA...O RESTO É BALELA..ABCSS
    • batesai
      o pessoal daqui costumam fazer críticas bem merda mesmo.... gostam de fazer pouco caso dos filmes.Provavelmente é algum mulek mimado, ou uma mulekona mimadona.
    • pablo garcia
      nunca vi uma critica tao ridicula !!! e esses caras fala que entende de flmes.
    • Kerber Taylor
      A crítica acima só pode ser de um pau no cú que não entende nada de cinema. Se o filme mostra a dura realidade da guerra o que o crítico quer dizer com ketchup e carne? A guerra é tragédia, gente morrendo nos piores estilos, sem beleza e poesia, simplesmente explodindo, morrendo sem ter o porquê... Rambo IV é um dos melhores filmes de guerra já feitos, com certeza o melhor de todos os Rambos com atuações impecáveis, diálogos que retratam a rotina de quem vive por nada ou morre por um objetivo. Filme excelente. Adoro Cinema deveria rever seus críticos porque este Roberto Cunha é analfabeto, sem coerência e imbecil por escrever esta asneira.
    Mostrar comentários
    Back to Top