Meu AdoroCinema
    Dogville
    Dogville
    Data de lançamento 16 de janeiro de 2004 (2h 57min)
    Direção: Lars von Trier
    Elenco: Nicole Kidman, Paul Bettany, Patricia Clarkson mais
    Gêneros Suspense, Drama
    Nacionalidades França, Itália, Dinamarca, Noruega, Suécia, Finlândia, Holanda
    Usuários
    4,2 261 notas e 41 críticas
    notar :
    0.5
    1
    1.5
    2
    2.5
    3
    3.5
    4
    4.5
    5
    Vou ver

    Sinopse e detalhes

    Anos 30, Dogville, um lugarejo nas Montanhas Rochosas. Grace (Nicole Kidman), uma bela desconhecida, aparece no lugar ao tentar fugir de gângsters. Com o apoio de Tom Edison (Paul Bettany), o auto-designado porta-voz da pequena comunidade, Grace é escondida pela pequena cidade e, em troca, trabalhará para eles. Fica acertado que após duas semanas ocorrerá uma votação para decidir se ela fica. Após este "período de testes" Grace é aprovada por unanimidade, mas quando a procura por ela se intensifica os moradores exigem algo mais em troca do risco de escondê-la. É quando ela descobre de modo duro que nesta cidade a bondade é algo bem relativo, pois Dogville começa a mostrar seus dentes. No entanto Grace carrega um segredo, que pode ser muito perigoso para a cidade.
    Distribuidor IMOVISION
    Ver detalhes técnicos
    Ano de produção 2003
    Tipo de filme longa-metragem
    Curiosidades 2 curiosidades
    Orçamento 10 000 000 $
    Idiomas Inglês
    Formato de produção -
    Cor Colorido
    Formato de áudio -
    Formato de projeção -
    Número Visa -
    Pela web

    Elenco

    Nicole Kidman
    Personagem : Grace
    Paul Bettany
    Personagem : Tom Edison
    Patricia Clarkson
    Personagem : Vera
    Jeremy Davies
    Personagem : Bill Henson
    Ficha completa

    Críticas de usuários

    Ricardo F.
    Crítica positiva mais útil

    por Ricardo F., em 09/07/2013

    5,0Obra-prima
    Obra prima de Lars Von Trier. Antes que alguém que tenha visto o filme estranhe o meu comentário, explico, acredito ...
    Leia mais
    wesleyaxe
    Crítica negativa mais útil

    por wesleyaxe, em 20/05/2011

    0,5Horrível
    Não gostei desse filme!! Tudo bem que é super diferente, acho até que por isso entrou pra minha lista de filmes mais ...
    Leia mais
    Todas as críticas de usuários
    37% (15 críticas)
    24% (10 críticas)
    7% (3 críticas)
    24% (10 críticas)
    0% (0 crítica)
    7% (3 críticas)
    Você assistiu Dogville ?
    41 Críticas de usuários

    Fotos

    23 Fotos

    Curiosidades das filmagens

    Vários

    - Apesar de Dogville ser situado nos Estados Unidos, todas as filmagens ocorreram em estúdio na Suécia;- É o 3º de cinco filmes em que o diretor Lars von Trier e o ator Stellan Skarsgard trabalham juntos. Os demais foram Ondas do Destino (1996), Dançando no Escuro (2000), Manderlay (2005) e Melancholia (2011);- É o 6º de nove filmes em que o diretor Lars von Trier e o ator Udo Kier trabalham juntos. Os demais foram Epidemic (1987), Medea (1988),... Leia Mais

    Prêmios

    EUROPEAN FILM AWARDSGanhouMelhor Diretor - Lars von TrierMelhor FotografiaIndicaçõesMelhor FilmeMelhor RoteiroMelhor Diretor - Voto PopularCÉSAR Indicação Melhor Filme EuropeuGOYAIndicaçãoMelhor Filme EuropeuGRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIROGanhouMelhor Filme Estrangeiro

    Últimas notícias

    Dogville, de Lars von Trier, ganha adaptação teatral no Brasil
    NOTÍCIAS - Lançamentos
    sábado, 3 de novembro de 2018
    Escritora acusa Lars von Trier de forçar funcionárias a nadar nuas com ele
    NOTÍCIAS - Personalidades
    quarta-feira, 20 de dezembro de 2017
    Segundo a escritora Anne Mette Lundtofte, o cineasta dinamarquês e o produtor Peter Aalbæk Jensen, fundadores do estúdio...
    Top 10: Os finais mais cruéis (inesperados e chocantes) do cinema
    NOTÍCIAS - Visto na Web
    domingo, 8 de fevereiro de 2015
    Alerta máximo de spoiler! Alerta máximo de spoiler! Alerta máximo de spoiler!

    Se você gosta desse filme, talvez você também goste de...

    Mais filmes similares

    Comentários

    • Luti Pelanda
      Pavoroso!
    • Andries Viljoen
      Dogville é uma aula de sociologia e filosofia. Uma aula sobre a essência do ser humano e as suas relações sociais. Acredito, assim como Maquiavel, que todo ser-humano é essencialmente mau, e esse filme trata exatamente sobre isso, que todos nós temos um lado ruim, independente da classe social em que estamos inseridos.No começo, temos uma imagem de Dogville completamente diferente do que vemos no fim. De primeira impressão, Dogville é a cidade perfeita, sistemática e com habitantes hospitaleiros, no passar do filme a nossa impressão sobre o ambiente e os personagens que ali habitam, muda completamente... e isso é genial.De alguma forma, agimos como Grace, misericordiosos e cegos o bastante para não enxergamos o quão aquela sociedade era maquiavélica. Fomos pegos de surpresa e quando vemos o sofrimento da Grace e a sua passividade diante do que estava acontecendo, a nossa vontade é de matar todos os habitantes e fazer justiça. Mas por quê será que, no começo do filme, achávamos Dogville maravilhosa e sentíamos pena daquelas pessoas? Acredito que, assim como Grace, nós temos a ideologia que os oprimidos que representam as vítimas. Agora a partir do momento em que aparece uma pessoa que se mostre subjugada a eles, logo esses habitantes mostrariam a sua cara. E foi isso que aconteceu com a Grace, ela deu tudo de si para Dogville e Dogville não a correspondeu como deveria. Talvez, se ela tivesse agido de outra forma, sem remorso e não concordando com as atitudes dos moradores, nada teria acontecido com ela. Dogville representa todas as sociedades, todas esses sistemas repletos de injustiça e maldade, Grace representa as poucas pessoas misericordiosas que existem no mundo e os habitantes de Dogville representam a nossa fragilidade e subjugação, assim como o nosso lado mais perverso.Achei internet afora. É um ponto de vista. O que acham?1. Grace = Graça (divina)2. Num suposto filme sobre fé, o maior vilão era Thomas Edison (inventor da lâmpada, sinônimo de razão).3. Ela é literalmente perfeita, somente virtudes, como se fosse Cristo.4. O gângster pai vinha num carro com cortinas fechadas, sem ser visto (Deus nao se mostra aos homens diretamente). Quando foram matar todos, ele pôde abrir a cortina.5. Há uma conversa entre Grace e o pai sobre ela poder voltar a ter o poder se voltasse para junto dele. Esse diálogo quase no final entre o pai e Grace parece um diálogo entre Deus e Jesus, com o filho querendo ficar com os homens, tenta mostrar pra eles como eles podem melhorar. Mas depois ela percebe que talvez não há mais esperanças.6. O nome do cachorro, único sobrevivente que seria achado pelos outros humanos, se chama Moisés (que trouxe a palavra de Deus nas tábuas de pedra).7. No final ela anda arrastando um objeto, como Jesus com a cruz.8. Tom estava mais para Pedro e Grace pra Jesus. Tom nega Grace 3 vezes e é o mais próximo à ela, o que mais confia (se não me engano, na bíblia Jesus era mais próximo a Pedro também).9. Grace só tinha chorado duas vezes, se não estiver me enganado sobre a bíblia, Jesus só chora duas vezes também.10. O cenário transparente que todos acham que é linguagem de teatro foi a solução perfeita pra ilustrar que, para Grace, que era Cristo, não havia portas que a impedissem de ver tudo, de enxergar o coração das pessoas e o que faziam. Todos enxergavam as divisórias (os humanos), menos ela.Não é preciso de paredes para se construir a intolerância e o caos.I've felt the hate rise up in meKneel down and clear the stone of leavesI wander out where you can't seeInside my shell, I wait and bleedGet outta my head 'cause I don't need this, why didn't I see this?But I'm a victim, Manchurian candidateI have sinned by justMaking my mind up and taking your breath awayI've felt the hate rise up in meKneel down and clear the stone of leavesI wander out where you can't seeInside my shell, I wait and bleedI've felt the hate rise up in meKneel down and clear the stone of leavesI wander out where you can't seeInside my shell, I wait and bleedGoodbye!You haven't learned a thingI haven't changed a thingThe flesh was in my bonesThe pain was always freeYou haven't learned a thingI haven't changed a thingThe flesh was in my bonesThe pain was always freeI've felt the hate rise up in meKneel down and clear the stone of leavesI wander out where you can't seeInside my shell, I wait and bleedI've felt the hate rise up in meKneel down and clear the stone of leavesI wander out where you can't seeInside my shell, I wait and bleed, uh!And it waits for youWait and bleed - Slipknot
    • Senhor Ivan
      Um dos mais interessantes filmes do Lars Von Trier.Trabalha bem demais com seu elenco e a montagem e a direção arte é incrível.-Especial Nicole Kidman -Dou nota 7/10
    • Genival L.
      Como escrito na sinopse acima, "a bondade é relativa" e Lars Von Trier consegue retratar isso de forma única, claro que com a atuação impecável de Nicole Kidman. Imperdível, como todos os outros filmes deste Diretor.
    Mostrar comentários
    Back to Top