Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Arkansas - Rei do Crime
    Críticas AdoroCinema
    4,0
    Muito bom
    Arkansas - Rei do Crime

    Tráfico de ilusões

    por Barbara Demerov
    Ainda que Arkansas aborde o tráfico de drogas e a máfia silenciosa, este não é um filme que possui um estilo já esperado dentro do gênero. O modo como a história vai se desenrolando é peculiar, assim como seu ritmo é vagaroso, ganhando intensidade aos poucos. Mas a produção ainda possui elementos bem próprios, como as ações dos protagonistas que vão entrando cada vez mais em um beco sem saída estreito sem possibilidade de fugir - por mais que isso pareça possível.

    Com direção e atuação de Clark Duke, este thriller aparenta ser um filme que só tomará sua forma exata em torno da metade de sua duração, mas não é isso o que acontece. Na verdade, por mais que Arkansas pareça não querer entregar o verdadeiro sentido da história tão rápido, é isso o que torna a obra tão interessante. Através de personagens comuns, sem muitas amarras com o mundo afora, o espectador é transportado para uma realidade onde não há muito o que se fazer em uma vida no tráfico.



    Exceto, é claro, se eventos inesperados acontecerem. Quando a dupla Kyle (Liam Hemsworth) e Swin (Duke) é obrigada a adaptar sua rotina no tráfico em um local pacato, Arkansas ganha um ritmo que poderia beirar o sem graça, mas é um reflexo do custo de viver a vida do crime. Nem todos os dias são dignos de sequências impactantes, tiros ou violência - e o filme se aproveita destes momentos que podem passar imperceptíveis em outras obras para formar o tom adequado a entregar ao espectador.

    Uma vez que Kyle é um personagem isento de relações interpessoais que lhe importam (com exceção de Swin), este é o protagonista ideal para uma trama tão desprovida de grandes acontecimentos. O único mistério na vida do homem é a dúvida quanto a quem seria Frog (Vince Vaughn), o chefe que nunca deu as caras. Quem assiste já possui tal informação, mas a questão fica cada vez mais latente ao passo que Kyle e Swin passam a se sentir ameaçados.

    Arkansas remete à falsa tranquilidade que a série Ozark transmite, com cenários amplos e claros atuando como o pano de fundo de uma trama que fala sobre erros, benefício próprio e preços a se pagar. É esta mesma impressão que persiste ao manter os protagonistas distantes da realidade que eles mesmos atraíram (ainda que inconscientemente). Mas, quando a narrativa surpreende o espectador com o perigo iminente, a narração feita por Kyle logo no início faz mais sentido e a obra diz a que veio. A ausência de apego faz com que este filme entregue algo que não é visto com frequência neste gênero: o impacto vem pelo todo, não por um único ato que modifica o rumo da história.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top