Meu AdoroCinema
    Trama Fantasma
    Média
    3,5
    223 notas e 16 críticas
    6% (1 crítica)
    44% (7 críticas)
    25% (4 críticas)
    25% (4 críticas)
    0% (0 crítica)
    0% (0 crítica)
    Você assistiu Trama Fantasma ?

    16 críticas do leitor

    Drih S.
    Drih S.

    Segui-los 21 seguidores Ler as 274 críticas deles

    3,5
    TRAMA FANTASMA (Phantom Thread TRAMA FANTASMA é dirigido por Paul Thomas Anderson e estrelado por Daniel Day-Lewis, Lesley Manville e Vicky Krieps. O longa integra a lista dos indicados ao Oscar em 6 categorias (Melhor Filme, Diretor, Ator (Daniel Day-Lewis), Atriz Coadjuvante (Lesley Manville), Figurino e Trilha Sonora), além de obter algumas indicações no Globo de Ouro e no BAFTA. Duas combinações que jamais poderia dar errado: Paul Thomas Anderson e Daniel Day-Lewis. Paul dirigiu a obra-prima "Sangue Negro" (na minha mais modesta opinião, deveria ter levado o Oscar de melhor filme naquele ano). E Daniel é um gênio, um dos atores mais sofisticados e elegantes dos últimos tempos, e dono de três estatuetas do Oscar (entre elas as obras-primas Lincoln e Sangue Negro). O filme é rodado na década de 50 e conta a história de Reynolds Woodcock (Daniel Day-Lewis). Um competente e renomado estilista que trabalha junto com sua irmã Cyril (Lesley Manville) no meio do mais alto escalão no centro do glamour de Londres. Ele é responsável por vestir a realeza e todas as mulheres do mais alto gabarito, entre as idas e vindas das mulheres em sua vida. Até o dia em que ele conhece Alma (Vicky Krieps), sua musa inspiradora que mudará o destino de sua vida e de seu trabalho. Já me adianto em mencionar que TRAMA FANTASMA não é nem de longe o melhor trabalho entregue por Paul Thomas Anderson e nem a melhor atuação entregue por Daniel Day-Lewis. O que eu mais gostei: A direção de Paul é excelente, a maneira como ele utiliza as suas câmeras são incríveis, dando focos nas capitações de movimentos e olhares de todo elenco (principalmente em Daniel) A direção de arte é sensacional, a começar pela montagem de uma Londres dos anos 50 completamente estonteante, com detalhes e cenários muito bem trabalhados. Os figurinos são magistrais (o que mais se esperaria de um estilista), com a riqueza dos detalhes envolto nos vestidos das belas damas. Baseado em um filme de época, a fotografia não deixa a desejar, está linda e absoluta. A trilha sonora composta por Jonny Greenwood (guitarrista e membro da banda Radiohead) é de uma beleza incrível, juntamente com a leveza e a suavidade dos pianos. Porém: O roteiro não me agradou, não consegui me prender com a história, não consegui me envolver com a trama ao ponto de me apegar ou simpatizar. Confesso que a obra é muito bem feita, é muito bem trabalhada, tem uma beleza e um charme sem igual, mas não me conquistou. Eu achei o relacionamento muito frio e muito raso, não consegui enxergar uma emoção entre eles, não é um romance, não é uma história de amor, é apenas uma história sobre um homem egocêntrico com mania de perfeição, que gosta de ser servido e não ser incomodado, mas que possui uma carência afetiva e que tenta resolver o seu vazio com a presença da Alma. Às vezes nos esbaramos com um "eu te amo" em algumas cenas, mas parece soar de uma forma bem vazia, como se fosse um desespero em querer chamar a atenção. O próprio Reynolds é um homem autoritário (e muito chato eu diria) e indeciso que não conhece o significado da palavra "amar" (acho que ele nunca amou a Alma de verdade e muito menos as mulheres que passaram por sua vida). Alma por sua vez é uma mulher que não parece buscar um amor verdadeiro, mas sim alguém pra cuidar e se preocupar (ou talvez a sua definição de amar seja realmente verdadeira, baseado em sua narrativa). O relacionamento entre ambos é bem complexo baseado em sentimentos e conflitos como o ciúme e a admiração, com sarcasmo e provocações, que muita das vezes davam espaço pra carência e o companheirismo, mas de uma maneira superficial, não senti uma química entre Daniel e Vicky. Daniel Day-Lewis está em sua zona de conforto e faz o que sabe de melhor e entrega uma atuação grandiosa (muito longe do seu melhor é claro). Daniel está indicado ao Oscar e segundo ele próprio, TRAMA FANTASMA é seu trabalho de despedida, uma pena, vou sentir saudades desse monstruoso ator. Vicky Krieps faz um trabalho com elegância ao se deslumbrar entre os mais variados figurinos elegantes, ao mesmo tempo que nos passa uma personagem submissa (ou talvez mortal) que confronta as ordens e as imposições de Reynolds. Será que ela só quer mesmo alguém pra amar? Lesley Manville, que também está indicada ao Oscar, entrega uma personagem misteriosa e bastante intrigante. Ela é a irmã que trabalha lado a lado com Reynolds, possui um ar misterioso que ora parece acatar as decisões de Reynolds, ora confrontar (o relacionamento entre ela e a Alma é seco e às vezes parece perigoso). Vou confessar que ela foi a personagem que mais me chamou a atenção em todo filme, mais uma atuação elegante! Apesar de eu não ter conseguido me envolver com o roteiro, TRAMA FANTASMA é um bom filme, que confronta vários temas, como os relacionamentos conturbados com alguns nuances. Mostra um confronto de ideias de uma forma mais silenciosa (ou sigilosa), o que parece ser uma guerra entre as trocas de farpas por trás dos figurinos, mas que deixa algumas dúvidas no ar: será que eles se amam, se suportam ou se odeiam? Paul Thomas Anderson cria um ambiente que foge do comum, mostrando um relacionamento que vai do doentio ao espantoso em questão de segundos. [27/02/2018]
    Vitor Araujo
    Vitor Araujo

    Segui-los 8 seguidores Ler as 274 críticas deles

    2,5
    Demorado. Parado. Estilista. Romance. Velhice. Irritante. Modelo. Amor Diferente. Sofisticado. Devagar. Cogumelo. Médio.
    Guilherme M.
    Guilherme M.

    Segui-los Ler a crítica deles

    2,0
    Muito chato, primeira vez na vida que sai no meio de um filme ... foi difícil aguentar meio hora,, não recomendo
    Anderson  G.
    Anderson G.

    Segui-los 48 seguidores Ler as 219 críticas deles

    4,5
    Um filme de contemplação a recursos cinematográfico, Paul Thomas Anderson em seu novo filme de enredo lento e pouco atraente consegue prender o telespectador na beleza da condução de da direção, com um belo figurino e trilha sonora, sem falar das maravilhosas atuações. Com um roteiro que chama pouca atenção, mostrando a vida, sucesso e personalidade forte de um famoso estilista dos anos 50, toda a parte roteirística é segurada por Daniel Day Lewis, mas não quer dizer que o roteiro seja ruim, pelo contrario, sua condução e desenvolvimento de personagens são ótimas, sua imprevisibilidade tocante, e suas nuanças belíssimas, apenas sua trama em si não é ótima. O filme é um romance com pintadas de loucura, é uma historia de amor entre mãe e filho, e todas as suas peculiaridades, alem de tratar sobre amor platônico, submissão, egocentrismo e principalmente, solidão. Diferentemente de outros filmes de Paul Thomas Anderson, aqui não ficamos encantados com a fotografia, muito por culpa de quase não existir tomadas externas, mas isso é compensado na direção de arte, composição de cenários, luz, maquiagem e figurino são espetaculares, o filme tinha tudo para ser lento e maçante, mas a montagem o eixa com um ritmo muito bom, e principalmente, a trilha sonora, a trilha sonora aqui é perfeita, alem de pautar todo o filme, conduzir cenas, desenvolver personagens e auxiliar no ritmo do filme, a trilha sonora funciona como um personagem próprio, encantando e prendendo o telespectador ao longa, além de ser uma trilha lindíssima. Daniel Day Lewis novamente dá um show, é como se o ator se perdesse dentro de seu personagem, mais magro, velho, com postura e expressões únicas, o ator rouba completamente o filme e já fica com a mão em seu quarto óscar de melhor atuação, Lesley Manville também está maravilhosa. Por fim, Paul Thomas Anderson acerta em cheio e nos traz um otimo filme que nós faz lembrar da pura essência do cinema.
    Roberto L.
    Roberto L.

    Segui-los Ler as 3 críticas deles

    3,0
    Apesar de elenco figurino ambientação e fotografia ótimos faltou algo na estória pra ganhar 4 estrelas.
    Luiz Antônio N.
    Luiz Antônio N.

    Segui-los 35 seguidores Ler as 775 críticas deles

    3,0
    Nos anos 1950, Reynolds Woodcock é um renomado e confiante estilista que trabalha ao lado da irmã, Cyril, para vestir grandes nomes da realeza e da elite britânica. Sua inspiração surge através das mulheres que, constantemente, entram e saem de sua vida. Mas tudo muda quando ele conhece a forte e inteligente Alma, que vira sua musa e amante. o filme está concorrendo a 6 Oscars apesar de ser uma história muito longa e com um ritmo muito lento ainda assim é uma história que prende a atenção e nos faz querer saber o desfecho Achei bem interessante com atuações perfeitas🌟🌟🌟
    Alan David
    Alan David

    Segui-los 33 seguidores Ler as 570 críticas deles

    2,5
    Tem boas atuações e falas, mas no geral não é dinâmico e nada original, um cara talentoso e primadona que se acha, mas é mudado por uma pessoa simples, já vimos em outras vezes, fora que é tudo feito de forma lenta. Para lê a critica completa no link abaixo: http:// parsageeks.blogspot.com. br/2018/ 02/cinema-454-trama-fantasma. html
    Bruno Campos
    Bruno Campos

    Segui-los 9 seguidores Ler as 222 críticas deles

    4,5
    Ótimo! Mais uma atuação irretocável de Daniel Day-Lewis, um dos atores mais exigentes do mundo, bem em sintonia com seu personagem aqui: um alfaiate famosíssimo, q veste condessas e princesas. O filme é um tratado sobre Neurose Obsessiva e sobre poder, entremeados por traços perversos. Final ousado e surpreendente. Merecia os Oscars de Melhor Filme, Direção (Paul Thomas Anderson), Ator, Atriz (Vicky Krieps, não concorreu)) e Atriz Coadjuvante (Lesley Manville).
    Nelson J
    Nelson J

    Segui-los 88 seguidores Ler as 842 críticas deles

    4,5
    O filme não é extraordinário, mas Daniel faz o filme ser superior com seu talento e arte. Ele é um costureiro famoso e super metódico até que encontra por acaso Alma e a relação será tortuosa e impactará sua sanidade e trabalho. Fotografia e vestuário exuberantes. Não perca.
    Ricardo L.
    Ricardo L.

    Segui-los 52 seguidores Ler as 1 340 críticas deles

    4,0
    Daniel Day-Lewis Para muitos o melhor ator em atividade vivo e um dos maiores premiados pela academia de todos os tempos em um filme, mas nada de mais da conta. Trama fantasma é atraente e tem atuações fenomenais, Lewis está impecável como sempre e novamente indicado ao óscar, Lesley Manvile está ótima como irmã de Lewis, também indicada, como atriz coadjuvante, temos ainda a bela atriz com solidez no olha e uma bela atuação, a Vicky krieps, esquecida pela academia, de praxe né... Trama fantasma peca na lentidão dos fatos, mas se sobrepõe num belo roteiro e nas grandes atuações.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top