Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Dogman
    Nota média
    3,7
    12 publicações
    • The Guardian
    • Papo de Cinema
    • Cineweb
    • O Globo
    • Screen International
    • Télérama
    • The Hollywood Reporter
    • The Playlist
    • Variety
    • Carmattos
    • Folha de São Paulo
    • Critikat.com

    Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

    12 críticas da imprensa

    The Guardian

    por Peter Bradshaw

    Explica a inadequação emocional tóxica do banditismo - sua brutalidade, sua bajulação, sua pusilanimidade, seus vícios covardes. [...] Um filme com uma força incompáravel.

    A crítica completa está disponível no site The Guardian

    Papo de Cinema

    por Robledo Milani

    "Dogman" é, até pela utilização de um nome americanizado, quase um super-herói. É o homem-cachorro, mas também um vira-lata. É aquele que afaga quando lhe dão alguma chance, ainda que seja o primeiro a ser colocado para correr ao menor sinal de dúvida.

    A crítica completa está disponível no site Papo de Cinema

    Cineweb

    por Neusa Barbosa

    O ator encarna com uma verdade extraordinária este homem comum, exposto a toda espécie de desastres, sem ter um anjo protetor ao seu lado. Seu rosto enche a tela e não há como não ter empatia por esse pequeno herói anônimo.

    A crítica completa está disponível no site Cineweb

    O Globo

    por André Miranda

    Garrone procura mostrar a violência mais particular de um indivíduo, num contexto social perturbador e com um tom menos grandioso que o desenvolvido em seu “Gomorra”.

    A crítica completa está disponível no site O Globo

    Screen International

    por Lee Marshall

    "Dogman" é um filme que fecha as paredes em torno de seu herói, e em torno de sua audiência. Talvez a coisa mais impressionante sobre o filme seja o fato de que saímos de um filme intensamente tocados pela paixão e uma estranha sensação de esperança.

    A crítica completa está disponível no site Screen International

    Télérama

    por Cécile Mury

    A Itália de Monicelli se recuperava do fascismo, a de Matteo Garrone sofre mais uma vez com a barbárie selvagem. Tendo em vista os fatos atuais, não se trata mais de um olhar pessimista, mas de uma realidade: a fera voltou.

    A crítica completa está disponível no site Télérama

    The Hollywood Reporter

    por Deborah Young

    "Dogman", de Matteo Garrone,  é uma experiência visual tão intensa, que terá o público segurando seus braços com o retrato assustadoramente real de um bom homem tentado pelo diabo.

    A crítica completa está disponível no site The Hollywood Reporter

    The Playlist

    por Jordan Ruimy

    Garrone observa as raízes da violência através de novas lentes: não os aspectos malignos da corrupção da máfia, e sim um perturnador e mal intencionado indivíduo perpetuando seu próprio tipo de terror.

    A crítica completa está disponível no site The Playlist

    Variety

    por Owen Gleiberman

    “Dogman” não se refere apenas à loja de Marcello. É sobre como Marcello, depois de domesticar todos aqueles cachorros que latem e rangem, se transforma em um cachorro grande. É a história de um inocente que absorve o mal e aprende a usá-lo, mas permanece inocente do mesmo jeito.

    A crítica completa está disponível no site Variety

    Carmattos

    por Carlos Alberto Mattos

    Dois terços da duração do filme se passam na lenta e gradualíssima preparação da virada de Marcello contra seu opressor. A mim pareceu tempo demais e assunto de menos.

    A crítica completa está disponível no site Carmattos

    Folha de São Paulo

    por Inácio Araújo

    Matteo Garrone, que há dez anos nos deu o precioso “Gomorra”, desta vez parece afirmar que em nosso tempo é mais fácil a um homem relacionar-se com cachorros do que com outros homens.

    A crítica completa está disponível no site Folha de São Paulo

    Critikat.com

    por Thomas Choury

    "Dogman" se ampara de todos os clichês do gênero para justificar a sua violência inerente [...] e associa este miserabilismo estetizante que instrumentaliza a margem e a pobreza através de um academicismo grotesco.

    A crítica completa está disponível no site Critikat.com
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top