Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    E Agora? A Mamãe Saiu de Férias!
    Críticas AdoroCinema
    2,5
    Regular
    E Agora? A Mamãe Saiu de Férias!

    Inversão antiquada

    por Barbara Demerov
    Filmes em que pais e maridos tomam o lugar de suas esposas, mães e donas de casa, nem que por um curto período de tempo, geralmente tendem a não sair do campo dos clichês ou estereótipos que atingem diretamente as mulheres que abriram mão de muito para cuidar estritamente de sua família. E Agora? Mamãe Saiu de Férias! não deixa de ser um filme divertido e cativante, mas somente nos momentos em que o pai, Carlo (Fabio De Luigi), se relaciona cada vez mais com seus filhos. Quando o cenário é aberto e relembramos o porquê ele está fazendo tarefas domésticas e passando mais tempo em casa, é quando vemos o problema real: o fato é que o pai não faz nada mais que a obrigação de todo e qualquer homem, mas ainda assim o filme de Alessandro Genovesi prioriza a romantização da situação.

    Quando sua esposa Giulia (Valentina Lodovini) viaja para Cuba com a irmã por cerca de dez dias, Carlo se vê no meio de um campo de batalha: ele precisa lidar com seus três filhos, seu trabalho em tempo integral e, ainda por cima, uma espécie de competição profissional para ver quem consegue a vaga de chefe do RH. Esta é a típica história de redenção de um protagonista cuja visão de mundo está muito mais focada no que acontece fora do lar do que nos pequenos detalhes diários dentro dele – por exemplo, ele não consegue entender as palavras de sua própria filha, que ainda está aprendendo a falar –, mas o roteiro, apesar de possuir bons momentos de entrosamento entre pai e filhos, opta por não levantar questões mais sérias e que permanecem atuais.



    Afinal, sua esposa Giulia largou a profissão de advogada para conciliar todas as tarefas diárias dos três filhos. São poucos os momentos em que vemos o peso de sua escolha, mas parece que sempre que a discussão do casal foca na divisão de tarefas e na necessidade de Giulia em ter uma vida própria, os diálogos retornam ao ponto da comédia, com piadas vindas da parte de Carlo e uma clara exaustão da esposa. Comentários do marido que indicam que Giulia não cozinha bem todos os dias, não é "tão ocupada assim" e que possui, sim, muito tempo para descansar em casa enquanto os filhos estão na escola, são o estopim para que a personagem aperte a tecla pause na vida cotidiana.

    Com Giulia longe, cabe a Carlo finalmente aprender como funciona uma casa com três filhos. E é neste ponto que E Agora? Mamãe Saiu de Férias! segue por um caminho muito fácil e confortável: fica muito claro que ele acabará por ser respeitado pelos filhos e conquistará a afeição de todos, cada um à sua maneira. No meio desta jornada, estão diversos alívios cômicos – seja no trabalho como em casa - que destacam suas maiores dificuldades por estar numa posição bem diferente do que é a sua normalmente, mas que fala diretamente com o ato de ser o "homem da casa". Carlo vê, em cada adversidade, que ser o pai da família é muito mais do que ser o provedor de tudo; mas tal reflexão não é colocada como algo sério e sempre beira o cômico.

    Ainda que sempre acompanhadas pelo clichê, as três crianças são adoráveis e realmente o ponto alto do longa. O estranho gosto do filho pela violência, a pré-adolescência da filha mais velha e as palavras trocadas da caçula divertem mais do que até o próprio pai, pois as situações nas quais os filhos se encontram soam mais naturais que a de um pai que ganha o "gosto" por cuidar da casa de forma espontânea. No último ato, Carlo percebe que o trabalho não está mais nas suas listas de prioridades, mas é exatamente nestes extremos (cuidar da casa ou trabalhar, nada no meio termo) que o filme não ganha traços mais realísticos e pé no chão. Não é impossível fazer as duas coisas ao mesmo tempo: o ideal é ter auxílio para isso, seja enquanto mãe ou pai. Esta poderia ser uma ótima mensagem a ser dada ao espectador, mas aqui o diretor contenta-se em, apenas, trocar os pais de lugar.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top