Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    A Voz Suprema do Blues
    Média
    3,7
    94 notas e 11 críticas
    distribuição de 11 críticas por nota
    2 críticas
    4 críticas
    3 críticas
    1 crítica
    1 crítica
    0 crítica
    Você assistiu A Voz Suprema do Blues ?

    11 críticas do leitor

    Kamila A.
    Kamila A.

    Segui-los 4331 seguidores Ler as 609 críticas deles

    3,0
    Enviada em 20 de dezembro de 2020
    Baseado na peça teatral escrita por August Wilson, "A Voz Suprema do Blues", filme dirigido por George C. Wolfe, tem um título que faz referência à protagonista da obra: a cantora Ma Rainey, que era conhecida como a "Mãe do Blues" e foi uma das responsáveis pela popularização deste gênero nos Estados Unidos. "A Voz Suprema do Blues" se passa durante uma sessão de gravação de um dos discos de Ma Rainey (interpretada por Viola Davis), na cidade de Chicago, em 1927. Esta situação serve como pano de fundo para que o texto originalmente escrito por Wilson e, aqui, adaptado por Ruben Santiago-Hudson, trate sobre como era ser uma pessoa negra naquela conjuntura histórica, passando por temas como violência, arte e religião; ao mesmo tempo em que faz uma crítica sobre como eram as relações de trabalho entre os produtores/agentes e músicos/cantores negros - e também entre os cantores e seus músicos. Apesar de ter uma história com viés interessante, "A Voz Suprema do Blues" esbarra em uma série de problemas. O mais sério deles diz respeito à transição entre as linhas narrativas que compõem a história. Por vezes, o filme dá a impressão de que a história nunca chega a decolar de verdade - e, quando chegamos ao clímax do roteiro, na cena que se encontra nos últimos instantes do longa, o momento perde muito do seu impacto. Mesmo assim, "A Voz Suprema do Blues" tem também algumas qualidades - todas relacionadas às atuações. Tanto Viola Davis quanto Chadwick Boseman (que interpreta um músico com suas próprias ambições) estão ótimos - e devem emplacar indicações ao Oscar 2021. É bom também ficar de olho em algumas categorias técnicas, como Melhor Figurino e Melhor Fotografia, nas quais o filme poderá figurar também.
    Ricardo L.
    Ricardo L.

    Segui-los 34145 seguidores Ler as 1 799 críticas deles

    4,0
    Enviada em 30 de dezembro de 2020
    Temos aqui um filme de qualidade com um elenco que está excelente, Viola Davis e Chadwick Boseman merecem indicação e quase certeza que terão chances reais de levar estatuetas. Roteiro é bem feito e seu desenvolvimento idem, trilha sonora é atraente e sofisticada, mesmo sendo de época. Senti falta de uma montagem mais redonda, existem pequenas falhas, nada de muito sério. A voz suprema do blues é um exemplar muito bom de ano difícil e fecha a trajetória de um grande astro.
    Rodrigo Gomes
    Rodrigo Gomes

    Segui-los 3203 seguidores Ler as 552 críticas deles

    3,0
    Enviada em 18 de dezembro de 2020
    Um roteiro com toda expressividade em seus diálogos e caracterizações, mas falta um pouco na estrutura que parece solta na passagem. A diferença fica com as interpretações fortes e incríveis.
    Crismika
    Crismika

    Segui-los 308 seguidores Ler as 344 críticas deles

    4,0
    Enviada em 5 de janeiro de 2021
    Um filme baseado em fatos reais e em uma peça teatral traz para telona cenas de como se estivéssemos assistindo a peça, com interpretação incrível de Viola Davis, que com certeza levará indicação ao Oscar, impagável e perfeita na atuação. Recomendo o filme.
    Pedro F.
    Pedro F.

    Segui-los 40 seguidores Ler as 184 críticas deles

    3,5
    Enviada em 29 de janeiro de 2021
    Como muito já foi dito; A Voz Suprema dos Blues é um filme que se sustenta muito mais pelas atuações do que pelo roteiro ou a história, já que o mesmo é bem parado e pode ser até entediante inicialmente. Mas não deixa de ser um filme que tenha suas qualidades artísticas de fotografia, som e etc. As atuações principalmente da Viola Davis e do Chadwic Bozeman são excelentes. Recomendo para quem acha que vai ter paciência para assistir a esse tipo de filme.
    Mateus Olivotti
    Mateus Olivotti

    Segui-los 1 seguidor Ler as 36 críticas deles

    4,5
    Enviada em 19 de dezembro de 2020
    Ma Rainey´s Black Bottom é um filme de drama lançado em 2020 e dirigido por George C. Wolf. O longa me surpreendeu muito, estava esperando apenas um filme com boas atuações, mas acabei encontrando um filme com uma excelente direção de arte, uma boa direção, e claro, atuações excepcionais. No sentido técnico o longa é perfeito, os figurinos a ambientação, etc, você realmente se sente na Chicago dos anos 1920, o que em um filme de "época" é sempre essencial. O filme oferece atuações ótimas, sem dúvidas as atuações de Viola Davis e Chadwick Boseman são uma das melhores da temporada e uma das minha favoritas ao Oscar 2021. Também vale destacar que o filme tem um ótimo discurso sobre o racismo, e aborda o tema de uma das melhores formas dês de Black Klansman. Confesso que quando estava vendo o filme eu me senti um pouco triste, pois essa será infelizmente a última vez que veremos Chadwick Boseman nas telas, e esse é o melhor papel de sua carreira, espero realmente que ele tenha pelo menos uma indicação ao Oscar. Viola Davis mesmo com pouco tempo de tela tem uma ótima presença e é uma personagem muito marcante, e sua maquiagem está ótima e acredito que será reconhecida na categoria de melhor maquiagem e penteado. Porém, sem dúvidas esse é um filme de Boseman , é nele que o filme foca a maior parte do tempo e tem os melhores e mais surpreendentes monólogos. Acredito que esse seria um filme perfeito, se não fosse pelo fato de que o diretor não soube muito bem adaptar a peça de teatro na qual o longa se baseia, sendo assim, em alguns momentos ele lembra demais uma peça gravada, e para uma adaptação isso nunca é bom, sei que tem gente que se incomodou muito com isso, mas mesmo que tenha atrapalhado um pouco a minha experiência, não me incomodou tanto assim. Ma Rainey´s Black Bottom é um filme ótimo, uns dos melhores do ano com duas das melhores atuações de 2020, mas a adaptação da obra original não é muito boa, fazendo o longa lembrar uma peça de teatro gravada.
    jaime filho
    jaime filho

    Segui-los Ler as 55 críticas deles

    5,0
    Enviada em 21 de fevereiro de 2021
    Já aposto nesse filme para algumas categorias no Oscar. Viola Davis é brilhante e deve concorrer a uma estatueta. No entanto, Chadwick Boseman rouba a cena. Antes de partir ele deixou essa atuação, capaz de nos deixar atônitos perante à tela. As emoções de um ator, cujos conflitos finais agora conhecemos, parecem impulsionar o drama de seu personagem.
    Rodolfo Toríbio F.
    Rodolfo Toríbio F.

    Segui-los Ler as 4 críticas deles

    2,0
    Enviada em 27 de dezembro de 2020
    Reconheço a importância do filme, notável que foi adaptado de um livro. Mas para gera mais hype do que realmente entrega. Achei a história bem arrastada, não emociona. Repito, reconheço como literatura e sua importância nos temas tratados.... mas....
    Ma Nogueira
    Ma Nogueira

    Segui-los Ler as 17 críticas deles

    4,5
    Enviada em 19 de dezembro de 2020
    Maravilhoso. Talento, talento, talento. É isso que vemos. O filme, que é uma adaptação de uma peça de teatro, mostra o dia da gravação de um disco da cantora de blues, Ma Rainey, considerada a "mãe do blues". Ano, 1927. Mas é um retrato da situação dos negros num período crítico nos EUA. O filme se passa praticamente todo na gravadora. É o último trabalho do ator Chadwick Boseman. E ele teve a oportunidade de mostrar todo seu talento, como o arrogante trompetista Levee. Os diálogos fortes, sobre suas vidas, seus sofrimentos, seus sonhos e planos.
    Lucas Moraes
    Lucas Moraes

    Segui-los Ler as 11 críticas deles

    5,0
    Enviada em 25 de fevereiro de 2021
    Viola Davis e Chadwick Boseman em sua última atuação da vida estão absurdos nós papéis. Praticamente como ver uma peça de teatro. Diálogos incríveis onde se vê claramente e unicamente em cada personagem a relação da população preta com os brancos, com um final incrível que dá o tom da crítica do filme.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top