Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Todo o Dinheiro do Mundo
    Média
    3,6
    162 notas e 17 críticas
    distribuição de 17 críticas por nota
    0 crítica
    6 críticas
    6 críticas
    5 críticas
    0 crítica
    0 crítica
    Você assistiu Todo o Dinheiro do Mundo ?

    17 críticas do leitor

    Sidney  M.
    Sidney M.

    Segui-los 16879 seguidores Ler as 1 082 críticas deles

    2,5
    Enviada em 21 de julho de 2019
    Sou um grande simpatizante das obras de Ridley Scott, mas fica nítido que esse filme foi feito no automático por ele. O elenco é de bons nomes, porém com personagens sem alma, tornando as atuações irregulares. Todo o Dinheiro do Mundo é um filme com alguns pouquíssimos bons momentos e que irá sair da sua cabeça em rápidos minutos.
    Rodrigo Gomes
    Rodrigo Gomes

    Segui-los 3196 seguidores Ler as 552 críticas deles

    4,0
    Enviada em 26 de maio de 2018
    Tem a originalidade e veracidade no roteiro. Falta dinamismo e direção. Mas o resumo é interessante, até mesmo por serem fatos reais.
    Drih S.
    Drih S.

    Segui-los 829 seguidores Ler as 290 críticas deles

    2,0
    Enviada em 13 de abril de 2018
    TODO O DINHEIRO DO MUNDO (All the Money in the World O longa é dirigido por Ridley Scott e escrito por David Scarpa (baseado no livro de John Pearson). Estrelado por Michelle Williams, Christopher Plummer, Mark Wahlberg, Romain Duris, Andrew Buchan e Timothy Hutton. TODO O DINHEIRO DO MUNDO foi um filme bastante polêmico no ano de 2017. Começando pelas denúncias de abusos sexuais envolvendo Kevin Spacey, o que ocasionou em sua demissão do longa quando já tinham praticamente terminado todas as filmagens. Sendo contratado para o seu lugar o ator Christopher Plummer, o que também ocasionou na refilmagem de várias cenas do longa. É ai que começa mais uma grande polêmica sobre o longa-metragem de Ridley Scott. Vários jornais americanos afirmam que Mark Wahlberg ganhou cerca de 1,5 milhão de dólares pela refilmagem do longa, enquanto Michelle Williams recebeu os míseros 1.000 dólares, ou seja, menos de 1% do pagamento dado ao ator. Parece que o próprio Mark Wahlberg chegou a afirmar em entrevistas que nem ele e nem os outros atores receberiam qualquer pagamento extra para as refilmagens. O que de certa forma deixou o diretor Ridley Scott furioso ao descobrir que Mark Wahlberg havia negociado um alto valor pelas refilmagens, o próprio Scott chegou a afirmar que se sentiu traído por Mark por essa atitude. Deixando as polêmicas de lado e falando do filme: O longa é baseado em uma história real do sequestro de John Paul Getty III (Charlie Plummer), neto do empresário e na época considerado o homem mais rico do mundo J. Paul Getty (Christopher Plummer). Eu vou ser bem sincero em minha opinião: Eu não gostei do filme, não chega a ser péssimo, mas eu não me empolguei com a história e todo o desenrolar dos fatos. Eu considero o diretor Ridley Scott como um gênio e um dos melhores diretores de todos os tempos, mas dessa vez ele deixou muito a desejar. O próprio roteirista David Scarpa deixou o longa muito monótono e muito cansativo ao se alongar demais em várias explicações, o que elevou a duração do filme, chegando a passar das 2 horas de duração. O começo do filme parece bem promissor, ao nos mergulhar em uma Itália dos anos 70 rodeada de belos cenários com belos figurinos, tudo muito bem acertado e adequado ao padrão da época. A fotografia também é muito boa, mas o roteiro do filme infelizmente é a parte mais dolorosa. Faltou desenvolvimento, faltou dinamismo, até por ser um filme sobre sequestro (o que já está bem gasto no cenário cinematográfico), o longa não conseguiu me prender com sua história, pelo contrário, eu achei muito chato e muito maçante. Eu achei o elenco muito fraco (no quesito atuações). A própria Michelle Williams que estava indicada no Globo de Ouro na categoria "Melhor Atriz de Filme de Drama", em nenhum momento me convenceu, pelo contrário, eu achei a sua atuação fria e muito fraca. Faltou ânimo, faltou carisma, em nenhum momento ela conseguiu passar a verdadeira dor de uma mãe ao ter o filho sequestrado por dias, pelo contrário, ela só sabia dormir e reclamar, me parecia mais uma investigadora do que uma mãe desesperada. Nem mesmo a cena da orelha e do reencontro com o filho conseguiu salvar a fraca atuação de Michelle Williams. Mark Wahlberg faz o papel de Fletcher Chase, braço direito e homem de confiança de Paul Getty, que é mandado pelo próprio em uma caçada para descobrir o paradeiro e os responsáveis pelo sequestro de seu neto. Wahlberg tem uma atuação totalmente esquecível (pelo menos pra mim), não faz a menor diferença no filme, com ele ou sem ele dá no mesmo. Christopher Plummer faz o papel do todo poderoso e magnata dono de petróleo J. Paul Getty. Um bilionário que construiu sua fortuna em cima das negociações de petróleo com os Árabes nos anos 40. Christopher Plummer foi o que mais me chamou a atenção no longa, por se tratar de uma figura poderosa que sabe dar o verdadeiro valor pela sua fortuna, chegando a se passar por um velho mesquinho e suvino. Me impressiona a cena em que ele diz: Eu tenho 14 netos, se eu começar a pagar resgates, eu vou ter 14 sequestros. Christopher Plummer é a parte que salva o filme, uma ótima atuação que lhe rendeu uma indicação de Coadjuvante no Globo de Ouro e no Oscar. Apesar de ser fã de Ridley Scott (que estava indicado a Melhor Diretor no Globo de Ouro), eu tenho que admitir que dessa vez ele não foi bem. TODO O DINHEIRO DO MUNDO pra mim é um filme totalmente esquecível! [12/04/2018]
    Eduardo Santos
    Eduardo Santos

    Segui-los 214 seguidores Ler as 183 críticas deles

    2,0
    Enviada em 2 de fevereiro de 2018
    Esse é um filme cercado de polêmicas que acabaram por fazer o filme ser mais conhecido pelos problemas nos bastidores do que pelas suas qualidades artísticas. Ridley Scott, que se tornou um dos grandes diretores do cinema americano principalmente por seus filmes de ficção científica (vide Alien e Blade Runner) e épicos (como o super premiado Gladiador), nos traz um filme morno sobre uma mãe desesperada, que faz de tudo para conseguir ter seu filho de volta depois que ele é sequestrado. Aliás, ele e sequestrado por ser neto do homem intitulado “o homem mais rico da história”. Ao término da sessão, fiquei me perguntando como que o filme deu errado. Pode sim ter sido pelos escândalos que fizeram o Kevin Spacey ter sido substituído pelo Christopher Plummer (que, aliás, acabou ganhando uma merecida indicação ao Oscar por sua atuação aqui) em última hora, e pelo amplamente difundido absurdo sobre o fato de Mark Wahlberg ter ganhado um cachê infinitamente maior do que o de Michelle Williams (algo que não consigo conceber, já que Williams é a protagonista do filme e é uma atriz reconhecidamente incrível e talentosa enquanto Wahlberg é simplesmente... Wahlberg). Tudo isso parece ter realmente afetado o resultado final, pois o filme não chega a empolgar em nenhum momento. Um filme comum, sem grandes atrativos além da presença de Williams e Plummer. Para se assistir e esquecer, o que é triste, já que tinha um grande potencial.
    Mário Sérgio P.Vitor
    Mário Sérgio P.Vitor

    Segui-los 47 seguidores Ler as 132 críticas deles

    3,5
    Enviada em 6 de fevereiro de 2018
    Se em TODO O DINHEIRO DO MUNDO há lacunas, isso é plenamente ofuscado pela condução da história e pelos desempenhos espetaculares de seus atores. Infelizmente, o filme foi ofuscado pelo escândalo sexual envolvendo o ator (Kevin Spacey) que interpretou o bilionário norte-americano Jean Paul Getty, substituído por Christopher Plummer, em todas as suas cenas, digitalmente ou regravadas. É famosa a insistência de Getty em adiar o pagamento do resgate do sequestro de um de seus netos (em 1973 e, segundo o filme, para não sofrer prejuízos). Se fossem outros os envolvidos na realização do filme, a personagem seria apenas um Tio Patinhas cultuando sua moedinha número Um. Mas, o filme tem tensão e tiradas sarcásticas que fariam corar os patrulheiros atuais do "politicamente correto". Um grande filme!
    Nelson J
    Nelson J

    Segui-los 27338 seguidores Ler as 1 245 críticas deles

    3,5
    Enviada em 3 de fevereiro de 2018
    Plummer me pareceu artificial e muito bonzinho para ser o temível Getty, mas o filme funciona bem com cenas que homenageiam Lawrence das Arábias e A doce vida. Bom roteiro e direção segura.
    Luiz Antônio N.
    Luiz Antônio N.

    Segui-los 17109 seguidores Ler as 1 298 críticas deles

    3,5
    Enviada em 31 de março de 2018
    Em 1973, sequestradores exigem 17 milhões de dólares do bilionário J. Paul Getty em troca da libertação do seu neto. Quando Getty se recusa a pagar, sua nora e seu conselheiro se tornam aliados improváveis em uma corrida contra o tempo para salvar a vida do adolescente. um filme dirigido por Ridley Scott Só podia ser coisa boa uma história baseada em eventos reais sobre o bilionário John Paul getty que teve o seu neto sequestrado e os eventos que seguiram esse sequestro um filme muito bom e apesar de ser cumprido prendeu minha atenção do começo até o fim⭐⭐⭐🌟
    Alexandre S
    Alexandre S

    Segui-los 30 seguidores Ler as 150 críticas deles

    3,5
    Enviada em 1 de abril de 2018
    Dinheiro tem preço! Um dos maiores bilionários da história relata sua pobreza humanitária mesmo com sua família, em especial seu neto de quem mostra um apreço mas não está disposto a pagar o preço da vida do rapaz sequestrado. O filme tem seu suspense mas a dramacidade é ainda maior.
    Vinícius A.
    Vinícius A.

    Segui-los Ler as 6 críticas deles

    2,0
    Enviada em 8 de fevereiro de 2018
    O filme tem uma história interessante, mas na minha concepção faltou algo para que eu ficasse preso a ele. Por ser um filme de suspense esperava mais da trama.
    Rani silva
    Rani silva

    Segui-los Ler as 25 críticas deles

    4,5
    Enviada em 2 de abril de 2018
    Todo dinheiro do mundo é um filme muito interessante pois aborda uma "doença" de bem material. É triste vir um ser humano dependente do dinheiro e escravo dele e se limitando a viver a mingua com os cofres cheios.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top