Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    O Homem que Matou o Facínora
    Média
    4,0
    47 notas e 17 críticas
    distribuição de 17 críticas por nota
    9 críticas
    5 críticas
    2 críticas
    1 crítica
    0 crítica
    0 crítica
    Você assistiu O Homem que Matou o Facínora ?

    17 críticas do leitor

    Marcão
    Marcão

    Segui-los 6 seguidores Ler as 81 críticas deles

    5,0
    Enviada em 3 de março de 2016
    "O Homem Que Matou o Facínora" é, sem dúvida, um dos clássicos filmes de faroeste. Realizado pelo grande cineasta John Ford, representa um marco no gênero, na medida em que mostra a passagem de um Oeste selvagem para um estado de ordem e lei. O trabalho de Ford é consistentemente muito bom, embora a primeira meia-hora seja certamente a melhor. "O Homem Que Matou o Facínora" apresenta, ainda, um ótimo roteiro, uma bela trilha sonora e excelentes interpretações. Juntar num mesmo faroeste John Ford, John Wayne, James Stewart e Lee Marvin só poderia resultar num filme de qualidade. A trama brinda o espectador com grandes momentos de suspense e emoção. UMA DAS MELHORES ATUAÇÕES DE WAYNE. LEE MARVIN É UM DOS MELHORES FORAS DA LEI DO CINEMA, E VERA MILES É UMA GATA, ALÉM DE STEWART QUE É EXCELENTE ATOR. O FILME É PARA ASSISTIR E REPETIR VÁRIAS VEZES. IMPERDÍVEL.
    Ricardo L.
    Ricardo L.

    Segui-los 27185 seguidores Ler as 1 716 críticas deles

    5,0
    Enviada em 28 de maio de 2018
    Um dos melhores filmes Western da história do cinema. Elenco poderoso e considerado o melhor elenco da história de um filme de faroeste, com as lendas John Wayne, James Stewart, Lee Marvin, John Carradine, Woody Strode, Lee Van Cleef e direção do gênio John Ford, tendo Marvin como a grande atuação do filme, levando ao publico a rigidez de seu personagem. Aqui temos um roteiro de 1° qualidade, um cenário deslumbrante e uma trilha sonora de cair o queixo. O homem que matou Facínora é uma grande obra do cinema clássico.
    anônimo
    Um visitante
    3,5
    Enviada em 15 de fevereiro de 2016
    -Filme assistido em 14 de Fevereiro de 2016 -Nota 7/10 Chegou a vez do Mestre John Ford se despedir do gênero que o consagrou em Hollywood. "O Homem que Matou Facínora" fecha com chave de Ouro a sua carreira. É um filme com pontos divertidos,e alguns bem dramáticos.Também conta com ação e muito mistério, daí que surge a tal pergunta "quem matou"? Temos uma dupla competente dividindo o protagonismo. James Stewart e John Wayne fazem personagens do bem,que soma bastante ao longo da trama. Os momentos finais são os melhores.Uma ação mais bem produzida.
    Ronaldo M
    Ronaldo M

    Segui-los 15 seguidores Ler as 36 críticas deles

    4,5
    Enviada em 18 de abril de 2016
    A Sétima Arte nos brindou com esse clássico, produzido originalmente em preto e branco no ano de 1962, com excelente trilha sonora, roteiro bem definido, elenco que traz John Wayne, James Stwart, Lee Marvin e John Ford, quatro ícones de peso. Recomendo! Boa Sessão!
    Khemerson M.
    Khemerson M.

    Segui-los 35 seguidores Ler as 74 críticas deles

    5,0
    Enviada em 28 de dezembro de 2014
    O Homem que Matou o Facínora é para mim um dos melhores filmes de John Ford. Direção segura, texto maduro e interpretações marcantes, esse é um daqueles filmes cuja mensagem deixada ao final é tão importante quanto a narrativa em si. É um filme que se propõe a discutir abertamente o mecanismo de glorificação dos mitos relacionados ao imaginário western, sobretudo aquele relacionado à formação dos mitos individuais construídos num espaço onde imperava a desordem e a justiça com as próprias mãos e onde a própria imprensa ajudava neste processo, sobretudo no que diz respeito ao sensacionalismo de sua prática, naquele contexto. Iniciando o seu filme mostrando a chegada do senador Rance Sttoddard (James Stewart) e de sua esposa Hallie (Vera Miles) à cidade de Shimbone, o casal logo chama a atenção de antigos amigos e moradores daquele lugar. Em seguida somos informados... (LEIA O RESTANTE DO TEXTO NO LINK ABAIXO!)
    Hugo A.
    Hugo A.

    Segui-los 22 seguidores Ler as 5 críticas deles

    4,5
    Enviada em 23 de fevereiro de 2015
    É um dos melhores trabalhos conjuntos de Ford e Wayne, senão o melhor. Também é uma espécie de réquiem para o bang bang. Se os filmes do gênero exaltavam o projeto civilizatório americano, a conquista das regiões inóspitas pelos aventureiros vindos do Lest, contra os índios e hispano-americanos, desta vez Ford trata da morte desse mundo: Stewart representa a chegada da Lei, da modernidade e do Estado (que até então estavam circunscritas ao Leste), enquanto Wayne é o cowboy que representa uma era de liberdade plena, na qual, contudo, prevalece a lei do mais forte. A figura do cowboy perde a função civilizatória e, aqui, é reduzida a um arcaísmo necessário para a conquista do Oeste -- que uma vez garantida, deve dar lugar à ordem "legítima". Enfim, dá o que pensar. De todo modo, trata-se de um grande filme, inclusive porque o roteiro e a direção são completados por atuações impecáveis.
    Cid V
    Cid V

    Segui-los 21 seguidores Ler as 196 críticas deles

    5,0
    Enviada em 26 de novembro de 2019
    Ransom Stoddard (Stewart) retorna como senador, juntamente com a esposa Hallie (Miles) a pequena cidade do Oeste para os funerais do amigo Tom Doniphon (Wayne). Sob a insistência do editor do Shinborne Star, o jornalzinho local, ele revela o motivo da visita ao funeral de um homem simples. Ransom relembra quando chegou na cidade, antes da ferrovia ser instalada, quando imperava a lei do mais forte, na figura dos durões Doniphon e Liberty Valance (Marvin). Mais em: https://magiadoreal.blogspot.com/2019/11/filme-do-dia-o-homem-que-matou-o.html
    Marco B.
    Marco B.

    Segui-los Ler as 4 críticas deles

    5,0
    Enviada em 25 de fevereiro de 2014
    Uma grande produção clássica, com elenco que dispensa comentários(James Stewart, John Wayne, Lee Marvin) entre outros. Primorosa fotografia em branco e preto. Enredo rico e complexo mas de fácil assimilação, mesclando, ação, suspense, política, romance, humor, drama, conflitos existenciais e até mesmo o "modus vivendi" da época. Filme de primeira, que entretém do início ao fim e com um final surpreendente. O interessante é que, o filme se desenrola íntegro em sua totalidade, com um fecho dramático e completo.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top