Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Feel the Beat
    Críticas AdoroCinema
    2,5
    Regular
    Feel the Beat

    Drama infantilizado

    por Barbara Demerov
    April, protagonista de Feel the Beat interpretada por Sofia Carson, deixa claro logo de início que é um bom exemplar de personagem que terá de atravessar um caminho repleto de renovação e aprendizado. Por mais clichê que isso pareça ser, Carson incorpora bem seu papel e é um dos melhores elementos do filme teen, recentemente lançado pela Netflix. Contudo, o que está à sua volta parece não acompanhá-la da forma mais apropriada, pois o tom lúdico não favorece a jornada pessoal da jovem.

    Feel the Beat é o clássico filme em que o protagonista se encontra quando volta ao seu lar. No caso de April, é em uma pequena cidade do interior, longe da correria de Nova York, que ela tem a chance de se reconectar com suas raízes. A jovem troca seu egocentrismo pelo prazer em ajudar os outros ao perceber que, ao contrário do que se parece, ensinar não é o fim da linha. A linha de pensamento da dançarina da Broadway, que relaciona o ato de ensinar com dividir seu conhecimento que só ela deveria usufruir, vai transformando a própria capacidade interpessoal da protagonista.

    TOM INFANTIL PERMEIA NARRATIVA SOBRE CRESCIMENTO

    Esta certamente é uma das características mais interessantes do longa. Porém, as inúmeras passagens musicais, a tensão em cada apresentação do time de dançarinos que April leciona, a rivalidade entre o time de April e outras equipes infantis, além de todas as discussões que acontecem neste meio tempo, são mais do que o suficiente para fazer com que o tom infantil se extravase sobre a narrativa.



    É certo dizer que April precisa estar em meio a pessoas de idade inferior para que compreenda o poder que uma boa educação possui - essa sendo calcada na busca pela felicidade e realização pessoal, não somente pela perfeição e aprovação externa. A própria personagem se considera perfeita, irretocável e indispensável, mas logo no primeiro momento do filme vê que a vida pode lhe pregar peças quando menos espera. Por essas e outras, sua evolução é clara desde o momento em que pisa na escola de dança até sua última apresentação com as crianças. Mas, ainda assim, em termos de narrativa, sua jornada acaba perdendo o espaço para o desenvolvimento de sua vida prévia a Nova York.

    Feel the Beat não encontra muito um estilo próprio porque prefere transitar entre um filme infantojuvenil e uma história de crescimento pessoal de uma jovem adulta. Não fosse as diversas intervenções musicais e a alta necessidade de inserir um romance do passado, a trajetória da determinada e independente April poderia ser mais atraente simplesmente pelo fato dela encontrar o recomeço em crianças - algo que representa um futuro melhor no mundo da dança. Contudo, o poder dramático da história é completamente diluído em diálogos ingênuos e cenários excessivamente coloridos.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top